Após cúpula na Índia, Temer chega a Tóquio para visita de três dias

Após passar os últimos dias em Goa (Índia), o presidente da República, Michel Temer, desembarcou por volta das 17h30 (horário de Brasília) desta segunda-feira (17) em Tóquio (Japão), onde permanecerá até quinta-feira (20).

Ao longo dos próximos dias, o presidente terá uma série de reuniões na cidade, incluindo encontros com o imperador Akihito, com o primeiro-ministro, Shinzo Abe, e com empresários.

Na Índia, Temer participou da Cúpula do Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Em um dos discursos que fez na cúpula, ele chegou a dizer que a economia brasileira “começa a entrar nos trilhos”.

Esta é a quarta viagem internacional do presidente desde que ele assumiu o cargo, em razão do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 31 de agosto.

A viagem de Temer ao Japão nesta semana é a primeira de um chefe de Estado brasileiro ao país em 11 anos. Em novembro de 2015, Dilma chegou a marcar uma viagem a Tóquio, mas a cancelou, o que gerou um mal-estar diplomático.

Na semana passada, em uma declaração a jornalistas, o ministro Kazuhiro Fujimura, da embaixada japonesa em Brasília, afirmou que entre os temas que deverão ser discutidos pelos japoneses com Temer estão a realização da Olimpíada em Tóquio, em 2020, e a reforma do Conselho de Segurança da ONU.

No país, acompanham o presidente a primeira-dama, Marcela Temer, e ministros, entre eles José Serra (Relações Exteriores) e Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços), além do secretário do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), Moreira Franco.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, cerca de 180 mil brasileiros vivem no Japão. Já no Brasil há, aproximadamente, 1,9 milhão de descendentes de japoneses. No ano passado, o intercâmbio comercial (exportações mais importações) foi de US$ 9,7 bilhões.

Índia

Na manhã desta segunda, no horário local de Goa, na Índia, Temer se reuniu com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e empresários dos dois países. Na ocasião, Temer afirmou que o Brasil passa por um “processo de transformação” e citou a PEC 241, que limita o aumento dos gastos públicos pelos próximos 20 anos.

“A retomada de crescimento econômico requer presença ativa no Brasil, não só internamente, mas nos principais mercados do mundo. Temos grande sintonia no sentido de manter o dinamismo econômico, criar empregos e controlar a inflação. Tive até a oportunidade de mencionar uma medida de natureza constitucional com o objetivo de controlar os gastos públicos”, discursou Temer.

Entre os acordos assinados nesta segunda entre o Brasil e a Índia, estão os que preveem cooperação na regulamentação de produtos farmacêuticos; no desenvolvimento do genoma bovino e de tecnologias de reprodução assistida; em em recursos genéticos, agricultura, zootecnia, recursos naturais e pesca.

O Globo