En encuentro con artistas, Dilma llama a seguir “por el camino de la democracia”

A presidente Dilma Rousseff afirmou na noite desta terça-feira (9) que é preciso continuar “trilhando o caminho da democracia”. Ela discursou para uma plateia formada, principalmente, por integrantes da classe artística, durante a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural de 2015, que ocorreu no Palácio do Planalto.

“Nós, brasileiros e brasileiras, vivemos um momento especial. Estamos diante da tarefa de continuar trilhando caminho da democracia, o caminho da tolerância, do respeito às diferenças e da convivência democrática e solidária. Vocês, agraciados pela Ordem do Mérito Cultural, são fundamentais para o sucesso dessa tarefa”, declarou a presidente.

Dilma não especificou qual é o “momento especial” pelo qual o país passa. Na Câmara dos Deputados, tramitam pedidos de abertura de processo de impeachment da presidente. Cabe ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidir se acolhe esses pedidos ou não. O impeachment também tem sido tema de manifestações de rua contra a presidente.

Em seu discurso, Dilma também citou trecho da música “Um índio”, de Caetano Veloso, que fez apresentação durante a cerimônia no Palácio do Planalto. “Eu usarei as palavras da música do Caetano Veloso: esse mundo que estamos construindo ‘virá que eu vi'”.

Augusto de Campos
O evento de entrega da Ordem do Mérito Cultural deste ano tem como homenageado especial o poeta Augusto de Campos. Ao todo, de acordo com o Palácio do Planalto, 32 personalidades, grupos artísticos, iniciativas ou instituições receberam a condecoração. Entre eles, estão Arnaldo Antunes e Daniela Mercury.

O poeta Augusto de Campos, homenageado especial no evento, declarou que se sente honrado e fez elogios à postura da presidente Dilma Rousseff. Para ele, a presidente “tem resistido” a “tentativas impatrióticas”.
“Estou particularmente grato pela oportunidade que tenho de conhecer pessoalmente e de manifestar minha solidariedade à presidenta Dilma Rousseff, de quem sempre fui admirador pela postura que ela teve durante o golpe militar e pela bravura e pela firmeza com que tem resistido também às tentativas, para mim, impatrióticas, de atentar de alguma forma contra a estabilidade do nosso regime democrático”, afirmou a jornalistas.

O evento também contou com show de Caetano Veloso, que cantou cinco músicas: “Tropicália”, “Elegia”, “Língua”, “Um índio” e “Alegria, Alegria”. O artista, no entanto, não discursou nem falou com a imprensa durante o evento.

g1.globo


VOLVER