Dilma discute con primer ministro chino la construcción de una vía ferroviaria que unirá el Atlántico con el Pacífico

China investirá US$ 53 bi no Brasil

A presidente Dilma recebe, na manhã de hoje (19), o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, que começa uma viagem pelo Brasil incluindo outros países da América do Sul, onde deve anunciar investimentos de US$ 53 bilhões em obras de infraestrutura. O acordo entre os governos brasileiro, chinês e peruano dará início à construção da Ferrovia Transoceânica, ligando o Atlântico ao Pacífico, iniciando no Rio de Janeiro, passando por Uruaçu até os portos de San Juan, Matarini e Llo, no Peru.

“Uma comitiva de 120 pessoas, entre elas, dirigentes de grandes conglomerados empresariais, que se reunirão com empresários brasileiros. O anúncio do investimento chinês soará como mensagem de confiança na economia brasileira, apesar dos problemas macroeconômicos do momento, como inflação alta e contas públicas exigindo um ajuste fiscal”, analisa a jornalista Tereza Cruvinel, no seu blog no Portal Brasil 247.

A Ferrovia Transoceânica ou Transamazônica vai reduzir para US$ 30 o preço da tonelada de grãos exportado para a Ásia.

A ferrovia terá 5,3 mil km, dos quais 2,9 mil km passando pelo Brasil. A ferrovia será construída em seis anos e ligará o litoral norte do Rio de Janeiro à malha ferroviária do Peru passando pelas cidades de Uruaçu (GO), Vilhena (RO), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC) e Boqueirão da Esperança (Fronteira Brasil-Peru).

A Ferrovia Transcontinental ainda integra a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fiol) que sai de Ilhéus (BA) ligando-se à Ferrovia Norte-Sul em Figueirópolis (TO).

Megainvestimento

O primeiro-ministro Li Keqiang vem acompanhado por uma comitiva de 120 pessoas, que inclui dirigentes de grandes conglomerados empresariais chineses. Eles se reunirão com empresários brasileiros no Itamaraty para a prospecção de novos negócios.

Aqui e nos demais países, onde também se encontrará com os respectivos presidentes, o premiê chinês discutirá a ampliação do comércio bilateral e acenará com o aumento de compras de produtos de maior valor agregado. Embora seja o maior parceiro comercial do Brasil, o maior volume das importações do Brasil concentra-se em soja e minério de ferro. (Com onformações do portal Brasil247 e Valec).

Diário da Manhñá

Brasil fechará acordo com China para exportação de carne

O Brasil vai fechar com a China nesta terça-feira a liberação das exportações da carne bovina para aquele país. Este é um dos mais de 30 acordos que os dois países negociam e deverão assinar por ocasião da visita do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang. A vinda dele é um desdobramento do último encontro que Dilma teve com o presidente chinês, Xi Jinping, em setembro do ano passado.

Os dois países negociam ainda um memorando para fazer estudos de viabilidade da ferrovia transcontinental, que liga o Atlântico ao Pacífico. A ferrovia vai baratear a exportação de produtos brasileiros para a China, via Peru.

Outro acordo prevê um entendimento de R$ 5 bilhões entre a Petrobras e o Banco do Desenvolvimento da China. Na área agrícola, será fechado um pacto com o governo do Mato Grosso para processamento de milho e soja.

Na área comercial, há um acordo para que a chinesa Cherry erga um polo automotivo em Jacareí (SP). A Embraer também assina acordo de financiamento de aeronaves brasileiras. Outro acerto bilateral prevê pesquisa e construção conjunta de satélites.

E na área esportiva, uma parceria para a realização de cursos de tênis de mesa e badminton para atletas brasileiros. Os chineses são craques nessas modalidades.

Li Keqiang será recebido pela presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira no Palácio do Planalto. Eles terão reunião de trabalho para fechar os detalhes desses acordos, cada um com seus ministros envolvidos nas tratativas. Depois, fazem cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa. Li e Dilma encerram o protocolo com um almoço no Palácio do Itamaraty.

O Globo