Brasil y Perú inician conversaciones sobre acuerdo de libre comercio de automóviles

Brasil negocia acordo com Peru para livre-comércio de carros

O Brasil iniciou negociações para um acordo automotivo com o Peru e quer zerar tarifas de importação de veículos e peças até 2016. A Colômbia será o próximo alvo. O objetivo é incrementar as exportações das montadoras e preservar empregos. O setor enfrenta uma grave crise, com alta capacidade ociosa e corte de pessoa

As negociações está sendo feitas pelo ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, que no Peru e segue hoje para a Colômbia. A iniciativa não é restrita ao setor automotivo e representa um esforço de aproximação mais amplo.

Os governos brasileiro e peruano concordaram em acelerar a redução das tarifas de importação e negociar acordos em áreas como serviços, investimentos e compras governamentais. As empresas brasileiras estão em desvantagem no Peru e na Colômbia, por causa dos acordos de livre comércio desses países com Estados Unidos e outros.

Brasil e Peru possuem um acordo de complementação econômica, mas o fim das tarifas está previsto para 2019. O objetivo é reduzir esse prazo em alguns setores, como automotivo. “Juntos, os mercados andinos são relevantes e existe espaço para produtos brasileiros”, diz Rogelio Golfarb, vicepresidente de assuntos corporativos da Ford.

A Colômbia cobra 35% de imposto de importação sobre veículos, mas para o Brasil a taxa cai para 16,1%. A tarifa peruana é mais baixa: 6% para o mundo e 2,8% o Brasil. No ano passado, foram vendidos 327 mil veículos na Colômbia e 127 mil no Peru. O Brasil atendeu com carros brasileiros apenas 3,6% do mercado peruano e 2,8% do colombiano.

Folha Do Brasil