Comenzó a llegar a Brasil nuevo contingente de otros tres mil médicos cubanos

Primeiros 215 médicos da terceira leva de cubanos desembarcam em Brasília

Os primeiros 215 profissionais da terceira leva de médicos cubanos participantes do programa Mais Médicos desembarcaram na noite desta segunda-feira em Brasília. Eles foram recebidos por volta das 23h pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. No sábado, o ministério anunciou que ao longo desta e da próxima semana chegarão ao Brasil 3 mil médicos de Cuba, que se juntarão aos 2.400 que já estão no país. Com isso, os cubanos representarão quatro de cada cinco participantes do programa. A previsão é que todos estejam trabalhando em dezembro.

Inicialmente, estava prevista a chegada de 1.600 cubanos em dezembro, o que elevaria a 4 mil a quantidade de profissionais oriundos da ilha no Brasil. Mas o governo resolveu antecipar a vinda deles para novembro, e ainda aumentou esse contingente para 3 mil. Ao todo, até o fim deste ano, o Mais Médicos será integrado por 6.664 profissionais, dos quais 5,4 mil cubanos. A meta do governo é ter 12.996 médicos até março.

– Fizemos uma discussão com o Ministério da Saúde de Cuba sobre a possibilidade de anteciparmos a vinda de médicos neste momento. Nós fomos atrás em função inclusive da decisão da presidenta Dilma de até o final março do ano que vem completarmos toda a leva de profissionais, pela boa receptividade que nós tivemos nos municípios nessa distribuição que fizemos neste mês – disse Padilha no aeroporto de Brasília, fazendo referência aos profissionais selecionados na segunda etapa do programa.

Nesta semana, desembarcam 2.600 médicos cubanos. No dia 12 de novembro eles começam o curso de quatro semanas pelo qual têm de passar antes de poder trabalhar. Serão 1.872 médicos em Brasília, 300 em São Paulo, 236 em Fortaleza e 192 em Belo Horizonte. Na semana que vem, mais 400 médicos cubanos chegarão a Vitória. O curso deles começa em 18 de novembro.

Até agora, entre brasileiros e estrangeiros, o programa já selecionou 3.664 profissionais, que estão atendendo 1.098 municípios e 19 distritos sanitários indígenas. A maioria – 2.400, ou 65,5% – é de cubanos. Com a chegada dos 3 mil novos cubanos, eles representarão 81% de todos os 6.664 profissionais do programa.

Pela manhã, no programa semanal de rádio “Café com a Presidenta”, Dilma afirmou que em dezembro será feita uma nova chamada individual do programa Mais Médicos, aberta a médicos brasileiros e estrangeiros. Os cubanos vêm de outra forma, por meio de uma parceria com o governo cubano intermediada pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

O acordo firmado com a Opas prevê o repasse de R$ 511 milhões. Questionado se o valor vai aumentar com a vinda de mais cubanos além do previsto inicialmente, Padilha disse que esses cálculos ainda serão feitos.

Após a entrevista de Padilha, o Ministério da Saúde selecionou alguns médicos para conversar com a imprensa.

– Estamos dispostos a ir a qualquer lugar e geografia do povo brasileiro para prestar nossos serviços – disse Hector Torres, de 49 anos e 21 de experiência na medicina.

– Estamos aqui para trabalhar nos lugares mais afastados da geografia brasileira em todo o país. Todos somos médicos gerais e nosso trabalho se dá principalmente na prevenção de doenças crônicas e enfermidades transmissíveis- afirmou Ariel Hernández, de 38 anos e 12 de experiência.

http://oglobo.globo.com/pais/primeiros-215-medicos-da-terceira-leva-de-cubanos-desembarcam-em-brasilia-10687339