Manifestantes en Río de Janeiro piden destitución del gobernador Cabral

Cerca de 700 manifestantes se reuniram no Centro do Rio de Janeiro, no final da tarde desta quarta-feira, para mais um protesto contra o governador Sérgio Cabral. Desta vez, eles pediram a criação das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) da Copa, da Delta e dos helicópteros.

A manifestação também teve o objetivo de pedir ao Ministério Público a ilegalidade do decreto de Cabral, que institui a Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo.

Mais de 300 policiais acompanharam os manifestantes, que carregavam faixas e cartazes contra o governador. O ato era pacífico . Os organizadores da passeata foram até a sede do Ministério Público.

O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Marfan Vieira, desceu de seu gabinete e recebeu os manifestantes, que rejeitaram a primeira oferta feita pelo órgão, de serem recebidos em comissão na sala do procurador-geral, e disseram que só aceitavam se reunir com ele do lado de fora do prédio.

Após alguns minutos de impasse, Marfan desceu e, em atitude inédita, foi até a rua. Com um megafone dos manifestantes, ele respondeu sobre as demandas de uma carta-aberta distribuída durante a passeata. Entre os pontos do documento, constavam exigências de que o MP investigue abusos de autoridades praticados pela Polícia Militar durante os protestos; gastos públicos feitos para a Copa do Mundo e as Olimpíadas; monopólio nos contratos de concessão do transporte público; e uso indiscriminado de helicópteros pelo governador Sérgio Cabral; além da instauração de inquérito para investigar as ligações de autoridades públicas com empreiteiras.

Marfan respondeu aos manifestantes que todas as reivindicações propostas no documento são objeto de investigação pelo MP, e disse que há um ritmo próprio para cada uma, sendo que, em alguns casos, a velocidade do processo depende de agilidade do Poder Judiciário.

Após terem sido atendidos pelo procurador-geral, os manifestantes deixaram a frente do prédio do MP e se dirigiram à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), onde ocuparam as escadarias, num ato pacífico. Por volta das 20h30, os manifestantes começaram a deixar o local, sem incidentes.

 

http://www.jb.com.br/rio/noticias/2013/07/31/cabral-e-alvo-de-novo-protesto-no-centro-do-rio/