Brasil: movimientos sociales realizan jornada continental de lucha anti-imperialista a diez años del No al Alca

Ato em São Paulo comemora dez anos da derrubada da Alca

Após dez anos da vitória de diversas organizações progressistas sobre a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), grupos e movimentos populares realizam um ato político-cultural em comemoração do feito, nesta quarta-feira (7), na capital paulista. A manifestação acontece às 19h no Sindicato dos Engenheiros Rua Genebra, 25, próximo ao metrô Anhangabaú e à Câmara Municipal de São Paulo.

O ato marcará o lançamento da Jornada Continental da Luta Anti-imperialista, que ocorre entre os dias 5 a 22 de novembro, em mais de 20 países das Américas, organizada por articulações da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (Alba) protagonizada pelos movimentos sociais.

Além da Alba Movimentos, participam do ato político-cultural de lançamento da jornada o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), a Central de Movimentos Populares (CMP), Central Única dos Trabalhadores (CUT), a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Consulta Popular, entre outros.

Em nota, a Marcha Mundial das Mulheres (MMM), mais uma organização participante, enfatizou a importância do ato: “Hoje, vivemos em uma conjuntura de acirramento do conservadorismo e nova ofensiva imperialista sobre os países da América Latina, e sobre nossas riquezas naturais. Nesse sentido, o ato, para além de um momento de comemoração, será também um para debatermos os atuais desafios da luta anti-imperialista em nosso continente.”

Alca

O projeto do então presidente norte-americano Bill Clinton de uma área de livre comércio, em 1994, sofreu duras críticas de movimentos populares e anti-imperialistas em vários países americanos. Nos anos 2000, a “Campanha Continental Contra a Alca” contou com a adesão de milhares de pessoas e realizou um plebiscito, em 2002, que obteve 10 milhões de votos contra a iniciativa. Em 2005, a Alca foi arquivada pela Cúpula da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Brasil de Fato