Trabajadores de la Empresa de Comunicaciones de Brasil inician huelga

Trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação entram em greve

Cerca de 600 jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), mantida pelo governo federal, entraram em greve nesta quinta-feira (7) no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A proposta da empresa de reajuste real de 0,5% sobre os salários foi recusada por seus funcionários.

Os trabalhadores, que estão em estado de greve desde 24 de outubro, reivindicam manutenção de direitos no acordo coletivo. Já está marcada para esta sexta-feira (8), às 13h, nova reunião geral para avaliar se a greve deve continuar ou não.

Na última reunião de negociação, o diretor-presidente Nelson Breve apresentou proposta que definiu como “o máximo obtido junto ao governo federal”. Os pisos salariais, segundo ele, passariam de R$ 1.917 para R$ 2.039, no caso do nível médio, e de R$ 3.208 para R$ 3.412, no de nível superior.

Como os funcionários não aceitaram as condições, a situação deverá ser levada à Justiça do Trabalho.

Os trabalhadores pedem um reajuste salarial de R$ 290 para cada servidor e aumento de 11% no valor do tíquete-alimentação. Os funcionários também querem que a data-base, hoje em outubro, seja transferida para maio.

A EBC não se pronunciou sobre a greve. A empresa é responsável pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Portal EBC, Radioagência Nacional, além de oito emissoras de rádio, como as Rádios Nacional do Rio de Janeiro e de Brasília e as Rádios MEC AM e FM.

http://www.brasildefato.com.br/node/26519