Agenda: Centrais promovem atos nas capitais em defesa dos direitos

Trabalhadores do Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia, Minas Gerais e Pernambuco, entre outros estados, confirmaram participação na jornada de lutas em defesa dos direitos sociais e trabalhistas que acontece nesta sexta-feira (25) em todo o país. Sob a iniciativa das centrais sindicais, os atos denunciam medidas de Temer que ameaçam deixar a população desassistida como as reformas da previdência social e trabalhista e a proposta de emenda constitucional que congela gastos públicos por 20 anos.

Na opinião de dirigentes da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) a unidade das entidades que representam os trabalhadores é fundamental no cenário atual. De acordo com os sindicalistas, a resistência nas ruas vai criar o caldo para impedir o desmonte das políticas sociais e conquistas históricas.

Contra o retrocesso

O vice-presidente da CTB em Minas Gerais (CTB-MG), José Antônio Lacerda, o Jota, defendeu a combinação de unidade e resistência nas ruas. “Somente a mobilização e a unidade vão barrar o avanço desse governo golpista”.

No Rio Grande do Norte, o presidente da CTB-RN, Moacir Soares, divulgou um vídeo convocando a classe trabalhadora do Estado. “Nós nos contrapomos a todo o retrocesso implementado pelo governo federal. Sabemos que há uma disputa muito grande entre capital e trabalho. E nós temos lado. O lado de quem sofridamente conseguiu avançar e vê hoje seus direitos sendo jogados na lata do lixo”, afirmou.

“Essa PEC (55) é um enorme retrocesso para o movimento sindical e para a sociedade brasileira. Um retrocesso que vai atingir as futuras gerações”, avaliou Edival Góes, presidente da CTB Sergipe (CTB-SE). A PEC 55, proposta por Michel Temer e tramitando no Senado Federal após ser aprovada na Câmara, congela as despesas primárias por 20 anos, cortando gastos com saúde e educação, que vivem em situação de subfinanciamento.

PEC da maldade

A PEC prejudicará a política de valorização do salário mínimo, resultado da reivindicação unitárias das centrais e concretizada nos governos dos presidentes Lula e Dilma. Nos últimos 13 anos, houve um incremento no salário mínimo o que trouxe um efeito positivo para a economia, principalmente nos municípios que dependem da renda dos aposentados.

“A PEC da maldade deixará de fazer essa correção e isso vai afetar diretamente a economia brasileira. Nós não acreditamos que os juros e os investimentos na Bolsa de Valores consigam segurar esse crescimento econômico que só ocorre quando há valorização do trabalho”, assegurou Edival.

“Reforçamos que é muito importante, que todos os sindicatos participem das atividades deste dia de luta. Precisamos ocupar as ruas e manter ativa a luta contra as ameaças de retirada de direitos, que está em curso no país. Só a mobilização da classe trabalhadora e dos movimentos sociais será capaz de barrar o desmonte do estado e a precarização das relações de trabalho no país”, ressalta o presidente da CTB Bahia (CTB-Ba), Aurino Pedreira.

Paralisações

Em Pernambuco, os dirigentes podem realizar também paralisações além da marcha que sairá da praça do Derby e caminhará até o centro da capital. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Carlos Veras, acredita que existem outros interesses por trás da aprovação da PEC 55.

“O congelamento dos investimentos cria um caos nos serviços públicos. O que está por trás disso é a privatização da saúde, da educação e das previdências”, afirmou. Ele também disse que a mobilização será em conjunto com todas as categorias no Estado. “Iremos parar Pernambuco do sertão ao litoral”, falou.

SERVIÇO*
Dia Nacional de Lutas – 25 de novembro

Minas Gerais
Local: Belo Horizonte
Praça Sete, às 10h

Bahia

Local: Salvador
Passeata sai as 8h30 da Universidade Federal da Bahia (Ufba) até o comércio.

Rio Grande do Norte

Local: Natal
Concentração às 8h nas imediações do shopping Midway (av. Bernardo Vieira, 3775 – Tirol), depois segue em caminhada no sentido governadoria.

Sergipe

Local: Aracaju
Protesto a partir das 6 horas, na frente do Tecarmo/Petrobras, na zona sul de Aracaju,

Pernambuco

Local: Recife
Concentração no Derby a partir das 15h com marcha prevista em direção à Avenida Conde da Boa Vista, no centro da capital

São Paulo

Local: São Paulo
Horário: 11h
Na porta da Superintendência Regional do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS) – Viaduto Santa Ifigênia, 266, Centro de São Paulo.

Ato BNDES
Horário: 14h
Local: Protesto no BNDES (Defesa do conteúdo Local – Obrigatoriedade de utilização de conteúdo local na produção de carros, maquinas e equipamentos), Av. Juscelino Kubitscheck, 510, Vila Nova Conceição.

Rio de Janeiro

Local: Rio de Janeiro
Horário: 17h
Ato unificado no final da tarde, na Candelária, com caminhada até a Cinelândia.

Santa Catarina
Local: Florianópolis
Concentração as 7h30 na praça da cidadania no Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para realização de passeata pelo campus.

Pará

Local: Belém
Horário: 16h
A concentração será na av. Presidente Vargas (em frente ao Teatro da Paz).

Goiás

Local: Goiânia
Praça do Bandeirantes. Também está prevista a realização de manifestações em portas de fábrica de Goiânia e Catalão.
Horário: 8h

Maranhão

Local: São Luis
Ato às 6h será realizado na Praça São Pedro, retorno do Bacanga, em São Luís. O ato terá por objetivo atingir a produção dos complexos industriais do Itaqui e Pedrinhas.

Paraná

Cascavel
Prevista a realização de assembleias nas portas de fábrica.
Horário: 16h30
Local: Ato político no portal da Prefeitura Municipal.

Rio Grande do Sul

Local: Porto Alegre
Horário: 18h
Esquina democrática, centro.

Ceará

Local: Fortaleza
Horário: 8h
Praça Portugal

Por Railidia Carvalho

* atos confirmados até esta quinta-feira(24)

Vermelho