Con mayor ventaja de Dilma en últimos sondeos, Brasil elige este domingo entre dos proyectos

Ibope e Datafolha: Dilma lidera fora da margem de erro, mostram pesquisas

Nova pesquisa Ibope mostra que a presidenta Dilma Rousseff (PT) abriu uma vantagem de oito pontos percentuais à frente do rival Aécio Neves (PSDB). Segundo consulta divulgada nesta quinta-feira 23, enquanto a presidenta aparece com 54% das intenções de voto, o tucano mantém 46%. Trata-se da primeira vez na pesquisa Ibope do segundo turno que Dilma aparece à frente de Aécio.

Em relação à pesquisa anterior, do dia 15, a presidenta foi de 49% para 54%, enquanto Aécio foi de 51% para 46%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Para a pesquisa encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo, o Ibope ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 20 e 22 de outubro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01168/2014.

A vantagem de Dilma fora da margem de erro também se confirmou na pesquisa Datafolha desta quinta-feira 23. Enquanto a petista aparece com 53% das intenções de voto, o tucano apresenta 47%. Trata-se da primeira vez, na pesquisa, que a candidata à reeleição aparece com vantagem fora da margem de erro de dois pontos para mais ou para menos.

Em comparação com a última pesquisa, divulgada no último dia 21, a presidenta cresceu um ponto percentual, enquanto o ex-governador de Minas Gerais caiu um ponto.

A pesquisa Datafolha também mostra aumento da taxa de rejeição de Aécio Neves. Dos entrevistados, 41% dos eleitores afirmam que não votam em Aécio “de jeito nenhum”. Em duas semanas, a rejeição do candidato tucano subiu sete pontos, em comparação aos 34% de 9 de outubro. Já a taxa de rejeição de Dilma caiu para 37%, seis pontos a menos do que o registrado há duas semanas (43%).

Além disso, a consulta indica recuperação na avaliação em relação ao governo Dilma. Segundo a consulta, 44% julgam a administração da petista “boa ou ótima”, contra 42% do levantamento anterior. O número atual retrata o melhor patamar desde junho de 2013, quando a aprovação da presidenta despencou de 57% para 30%.

A consulta, encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela TV Globo, ouviu 9.910 eleitores em 399 municípios entre os dias 22 e 23 de outubro. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-01162/2014.

Carta Capital

 

AÉCIO MINIMIZA SONDEOS Y AFIRMA QUE GANARÁ LAS ELECCIONES

El candidato del Partido de la Social Democracia Brasileña (PSDB) a la Presidencia, Aécio Neves, minimizó los sondeos electorales, que lo mostraron por detrás de la candidata oficialista Dilma Rousseff, que busca la reelección. El socialdemócrata también criticó el nivel de la campaña y garantizó que será el vencedor el próximo domingo (26).

Aécio dio una rueda de prensa en la tarde de este jueves en el comité de campaña de Río de Janeiro del PSDB.

Sobre las encuestas, el candidato recordó que los resultados de la primera vuelta mostraron una distancia muy grande entre la voluntad del elector y lo que los sondeos mostraban.

“Yo veo los sondeos como un estímulo a nuestros compañeros y compañeras que quieren un cambio. Estén alertas y atentos porque tenemos todas las oportunidades de ganar. Yo no me detengo a evaluar los sondeos. Quiero reafirmar que, así como yo llegue a la segunda vuelta, el próximo domingo , vamos a vencer las elecciones y a escribir una nueva página en la historia de Brasil”, dijo Aécio, acompañado de su hija Gabriela.

“En el futuro, esta campaña será considerada la de más bajo nivel en comparación a todas las que tuvimos desde la redemocratización. La campaña conducida por nuestros adversarios es la más sórdida y mentirosa de todas. Hoy mismo están siendo presas personas con boletines falsos, con infamias, con acusaciones irresponsables en relación a mi, a mi familia”, agregó.

De acuerdo con el candidato, este jueves surgieron denuncias sobre mensajes de telemarketing asustando y aterrorizando a las personas beneficiadas por el programa social Bolsa Familia. “Quien actúa de forma tan sórdida como esa, no está preparado para la democracia, y teme el resultado de las elecciones”, afirmó Aécio.

Anunció que, de ser electo, extenderá el horario de las guarderías y escuelas infantiles públicas hasta las 20 horas y ampliará el tiempo de licencia por maternidad para madres que tuvieron hijos con problemas. De acuerdo a la propuesta, el tiempo de licencia sólo comenzará a ser contado cuando el bebé deje la maternidad.

El candidato del PSDB permanecerá en Río grabando programas electorales.

El viernes tiene previsto participar en el último debate de la campaña, en la noche, en Rede Globo.

Brasil 247

 

Dilma afirma que tomada de consciência explica ‘virada visível’

A presidenta da República, Dilma Rousseff, atribuiu hoje (23) ao debate de ideias e à comparação de projetos o crescimento de sua candidatura à reeleição e a perda de votos de seu adversário no segundo turno, Aécio Neves (PSDB). Durante entrevista coletiva no Rio de Janeiro, a petista evitou comentar diretamente pesquisas que a colocam entre seis e oito pontos à frente do oponente, mas avaliou que a conjuntura eleitoral lhe é favorável.

“Eu acho que acontece isso nas eleições. Eu acho que amplia a consciência, amplia a adesão das pessoas e a convicção que elas assumem. Acho que é um movimento mais popular do que partidário”, afirmou. “Acontece isso nas eleições. Amplia a consciência, amplia a adesão das pessoas, a convicção, e elas assumem um rumo. Acho que é um movimento mais popular do que partidário.”

Dilma lamentou ainda o conflito ocorrido hoje no centro de São Paulo, em frente ao Teatro Municipal, entre militantes do PT e do PSDB. “Acho normal que você tenha um debate mais claro do que em outros momentos. Agora, conflitos físicos nós temos de repudiar, temos de alertar que não pode ocorrer. É de todo oportuno que tenhamos uma postura de tranquilidade neste momento.”

Questionada por um repórter se a postura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que chamou Aécio de “playboy”, colabora para que ocorra um acirramento entre os lados em disputa, Dilma reagiu: “Você acha correto alguém me chamar de leviana?”, indagou, em referência ao debate de segundo turno realizado pelo SBT na última semana, quando Aécio tachou Dilma de “leviana”, “incompetente” e “conivente” com a corrupção. “Sou presidente da República. Sou mulher, mãe e avó. Então, vamos ter calma e tranquilidade.”

Ao mesmo tempo, ela expôs a ideia de que o clima de agressividade deve ser entendido como um aspecto isolado, e que no geral a população tem participado de sua campanha em clima de comemoração. “Queria fazer um apelo para que não se crie um fantasma e não se torne isso um problema que não existe. Um conflito aqui é um conflito aqui. Não é um conflito em toda a eleição.”

Também no Rio, Aécio Neves tentou imputar ao PT o clima de hostilidade na campanha, culpando particularmente Lula pela questão. “No futuro, essa campanha será tida como a de mais baixo nível de todas as que tivemos desde a redemocratização. A campanha conduzida por nossos adversários é a mais sórdida e mentirosa de todas. Hoje mesmo estão sendo presas pessoas com boletins falsos, com infâmias, com acusações levianas em relação a mim, à minha família.”

Durante ato de rua na capital fluminense, Dilma preferiu destacar o crescimento do nível de empregos nos últimos 12 anos. Hoje foi divulgada a taxa de desemprego de setembro, de 4,9%, segundo o IBGE, o nível mais baixo da série histórica iniciada em 2002. O número estimado de desempregados, de 1,183 milhão, não se alterou no mês passado e caiu 10,9% na comparação anual, com 145 mil a menos em 12 meses.

“O aumento do salário e a redução do desemprego são as duas principais conquistas do meu governo e do (governo do) presidente Lula. Nesse período (2003-2014), enquanto o mundo desempregou 60 milhões de trabalhadores, criamos 20 milhões de postos de trabalho. Na crise, fala-se da perda de 100 milhões de postos de trabalho. Nesse período, criamos 12 milhões de postos”, disse.

Rede Brasil Atual