Brasil moviliza fuerzas en la ONU contra espionaje

Segundo chanceler Antonio Patriota, empresas ou indivíduos que colaboraram com esses esquemas serão julgados pela lei brasileira.

Ainda não satisfeito com as explicações por parte do governo americano sobre o ato de espionar cidadãos brasileiros na internet, a diplomacia brasileira está buscando aliados para trazer à tona o debate na ONU. “O Brasil está mobilizando apoio para suscitar o tema no Conselho de Direitos Humanos