Policía de Bahía realiza marcha para pedir la liberación de su líder

Associação de policiais convoca ‘ato pacífico’ em defesa de líder preso

A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), presidida por Marco Prisco, preso no Complexo da Papuda, convocou “ato público pacífico” para esta terça-feira, às 9h, em frente à Câmara de Vereadores de Salvador, na Praça Municipal. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Prisco ‘aposta no terror’ ao se colocar à frente da convocação de greves de policias. Sua prisão, no último sábado, foi pedida para a manutenção da ordem pública.

A convocação informa que o ato é para “familiares, amigos, eleitores, entidades de classe e demais admiradores do vereador soldado Prisco”. O objetivo do ato é “a entrega de documento na Câmara de Vereadores, solicitando intervenção da mesa diretora da Casa”.

A associação continua temendo pela segurança do vereador, preso no no Distrito Federal. Os amigos de Prisco querem que a Câmara intervenha “no sentido de que seja respeitado o direito constitucional dos edis de cumprirem prisão ou na Câmara dos Vereadores ou domiciliar”.

Os integrantes do ato devem participar “trajando camisetas brancas e fita preta amarrada ao braço. As vestes são sinalizando o desejo de paz e ao mesmo tempo demonstrando a insatisfação quanto a prisão do vereador eleito com pelo menos 14 mil votos e que deveria, conforme Constituição Federal, ter prisão domiciliar ou na Câmara dos Vereadores”, diz nota divulgada pela Aspra.

A entidade, juntamente com todas outras cinco associações de PMs, “manterão o compromisso com o Governo do Estado no sentido de orientar a tropa a trabalhar normalmente, em respeito à sociedade baiana”. A Aspra diz ainda que não quer nova paralisação de policiais, e pede que todos eles cumpram suas escalas de trabalho.

Apesar do tom pacificador da nota da Aspra, o deputado Capitão Tadeu Fernandes (PSB), outra liderança da tropa, disse nesta segunda-feira que o clima depois da greve é muito ruim na corporação.

— A tropa não está fazendo operação tartaruga. Ela está extremamente desestimulada e frustrada. Nessas circunstâncias nenhum profissional consegue trabalhar bem. O grande desafio agora é estimular a tropa — declarou, explicando que o grupo de trabalho criado para discutir o projeto de modernização da PM vai prosseguir e que a expectativa é que o governador Jaques Wagner reveja “tudo de ruim que colocou no projeto, como prometeu”.

O capitão diz ainda que as seis associações de policiais militares estão reunidas todos os dias para avaliar o quadro.

Já o líder do governo Wagner na Assembleia Legislativa, deputado Zé Neto, assinalou que o governo vai “revisar o que for possível revisar e alterar”. O petista contou que foi um dos que conversaram com o deputado Tadeu na noite de sexta-feira Santa, quando a tensão aumentou com a prisão de Prisco.

— Ele próprio descartou uma tensão maior naquele dia e, da minha parte, o que pudermos fazer para chegar ao entendimento… não vou medir esforços. Nesse instante não está em jogo interesse de grupo. Há necessidade de preservarmos as conquistas obtidas com o diálogo e ampliá-las. Greve da polícia não é bom para ninguém — disse.

http://oglobo.globo.com/pais/associacao-de-policiais-convoca-ato-pacifico-em-defesa-de-lider-preso-12256829