Brasil: el Movimiento Sin Tierra abre la primera industria agrícola en el área de la reforma agraria

MST inaugura primeira agroindústria em área de Reforma Agrária no estado de Alagoas

Trabalhadoras e trabalhadores rurais Sem Terra comemoram na próxima sexta-feira (09), a inauguração da primeira agroindústria em área de Reforma Agrária, coordenado pelo MST, em Alagoas.

A agroindústria que beneficiará frutas e castanha de caju tem sua sede localizada no assentamento Maria Bonita, no município de Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas. O ato de inauguração está programado para iniciar às 9h da manhã, com a presença de assentados e acampados de todo o estado, além de representação dos movimentos sociais e autoridades de Alagoas.

“Esse é um momento muito importante para todos os que lutam pela Reforma Agrária. É um passo firme que o nosso movimento dá na geração de emprego e renda para as famílias assentadas da Reforma Agrária e pequenos agricultores da região”, reforçou Débora Nunes, da coordenação nacional do MST.

Segundo a coordenadora do movimento, que também integra o Setor de Produção do MST, a agroindústria deve gerar 38 empregos diretos e mais de 700 indiretos a partir da produção. Com área de 250 m², a agroindústria produzirá 16 produtos, entre doce em calda, doce em pasta, polpa de frutas e castanha de caju.

Gerida pela Cooperativa de Produção Agropecuária da Reforma Agrária no Sertão (CooperaSertão), a Agroindústria da Reforma Agrária, como será batizada, receberá produtos dos camponeses e camponesas da região e deve comercializar seus produtos beneficiados nos mercados convencional e institucional.

“Essa estrutura nada mais é que o resultado da luta e da organização dos trabalhadores e trabalhadoras Sem Terra”, destacou Nunes.

“E aqui não temos apenas mais uma estrutura de fabricação de polpa ou doce, aqui temos uma agroindústria comprometida com o desenvolvimento da vida de quem vive no campo, mas também com a garantia de levar produtos saudáveis para quem for consumir na cidade”. De acordo com Débora, toda a matéria-prima utilizada nos produtos da agroindústria não utiliza nenhum tipo de agrotóxico em seu cultivo.

“Queremos que os frutos dessa agroindústria chegue às prateleiras dos mercados de Alagoas, para que o consumidor veja que pode levar um fruto da agricultura camponesa para a sua casa”, disse. “Temos também o desafio de levar nossos produtos, a partir da cobrança e pressão aos poderes públicos municipais, ao cardápio da merenda escolar, através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Nossos filhos e filhas podem tomar um suco de caju saudável da Agroindústria da Reforma Agrária, ao invés de tomar sucos industrializados todos os dias na escola”.

A inauguração ainda deve contar com atrações culturais regionais, além do show especial do patrimônio vivo da cultura alagoana, Chau do Pife. Toda a programação acontecerá no próprio assentamento Maria Bonita, com estrutura montada na frente do prédio da agroindústria.

MST