Brasil: Dilma busca votos “casa por casa” y Marina se pronuncia por los derechos de las minorías

Em comício em SP, Dilma declara que PT vai buscar os votos ‘de casa em casa’ nesta reta final

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) disse nesta segunda-feira que “chegou a hora da onça beber água”, ao discursar sobre a reta final das eleições, e que o PT vai buscar os votos “de casa em casa”. As frases foram ditas durante comício realizado esta noite na região do Campo Limpo, Zona Sul de São Paulo. O comício reuniu cerca de 10 mil pessoas e, ao seu lado no palanque, estavam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os ministros ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Thomas Traumann (Secretaria de Comunicação).

— A onça vai beber água. Eu vou botar os pingos nos “i”s — disse a candidata. — É hora de procurar voto a voto, de casa em casa. O que está em jogo domingo é um projeto que acabou com a fome, tirando o Brasil do mapa da fome, crianças que hoje podem ir para a escola e que têm comida na mesa. O que está em questão nesse domingo é o futuro do Brasil. Vai vencer quem tem competência para levar o país para o rumo certo, um governo que tirou 36 milhões de pobreza e que dará continuidade ao projeto que o ex-presidente Lula começou.

Dilma ainda lembrou que, em São Paulo, muitos projetos que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anuncia como dele tiveram recursos federais. Ela citou o Rodoanel, o Metrô e o monotrilho.

Lula, que falou antes da presidente, disse não entender porque os paulistas ainda votam em Alckmin, se em várias áreas, como segurança, educação e saúde há, segundo ele, desaprovação em relação à administração tucana no estado.

— Em 12 anos, conseguimos melhorar a vida do povo. Pobre não sonhava em comer carne de primeira, só comia pé e pescoço de frango. O povo jamais sonhou em viajar de avião. Dilma, esse povo nunca faltou com o apoio ao PT. Você pode voltar para Brasília que será eleita presidente — discursou Lula.

O Globo

 

Marina defende liberdade e respeito à orientação sexual

A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, disse, em entrevista coletiva nesta tarde em Caruaru (PE), que as declarações do candidato pelo PRTB, Levy Fidélix, no debate de ontem (28) na TV Record são “inceitáveis do ponto de vista de qualquer que seja a circunstância”.

Marina disse que Levy Fidélix “fez uma declação inaceitável do ponto de vista de uma visão de completa intolerância com a diversidade social, cultural que caracteriza o nosso país, com o respeito que se deve ter às pessoas independente da questão social, independente da cor e da orientação sexual”

A candidata disse ainda que a Rede Sustentabilidade “está avaliando com nossos advogados entrar com uma ação na Justiça em função de as declarações do candidato serem claramente declações contrátrias ao respeito à diversidade, declarações de fato homofóbicas”.

No debate desse domingo, o candidato do PRTB respondeu a uma pergunta feita pela também presidenciável Luciana Genro (PSOL), dizendo que homossexuais precisam de atendimento psicológico e que “aparelho excretor não reproduz”. Ele chegou a comparar a homossexualidade à pedofilia.

Nesta noite, em comício no Recife, Marina voltou a falar na questão. “Aprendi a respeitar a diferença. Em 16 anos de Senado, nunca vai me ver fazendo qualquer coisa que desrespeite os direitos humanos, que promova o preconceito, que faça qualquer coisa nessa direção”, disse.

Marina defendeu o Estado laico como uma conquista na defesa da liberdade, disse que se sustenta na própria fé e que ela tem sido “muito combatida”. No discurso argumentou que nunca misturou a vida política com a religiosa. “Nunca fiz do altar um palanque e nunca fiz do palanque um púlpito ou um altar. Aprendi que valores, referências não se expressam no discurso, têm que se expressar na prática, na vida, o melhor discurso é a vida que se vive”.

Nessa segunda, atendendo a um pedido do candidato à Presidência, Eduardo Jorge (PV), o PV protocolou no Ministério Público uma representação contra Levy Fidelix por suas declarações homofóbicas no debate da Rede Record que pede que se instaure um inquérito ou um processo crime pelo desrespeito à dignidade humana e igualdade de direitos. “O jurídico do PV também está estudando para amanhã [hoje] uma ação no TSE [Tribunal Superior Eleitoral”, disse Jorge.

Agencia Brasil

 

Vox Populi: Dilma tem 16 pontos de vantagem sobre Marina no primeiro turno

Petista mantém 40% das intenções de voto, Marina registra 24% e Aécio ganha um ponto percentual e aparece com 18%

A vantagem da presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), sobre a candidata Marina Silva (PSB) recuou para 16 pontos percentuais no primeiro turno. Apesar da queda de dois pontos, a petista derrotaria a ex-senadora em um possível segundo turno se as eleições fossem hoje. Os resultados são da pesquisa Vox Populi/Rede Record divulgada nesta noite de segunda-feira (29).

Ainda de acordo com a pesquisa, nas intenções de voto do primeiro turno, Dilma manteve os 40% dos votos registrado na pesquisa anterior. Já Marina marcou 24% (antes, tinha 22%) e Aécio Neves (PSDB) registrou 18% da preferência, apenas um ponto percentual a mais que registrava na semana passada.

A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais – para mais ou para menos. Por isso, Marina e Aécio estão tecnicamente empatados.

Candidatos Everaldo Pereira (PSC) e Luciana Genro (PSOL) marcaram 1% nas intenções de voto cada. Por outro lado, os candidatos Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Eymael (PSDC), Rui Costa Pimenta (PCO), Mauro Iasi (PCB), Zé Maria (PSTU) não marcaram pontos. Os brancos e nulos são 6% do total, enquanto os eleitores indecisos somam 11%.

Segundo turno

O Vox Populi fez duas simulações de segundo turno. Na primeira, com Dilma contra Marina, a presidente tem 46% das intenções de voto, contra 39% da ex-senadora. Os brancos e nulos são 9% do total, e os indecisos totalizam 6%. Considerando a margem de erro, portanto, Dilma seria reeleita.

Datafolha: Dilma vai a 40%, Marina cai para 27% e Aécio oscila para 18%

Em outro cenário, com Dilma contra Aécio, a presidente tem 48% da preferência, contra 38% do tucano. Os brancos e nulos totalizam 9%, e os eleitores que não sabem ou não responderam somam 5%. Neste caso, Dilma também venceria a disputa.

A pesquisa Vox Populi ouviu 2.000 eleitores de 147 cidades brasileiras entre o último sábado (27) e o domingo (28). O nível de confiança é de 95%. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o número BR – 00888/2014.

Ultimo Segundo