La prensa brasileña destaca que el papa Francisco rechazó la invitación de Temer para visitar Brasil

Brasil: carta del Papa al presidente: “No visitaré el país, pero no se olviden de los pobres”

El presidente de Brasil, Michel Temer, lo invitó a visitar el gigante latinoamericano este año, en ocasión de los 300 años de las apariciones de Aparecida, pero papa Francisco aprovechó la carta de respuesta para llamar la atención sobre otra cuestión: las reformas que el gobierno brasileño está tratando de aprobar en materia económica para volver a dar confianza a los grandes inversores extranjeros. Pero las consecuencias podrían pesar sobre las franjas más débiles y pobres de la población.

El Papa le pidió al jefe de Estado que evite empeorar la situación, y citó algunos pasajes de su exhortación apostólica «Evangelio Gaudium», invitando a «no confiar en las fuerzas ciegas y en los brazos invisibles del mercado».

La carta del Papa fue publicada por el periodista Gerson Camarotti en su blog globo.com. La retomó en Italia el sitio especializado en cuestiones vaticanas Il Sismografo. En ella se lee: «Estoy bien consciente de que la crisis que está pasando el país no se puede resolver de manera simple, puesto que tiene raíces sociales, políticas y económicas, y no le toca a la Iglesia o al Papa ofrecer una receta para resolver algo tan complejo».

«Sin embargo —subrayó Francisco— no puedo no pensar en todas las personas, sobre todo las más pobres, que a menudo son completamente abandonadas y que son las que pagan el precio más amargo y lacerante de soluciones a la crisis demasiado fáciles y superficiales, que no van más allá de la simple esfera financiera».

Bergoglio declinó la invitación del presidente a visitar Brasil, debido a los compromisos que ya tiene para todo este año. Pero aseguró que sigue con gran preocupación el desarrollo del país y que reza constantemente por el bien de la nación y para que pueda salir lo antes posible de esta delicada fase de transición y de crisis.

La Stampa


Em carta, Papa diz a Temer que crise no Brasil não é de fácil solução

Em carta enviada recentemente ao presidente Michel Temer, o Papa Francisco afirmou que a crise que o Brasil enfrenta não é de fácil solução. Relatos obtidos pelo blog de pessoas que tiveram acesso ao texto indicam que Francisco não tomou posição partidária sobre o momento político do país.

“Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, escreveu o Papa num trecho da carta.

Em seguida, Francisco faz uma reflexão sobre a situação social do Brasil. “Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”.

O Papa respondeu uma carta enviada por Temer no ano passado, já depois de concluído o processo de impeachment. Na ocasião, o presidente fez um convite formal para que Francisco visitasse o Brasil para as comemorações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida em 2017.

Francisco escreveu no texto que, por causa da agenda intensa, não poderia visitar o Brasil. Em janeiro, o Blog já havia adiantado que o Papa não viria ao Brasil em 2017.

O Papa afirmou ainda que inclui o Brasil de modo especial em suas orações e ressaltou um pedido feito a Nossa Senhora Aparecida quando inaugurou a imagem da padroeira do Brasil nos Jardins do Vaticano no ano passado. Na ocasião, o Francisco pediu que Aparecida continue a proteger o país e o povo brasileiro “neste momento triste”.

Ele disse ainda que acompanha com atenção os acontecimentos no Brasil, que ele chama de amada Nação e lembrou do encontro com Temer na despedida da viagem que fez ao Brasil em 2013, quando afirmou que já começava a sentir saudades do Brasil.

O Papa também citou a primeira exortação apostólica que ele escreveu, intitulada “A Alegria do Evangelho”. No texto aos católicos, o Francisco afirmou que “não podemos mais confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado” e lembrou que o crescimento equitativo exige algo mais do que o crescimento econômico.

O Globo


Nota da Sala de Imprensa Vaticana sobre carta do Papa a Michel Temer

A Sala de Imprensa da Santa Sé confirma que “dias atrás o Santo Padre enviou uma carta pessoal ao Presidente do Brasil. A missiva não foi publicada por ter caráter privado”, afirma o comunicado.

A direção da Sala de Imprensa vaticana acrescenta “tratar-se da resposta do Papa a uma carta do Sr. Michel Temer na qual o Chefe de Estado convidava o Pontífice a visitar o Brasil em 2017 por ocasião dos 300 anos de Aparecida. O Papa respondeu infelizmente não poder ir porque outros compromissos não lhe permitiam”.

“Ademais, como o próprio Presidente Temer em sua carta fazia referência a seu compromisso no combate aos problemas sociais do país, o Papa ressalta tal aspecto e encoraja a trabalhar pela promoção dos mais pobres”, lê-se no comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Radio Vaticana