Elecciones en Brasil: Dilma promete profundizar el rumbo y Marina la acusa de “sembrar el miedo”

elecciones brasil 2014

Dilma: “Esta não é a campanha do medo, mas sim da verdade”

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, reafirmou que esta é a campanha da verdade. “Quando você dirige um País, você tem responsabilidade com o dia seguinte. Por isso digo que esta não é a campanha do medo, mas sim a campanha da verdade. Porque não basta dizer: A hora da verdade é a hora em que você tem de mostrar o que vai fazer, como vai fazer e com que dinheiro vai fazer”, afirmou Dilma.

Dilma também questionou promessas que não têm embasamento no Orçamento Federal. “Quando você escreve que vai reduzir o papel dos bancos públicos, isso tem uma consequência. Assim como quando diz que vai antecipar 10% do PIB para Educação, 10% da receita bruta para a Saúde, vai antecipar impostos para os municípios. O problema é dizer de onde vai sair”.

As afirmações foram feitas nesta quarta-feira (3), durante caminhada em Belo Horizonte, Minas Gerais. Na ocasião, Dilma também revelou que vai fazer ajustes em políticas e na equipe para o próximo mandato.

A presidente disse ainda que a indústria tem sido estimulada pela Política de Conteúdo Nacional, que incentiva setores essenciais a comprarem dentro do Brasil tudo que for necessário para a produção. E reafirmou que o governo federal adotou medidas de incentivo a diversos setores da economia que contribuem para que as indústrias nacionais produzam com preço, prazo e qualidade e, sobretudo, gerem emprego.

“Por meio desta política de preço, prazo e qualidade, conseguimos recuperar a indústria naval brasileira, que tinha desaparecido na década de 90 e hoje é a quarta do mundo. Conseguimos também mudar o panorama da indústria automobilística. Conseguimos trazer 12 grandes fábricas”, disse Dilma Rousseff.

Durante a entrevista à imprensa, a presidente disse ainda que 8 milhões de brasileiros têm a oportunidade de mudar a trajetória de vida por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).  Dilma afirmou que, ao se profissionalizar e começar a trabalhar, estas pessoas passam a ter as condições para continuar crescendo.

“Esses cursos compõem a chamada trajetória educativa na área técnica. Há um caminho de formação técnica. Nós demos a oportunidade para estas pessoas se formarem, homens e mulheres brasileiros”, disse.

http://www.jb.com.br/eleicoes-2014/noticias/2014/09/03/dilma-esta-nao-e-a-campanha-do-medo-mas-sim-da-verdade/ 

“Dilma está querendo ressuscitar o medo”, diz Marina

Em entrevista ao site  G1, na manhã desta quarta-feira, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, voltou a criticar Dilma Rousseff (PT) por tentar associar a adversária à imagem de “salvadores da Pátria” que não concluíram seus mandatos. “Infelizmente quem está querendo ressuscitar o medo é a presidente Dilma”, afirmou Marina. “A pior coisa na política é o medo”, disse.

Na terça-feira, a propaganda eleitoral de Dilma na TV associou Marina aos ex-presidentes Jânio Quadros, que renunciou ao mandato em 1961, e Fernando Collor de Mello, afastado após um processo de impeachment em 1992.

No mesmo dia, ao participar de uma entrevista no Estado de S. Paulo, a candidata do PSB ironizou Dilma ao afirmar que a presidente, que não havia sido eleita nem a vereadora antes de chegar ao Palácio do Planalto, deveria ser associada a Collor.

Marina voltou a comparar sua situação à do ex-presidente Lula, na campanha de 2010: “acredito profundamente que a esperança venceu o medo”. A candidata disse que não pretende usar qualquer tipo de discurso apelativo para ganhar a eleição. “Não queremos ganhar de qualquer jeito”, disse. Segundo ela, seu maior recurso é a esperança e a confiança na capacidade de mudar o Brasil.

Marina Silva também prometeu enviar ao Congresso uma proposta para aumentar para cinco anos o mandato presidencial, sem reeleição. Ela disse que, se eleita, cumprirá os quatro anos de mandato e não tentará a reeleição.

“Acabar com a reeleição será uma grande contribuição para o país. Estou assumindo compromisso de quatro anos de mandato. Eu vou cumprir quatro anos. O próximo terá cinco anos. Vamos mandar uma emenda”, afirmou.

http://www.jb.com.br/eleicoes-2014/noticias/2014/09/03/dilma-esta-querendo-ressuscitar-o-medo-diz-marina/

IBOPE E DATAFOLHA MOSTRAM CRESCIMENTO DE DILMA

Os números das pesquisas Ibope e Datafolha divulgados no início da noite desta quarta-feira, 3, foram recebido com alívio e cautela por integrantes da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, do PT. A avaliação no núcleo petista é que houve uma reversão da tendência de queda de Dilma e que o avanço de Marina foi contido. A campanha ainda aguarda novos levantamentos desses institutos para saber se há uma consolidação da recuperação de Dilma.

Segundo informação do jornalista Gerson Camarotti, o PT estaria dividido em relação à estratégia do marqueteiro João Santana, que decidiu apostar na desconstrução da candidatura Marina Silva, tentando apontar erros e fragilidades no discurso da adversária. Mas, se nas próximas pesquisas houver a confirmação da retomada do crescimento de Dilma e se a candidatura de Marina estagnar, João Santana terá mais liberdade para tomar decisões na campanha.

Ao mesmo tempo, segundo um coordenador da campanha petista, a ordem é manter a linha de dedicar boa parte do programa na televisão para mostrar ações do governo Dilma. Essa ação é apontada por petistas como fundamental para a melhora na avaliação do governo e para a redução da rejeição de Dilma.

Na pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira, a presidente Dilma apresentou crescimento de três pontos, de 34% para 37%. Marina Silva subiu quatro pontos, indo de 29% para 33%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, registrou 15% das intenções de voto, uma queda de quatro pontos em comparação à mostra anterior, divulgada no dia 26 de agosto.

No levantamento divulgado pelo Datafolha, Dilma subiu um ponto, indo de 34% para 35%. Marina Silva vem colado atrás, mantendo os mesmo 34% da última pesquisa. Aécio Neves se consolida em terceiro, com 14%, um ponto a menos.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152324/Ibope-e-Datafolha-mostram-crescimento-de-Dilma.htm