Brasil: estudiante de medicina en Cuba proveniente de favela recibe a Dilma Rousseff en La Habana

DA MAIOR FAVELA PAULISTA PARA A MEDICINA EM CUBA

Wellington Pedro de Sousa, que deixou a comunidade de Heliópolis para se tornar estudante de medicina em Cuba, recebeu a presidente Dilma em Havana; em breve, ele estará retornando ao País para atuar no programa Mais Médicos; “Em 2007 surgiu uma oportunidade de vir estudar em Cuba… aqui, a gente estuda uma Medicina que é preventiva e totalmente voltada para o atendimento à população”, diz ele; “Tenho a vontade agora de poder ser inserido no projeto Mais Médicos”

A presidenta Dilma Roussef chegou na tarde deste domingo (26) em Havana, Cuba, onde inaugurará o Porto de Mariel e participará da II Cúpula da Comunidade dos Estados Latinoamericanos e Caribenhos ( CELAC). Na chegada ao hotel, a presidenta foi recebida por dois estudantes brasileiros da Escola Latinoamericana de Medicina ( ELAM). Eles representam um grupo de 350 estudantes de Medicina que se formam este semestre e pretendem atuar no Brasil pelo Programa Mais Médicos.

Wellington Pedro de Sousa cursa o sexto ano da faculdade de Medicina. Ele era morador de Heliópolis, a maior favela de São Paulo e viu na ELAM uma oportunidade de se tornar médico.

“Em 2007 surgiu uma oportunidade de vir estudar em Cuba… Aqui em Cuba a gente estuda uma Medicina que é preventiva e totalmente voltada para o atendimento à população (…) a gente vem tendo práticas desde o primeiro ano, a gente tem uma formação acadêmica, um nível exemplar e agora a gente tem expectativa de voltar para o nosso país e poder trabalhar na área de saúde preventiva através do Mais Médicos, que é um ótimo projeto também porque atende a necessidade das comunidades mais carentes, que é de onde a gente vem. A gente conhece muito bem como é trabalhar, como é lidar com essa falta da saúde que existe no nosso país… Tenho a vontade agora de poder ser inserido no projeto Mais Médicos, futuramente também estar fazendo o Revalida para poder continuar trabalhando na área da Saúde.”

Maria de Fátima Mendonça Santos, que é de Sergipe, também cursa o sexto ano de Medicina na ELAM. Ela entregou rosas à presidenta e também uma carta solicitando uma reunião com representantes do grupo de estudantes brasileiros na ELAM.

“Cuba nos capacita com a melhor medicina que existe aqui, uma medicina voltada para o lado humanista. Nós solicitamos [à presidenta] um encontro para falarmos um pouco da nossa chegada e da nossa inserção no Mais Médicos. Então é a nossa oportunidade de sonharmos… nós podemos sonhar, acreditar, nós podemos ajudar a nossa comunidade… com a criação do Programa Brasil Mais Médicos. E agradecemos, presidenta, a sua coragem.”

 

http://www.brasil247.com/pt/247/saudeebemestar/128263/Da-maior-favela-paulista-para-a-medicina-em-Cuba.htm