En el Día Nacional contra el racismo, realizan en Brasil manifestación para denunciar “la falsa abolición” de la esclavitud

Entidades promovem ato para lembrar “falsa abolição” do 13 de maio

No Dia Nacional de Denúncia do Racismo, entidades irão às ruas denunciar a “falsa abolição” da escravatura, que completa 127 anos, nesta quarta-feira (13).

A vulnerabilidade social, violência e genocídio da população negra, redução dos direitos trabalhistas e redução da maioridade penal são algumas das pautas da manifestação que acontece no largo da Batata, no centro de São Paulo (SP), a partir das 17 horas.

“No próximo dia 13 de Maio ocuparemos mais uma vez as ruas de São Paulo para denunciar a falsa Abolição da escravidão e a falsa democracia, que só fez cristalizar as desigualdades e a hierarquia social a partir, principalmente, da ideologia do racismo”, diz a nota de convocação para o ato.

Genocídio

Entre as pautas da manifestação também está a denúncia do genocídio da população negra e jovem. O Mapa da Violência 2014, divulgado no mês passado, mostra que as vítimas têm em comum a cor da pele, faixa etária e classe social.

Em 2012, 54,5% das vítimas de homicídio tinham entre 15 e 29 anos. Outro dado aponta que em dez anos, de 2002 a 2012 – período analisado pelo estudo –, a taxa de mortes entre brancos caiu 24,8% (de 19.846 para 14.928). Já entre os negros, neste mesmo período, cresceu 38,7% (de 29.656 para 41.127).

O levantamento detalha que, em 2002, enquanto os homicídios entre os brancos eram de 21,7 por 100 mil brancos, a dos negros era de 37,5 por 100 mil negros. Morreram, portanto, 73% mais negros do que brancos.

O estudo ainda conclui que neste período de dez anos não houve alteração no que se refere a políticas públicas para resolver esse problema, e chama a atenção para uma “crescente seletividade social dos que vão ser assassinados”.

Ato 13 de maio – Cotas SIM! Redução-Terceirização-Genocídio NÃO
Data: 13/05/2015
Horário: 17 horas
Local: Largo da Batata, centro de São Paulo (SP)

Brasil de Fato