Brasil: Petrobras recibe premio a la mejor productora de gas del mundo

Petrobras recebe maior prêmio da indústria de óleo e gás do mundo

A partir deste domingo (3) e até o dia 7 de maio, a Petrobras participa, em Houston, nos Estados Unidos, da Offshore Technology Conference (OTC), o maior evento do mundo dedicado à área de exploração e produção de petróleo no mar. Na edição deste ano, a estatal brasileira recebeu o prêmio OTC Distinguished Achievement Award for Companies, Organizations, and Institutions, reconhecimento mais importante do setor de petróleo na qualidade de operadora offshore. Participam da conferência a diretora Solange Guedes (Exploração e Produção) e os diretores Hugo Repsold (Gás e Energia) e Roberto Moro (Engenharia, Tecnologia e Materiais). De acordo com nota da Petrobras, a estatal foi escolhida em reconhecimento ao conjunto de tecnologias desenvolvidas para a produção da camada pré-sal.

“As tecnologias de ponta desenvolvidas pelo nosso corpo técnico foram reconhecidas pelo prêmio mais importante da indústria mundial de óleo e gás pela terceira vez. Uma distinção que poucas empresas possuem e um patrimônio científico que será utilizado por petrolíferas do mundo todo. Mais que um prêmio, o OTC Distinguished Achievement Award 2015 é um reconhecimento à inovação e talento brasileiros”, diz nota da Petrobras.

Neste domingo acontece o jantar de premiação. Na segunda-feira (4), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, e os diretores Solange Guedes, Hugo Repsold e Roberto Moro visitarão o estande da Petrobras na feira. O espaço contará com conteúdos audiovisuais e interativos sobre as tecnologias pioneiras para a exploração e produção no pré-sal.

Na terça-feira (5), Solange Guedes apresentará a palestra “Pre-Salt: What Has Been Done So Far and What is Coming Ahead” (“Pré-sal: o que já foi feito e o que vem pela frente”). No mesmo dia, haverá uma sessão técnica sobre o pré-sal, denominada “Pre-Salt: 8y Journey from the Wildcat Well to more than Half-million Barrels per Day” (“Pré-Sal: Jornada de 8 Anos desde o Poço Pioneiro até mais de Meio Milhão de Barris por Dia”). A sessão, que será aberta pela gerente executiva da Área de Libra, Anelise Lara, será dividida em sete apresentações dos técnicos e executivos. Na tarde do mesmo dia, os trabalhos abordarão os campos do pré-sal de Sapinhoá e Lula Nordeste, na sessão denominada “Sapinhoá Lula NE Project Challenges & Lessons Learned” (“Projeto Sapinhoá Lula Nordeste: Desafios e Lições Aprendidas”).

No dia seguinte (6), os técnicos apresentarão trabalho sobre processos de segurança em operações offshore, na sessão “Offshore Process Safety: Past, Present and Future” (“Segurança de Processo Offshore: Passado, Presente e Futuro”).

A Petrobras também participará de eventos paralelos. O assessor da Presidência para Conteúdo Local e coordenador executivo do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), Paulo Alonso, fará palestra no seminário “Providing goods and services for the oil industry in Brazil: opportunities for foreign suppliers in a new scenario” (“Fornecendo produtos e serviços para a indústria de petróleo no Brasil: oportunidades para fornecedores estrangeiros em um novo cenário”), que tem o objetivo de atrair empresas estrangeiras para o país. O gerente de Desenvolvimento de Mercado da área de Materiais, Ronaldo Martins, também falará no evento.

Paulo Alonso ainda fará a apresentação Marine Demands for 2020-2030: Local Content and Opportunities in a new environment (Demandas de equipamentos navais para 2020-2030: Conteúdo Local e Oportunidades em um novo ambiente) e em evento promovido pela Bratecc, Câmara de Comércio Brasil-Texas, no dia 6 de maio, na The Westin Galleria. No mesmo evento, a gerente executiva de Serviços de Exploração e Produção, Cristina Pinho, irá abordar o tema “A new business model applied to Upstream Logistics” (“A logística do E&P da Petrobras e um novo modelo de negócio”).

Balanço auditado

A premiação acontece 11 dias depois de a estatal ter apresentado seu balanço auditado do terceiro trimestre de 2014 e do ano de 2014. Petrobras, sucesso na administração, apresentou um balanço limpo, auditado, como o país inteiro esperava e todos aqueles que acreditam no Brasil.

O presidente da estatal, Aldemir Bendine, fez a exposição do relatório com clareza. “A partir daqui a Petrobras volta a garantir a credibilidade de seu relacionamento com credores e investidores do país e do exterior. O maior desafio deste processo é que ele não se esgota apenas na apresentação dos valores da companhia.”, disse Bendine.

De acordo com o balanço, a Petrobras apresentou prejuízo de R$ 21,6 bilhões no ano de 2014, em função, principalmente, da perda por desvalorização de ativos, impairment (R$ 44,6 bilhões), da baixa de gastos adicionais capitalizados indevidamente no âmbito da Operação Lava Jato (R$ 6,2 bilhões), do provisionamento de perdas com recebíveis do setor elétrico (R$ 4,5 bilhões), das baixas dos valores relacionados à construção das refinarias Premium I e II (R$ 2,8 bilhões) e do provisionamento do Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário-PIDV (R$ 2,4 bilhões).

O balanço auditado da Petrobras foi bem recebido por economistas. Para eles, trata-se de um passo importante. Fernando Sarti, professor de Economia da Unicamp, em conversa com o JB por telefone, destacou que a divulgação ajuda a superar todo o movimento especulativo que vinha prejudicando a estatal, e permite que o mercado passe a se pautar em questões reais, como as relacionadas à produção, financiamento e preço de petróleo. Em um primeiro momento, mais imediatista, a tendência do mercado pode até vir a ser negativa, mas a tendência é de melhora significativa, acredita o professor.

Jornal Do Brasil