Campaña de lucha contra la explotación sexual infantil durante la Copa

Promundo lança campanha de enfrentamento à exploração sexual comercial de crianças e adolescentes durante a Copa

A campanha  ’Não é curtição, é exploração sexual contra crianças e adolescentes’’ será lançada oficialmente no dia 26 de maio na Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), às 9h, e percorrerá 11 cidades brasileiras até o fim dos jogos da Copa do Mundo (Rio, São Paulo, Salvador, Fortaleza, Natal, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus e Recife), sendo que cinco delas (Rio, São Paulo, Salvador, Fortaleza e Natal) lideram o ranking da prática nociva aos jovens e crianças, segundo a Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SDH). Na ocasião do lançamento, também será apresentado o projeto Redes Corporativas, promovido pela SDH em parceria com a ONG Terra dos Homens, que conta com  157 empresas signatárias do Compromisso Corporativo de Enfrentamento à ESCCA.

O momento da Copa do Mundo sediada no país é oportuno para circulação da campanha, uma vez que a expectativa da chegada de cerca de 3,7 milhões de turistas, brasileiros e estrangeiros, e as situações de prática de abuso infantil tornam crianças e adolescentes mais vulneráveis. O dado é da Matriz Intersetorial e Copa do Mundo, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), organizado a partir dos dados do Disque 100.

Com peças gráficas, audiovisuais e digitais, a campanha tem como padrinho o ex-jogador Jorginho, que foi lateral direito da Seleção Brasileira campeã do Mundo em 1994 e atual técnico do Al Wasl, dos Emirados Árabes. Entre as peças da campanha, destacam-se a produção de três vídeos – com versões de 15″ e 30″ –, um hotsite, páginas nas redes sociais Twitter e Facebook, além de cartazes e cartões postais que serão fixados em bares e restaurantes das principais cidades-sede. A instituição também produziu 120.000 exemplares de um ‘Guia do Torcedor’, no qual se destacam uma entrevista exclusiva com Jorginho, informações sobre ESCCA, tabela de jogos e dicas para o turista aproveitar esse evento respeitando os direitos infantojuvenis. Os guias serão distribuídos durante as partidas de futebol do torneio perto de estádios e aeroportos.

Estudo realizado pelo Promundo em 2009, intitulada “Homens, Mulheres e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, buscando compreender a percepção de homens e mulheres sobre ESCCA mostra que a exploração sexual não é entendida como tal (nem como violência) por muitos entrevistados: 41% dos homens e 46% das mulheres entrevistados no Rio de Janeiro responsabilizam as crianças e adolescentes pelo sexo comercial e acham seu comportamento moralmente condenável. A naturalização do sexo de pessoas adultas com adolescentes, desde que haja envolvimento afetivo, também é um dado preocupante que aparece no estudo.

À partir destes dados, a campanha para a prevenção da ESCCA foi pensada com o objetivo de desnaturalizar comportamentos que legitimam essa violência e também para convocar a sociedade, em especial outros homens, à influenciar seus pares à prevenir a exploração sexual contra crianças e adolescentes.

“A campanha pretende desconstruir mitos que estão enraizados, que desculpabilizam práticas violentas e criminosas que são normalizadas por parte da população, e que violam os direitos humanos de meninos e meninas por todo o país. Por isso, estamos ocupando o momento de visibilidade nacional e internacional que a Copa do Mundo no Brasil traz, e achamos que este evento pode e deve deixar um legado de prevenção a essa violação”, explica Tatiana Moura, Diretora Executiva do Instituto Promundo.

http://www.promundo.org.br/noticias/promundo-lanca-campanha-de-enfrentamento-a-exploracao-sexual-comercial-de-criancas-e-adolescentes-durante-a-copa/