Falleció el gobernador de Sergipe, uno de los fundadores del PT

Morre Marcelo Déda, governador de SE

Uma multidão ocupou ontem as ruas de Aracaju para a despedida ao governador Marcelo Déda (PT), que morreu ontem aos 53 anos.

Em segundo mandato à frente do Estado, Marcelo Déda fazia tratamento contra um câncer gastrointestinal havia um ano e três meses. Ele estava licenciado da gestão desde maio.

Eleito vice de Déda, Jackson Barreto (PMDB) já vinha atuando como governador em exercício e agora assume o posto até 2014.

O corpo de Déda deixou pela manhã o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e chegou a Aracaju no final da tarde. Milhares de pessoas acompanharam o cortejo do aeroporto até o Palácio Olímpio Campos, local do velório.

O trajeto de cerca de 8 km entre o aeroporto e o palácio foi tomado por moradores. Famílias se aglomeravam na calçada, sentadas na porta de casa ou em carros estacionados. Muitos seguravam bandeiras do PT ou de Sergipe.

Em nota, a presidente Dilma Rousseff, que esteve no velório, disse ter perdido “um grande amigo”. Citou ainda a trajetória “marcada pela dedicação em transformar para melhor a vida das pessoas”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também em nota, lembrou a atuação de Déda na criação do PT e disse que o sergipano foi “exemplo de dignidade e compromisso público” na política. Lula chegou ao velório ao lado do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

Advogado, Déda militou no movimento estudantil e aos 25 anos foi segundo colocado na eleição de 1985 para prefeito de Aracaju. Elegeu-se deputado estadual no ano seguinte com votação recorde no Estado: 32 mil votos.

O petista ocupou cadeira na Câmara dos Deputados de 1994 a 2000, quando venceu a disputa pela Prefeitura de Aracaju. Reelegeu-se em 2004 e renunciou em 2006 para concorrer ao governo.

Naquele ano, derrotou o então o governador João Alves Filho (DEM), atual prefeito de Aracaju e representante de grupo político tradicional no Estado. Voltou a vencer o rival em 2010, na disputa pela reeleição.

Na eleição municipal do ano passado, contudo, foi a vez de João Alves vencer o grupo de Déda, que apoiou Valadares Filho (PSB), na eleição em Aracaju.

Durante a licença, Déda teve atritos com seu substituto. Em julho, usou uma rede social para se dizer “triste e decepcionado” com uma nomeação para uma estatal feita por Barreto, que deve tentar a reeleição. “Minha saúde não me permite mais do que o desabafo”, afirmou.

Déda foi casado duas vezes e deixa mulher e cinco filhos. Após o velório, que deverá se estender até a tarde de hoje, o corpo do governador seguirá para cremação em Salvador.

 

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/141907-morre-marcelo-deda-governador-de-se.shtml