Após posse, Temer participa do G20 na China em primeiro compromisso internacional

O presidente Michel Temer embarcou para a China, onde participará nos dias 4 e 5 de setembro do encontro do G20 – grupo das maiores economias do mundo – em seu primeiro compromisso oficial e internacional após a aprovação da agora ex-presidente Dilma Rousseff..

Temer terá um cenário importante para sua estreia internacional, pois no encontro estarão presentes os mais importantes líderes do mundo, como o presidente norte-americano, Barack Obama, e a nova primeira-ministra britânica, Theresa May.

Acompanham Temer o presidente do Senado, Renan Calheiros, e os ministros José Serra (Relações Exteriores), Henrique Meirelles (Fazenda), Blairo Maggi (Agricultura) e Maurício Quintella (Transportes). Durante o encontro estão previstos encontros bilaterais com os governantes de Itália e Espanha no dia 5.

Rodrigo Maia assume interinamente Presidência

Michel Temer transmitiu o cargo ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, na noite de quarta-feira (31), na Base Aérea de Brasília. Maia vai ocupar a Presidência da República interinamente durante a viagem de Temer a China. Temer retorna na terça-feira (6). Questionado como serão suas atitudes durante o período no comando interino do Palácio do Planalto, Maia disse que vai “presidir com muita discrição”.

Jornal do Brasil


Em viagem à China, Temer mira investimentos e reuniões do G20

Presidente se reunirá com chefes de Estado e de governo nos dias 4 e 5 de setembro, em Huangzhou; em Xangai, Temer participa de seminário que reunirá empresários e investidores.

O presidente da República, Michel Temer, realiza viagem oficial de 2 a 5 de setembro à China, onde se reúne com chefes de Estado e de governo na XI Cúpula do G20, na cidade de Hangzhou.

Antes do encontro, o presidente encerrará o Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China, evento promovido em Xangai pelo governo brasileiro que reúne empresários e investidores dos dois países. Em Hangzhou, Temer terá reunião com o presidente da China, Xi Jinping.

Em entrevista ao Portal Planalto, o ministro do Ministério das Relações Exteriores, José Serra, afirma que o presidente brasileiro e o chinês vão discutir o aumento do fluxo de comércio entre os países. Desde 2009, a China é o maior parceiro comercial do Brasil. “A perspectiva é ampliar e aumentar o valor adicionado das nossas exportações para a China”, declara.

Também em Hangzhou, Temer participará de uma reunião com os presidentes dos países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

A cúpula do G20, nos dias 4 e 5 de setembro, terá como um dos temas centrais a promoção do crescimento econômico inclusivo. Durante o encontro, os líderes do G20 vão apoiar a implantação da Agenda de Desenvolvimento 2030, com as Metas de Desenvolvimento Sustentável. O G20 reúne 85% da economia global e 75% da população do planeta.

O ministro José Serra destaca que o Brasil terá muito a contribuir nesse encontro, já que as questões climáticas e ambientais estarão entre os temas em debate. “Nós somos um país que vai bem nessa área, comparativamente ao resto do mundo. E vamos insistir bastante na questão do desenvolvimento sustentável”, diz.

A expectativa é de que os chefes de Estado e de governo das principais economias do mundo expressem, ainda, o compromisso político com medidas de curto prazo e reformas estruturais de médio prazo para superar a crise de 2008.

A cúpula terá cinco sessões e o presidente Temer está entre os líderes que abrirão a discussão dedicada ao desenvolvimento inclusivo e ao apoio do G20 à agenda 2030. Ele ainda discutirá com os chefes de Estado outros assuntos, como novos caminhos para o crescimento, governança econômica e financeira global, e comércio e investimentos internacionais.

Encontro empresarial

O seminário empresarial a ser realizado em Xangai tem foco nos setores de infraestrutura, agricultura, cooperação industrial, inovação e tecnologia.

O embaixador Carlos Márcio Bicalho Cozendey, subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Financeiros do Itamaraty (MRE), ressalta o interesse brasileiro nos investimentos chineses.

“A China tem uma experiência grande nessa área de infraestrutura, então tem manifestado interesse em participar de diversos projetos que estão previstos nos programas de concessões e esse seminário, então, vai ser uma oportunidade para apresentar esses projetos e gerar interesse nos empresários chineses”, afirma.

Planalto