Brasil: pequeños agricultores convocan protestas contra la reforma del sistema de pensiones

Pequeños agricultores de Brasil convocan a bloquear carreteras

El Movimiento de Pequeños Agricultores (MPA) de Brasil llamó ayer a bloquear las carreteras del país en la primera semana de diciembre, para protestar contra la reforma del sistema de pensiones que impulsa el presidente Michel Temer.

En la convocatoria, que insta además a realizar ayunos públicos, la organización gremial advierte que la retirada de los campesinos del nuevo proyecto que se someterá a votación en la Cámara de Diputados busca solo conseguir los votos de aquellos legisladores que tienen sus bases electorales en las regiones rurales.

Es, además, una trampa para dividir la resistencia y la unidad de la clase trabajadora contra esa reforma y en definitiva aprobarla en dos partes: primero contra los urbanos y más tarde contra los rurales, subraya.

El MPA ‘no acepta la maniobra del Gobierno Golpista. Vamos a cerrar filas junto con todos los compañeros y compañeras urbanos y sus organizaciones de clase para impedir esa votación y derrotar la reforma en la Cámara’, insiste.

También llama a todas sus bases a sumarse a la huelga general convocada para el cinco de diciembre por las ocho principales centrales sindicales brasileñas.

Desde ya todos los sindicatos y movimientos sociales deben iniciar un fuerte proceso de movilización para preparar un gran día de paralización nacional, coincidieron en indicar los líderes de las organizaciones que organizarán la protesta, reunidos el viernes último en Sao Paulo.

El llamado a la huelga fue suscrito por la Central Única de los Trabajadores (CUT), Intersindical, la Central de los Trabajadores y Trabajadoras de Brasil (CTB), la Central de los Sindicatos Brasileños (CSB), Fuerza Sindical, Nueva Central , la Unión General de los Trabajadores (UGT) y la Central Sindical y Popular /Conlutas (CSP).

En un artículo publicado esta semana, el presidente nacional de la CUT, Vagner Freitas, alertó que ‘si el Congreso se mete con las pensiones Brasil va a parar’.

Tras criticar el desespero del gobierno golpista de Temer por entregar a sus financiadores cualquier reforma en ese sentido, el dirigente sindical señaló que por ‘enjuta’ que sea la nueva propuesta será tan mala como la anterior, en especial para quienes viven de la agricultura familiar.

La clase trabajadora está en estado de alerta y si intentan acabar con la jubilación, vamos a parar el país y a denunciar a todos los diputados y senadores que traicionaron a los trabajadores brasileiros, dijo y anticipó que en 2018 (cuando se realizarán las elecciones) muchos de esos legisladores tendrán que vestir el pijama.

Según previó el titular de la Cámara de Diputados Rodrigo Maia, la nueva propuesta de reforma del sistema de pensiones elaborada por Temer deberá ser sometida a votación por el plenario de esa Casa el 6 de diciembre venidero.

Prensa Latina


MPA Convoca Trancamento De Rodovias E Jejum Público Contra Reforma Da Previdência

Os camponeses e camponesas do MPA em todo país convocam trancamento de rodovias e jejum público durante a primeira semana de dezembro deste ano, 2017, como fator de pressão e mobilização da Classe para derrotar o Capital e o Governo golpista. A convocatória dá-se diante da votação da Reforma da Previdência pela Câmara Federal e a proposição do relator de retirar os trabalhadores rurais da proposta encaminhada para votação.

Confira a posição do MPA:

Votação da Reforma da Previdência

Posição do MPA­

Diante da votação da Reforma da Previdência pela Câmara Federal e a proposição do relator de retirar os trabalhadores rurais da proposta encaminhada para votação, o MPA, reunido em sua Coordenação Nacional, toma a seguinte posição:

1 – A retirada dos Rurais da proposta para votação é uma armadilha com o objetivo de conseguir votos de deputados que tem base eleitoral nas regiões rurais do país;

2 – É também uma armadilha para dividir a resistência e a unidade da classe trabalhadora para aprovar a reforma em duas partes: primeiro os urbanos e depois os rurais;

3 – O MPA não aceita a manobra do Governo Golpista. Vamos cerrar fileiras junto com todos os companheiros e companheiras urbanos e suas entidades de classe para barrar esta votação e derrotar a reforma na Câmara;

4 – O argumento de que “os rurais estão fora”, não nos convence. Os filhos, netos, irmãos e parentes dos camponeses estão nas cidades e serão atingidos, atingindo toda a classe;

5 – Convocamos todas as bases do MPA a se somar na Greve Geral convocada pelas Centrais Sindicais para o dia 05 de dezembro, bloqueando rodovias e outros atos de protesto;

6 – O MPA fará, nos locais onde puder, JEJUM PÚBLICO durante a primeira semana de dezembro como fator de pressão e de mobilização da classe para derrotar o Capital e o Governo golpista.

Vila Valério, Espírito Santo. 26 de novembro de 2017.

Coordenação Nacional do Movimento dos Pequenos Agricultores

MPA Brasil


Eunício a Maia: Senado discutirá reforma da Previdência em fevereiro se Câmara aprovar texto enxuto em 2017

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o Senado pode iniciar os trabalhos em fevereiro, após o recesso legislativo, com a discussão da reforma da Previdência, se a Câmara aprovar o texto enxuto da proposta até o fim de 2017.

A conversa aconteceu durante encontro neste domingo (26) na residência oficial do presidente da Câmara. Maia também convidou o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio.

Ao blog, Eunício disse que Maia tentará colocar a reforma da Previdência para votação na Câmara entre os dias 7 e 15 de dezembro. “Aí no Senado não dá mais tempo para discutir neste ano. Mas, se for a proposta enxuta, com aqueles pontos como transição, idade mínima e retirar privilégios, a gente abre o ano em 2018 com a discussão da reforma no Senado”, afirmou o presidente do Senado.

Eunício disse também que Maia deve instalar nesta semana a comissão especial que discute o fim do foro privilegiado na Câmara. O projeto já foi aprovado no Senado e na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. O próximo passo é exatamente a instalação da comissão especial – depois, a votação em dois turnos no plenário da Câmara – o que só acontecerá, se ocorrer, em 2018.

O presidente do Senado propôs, durante o encontro com Maia, uma pauta conjunta para fevereiro entre as duas Casas. “A gente abre com a Previdência e com a discussão sobre a segurança pública, uma pauta conjunta”.

Eunício fez ainda um apelo a Maia para que ele aprove a proposta que regulamenta os prazos de medidas provisórias do Congresso Nacional. O presidente da Câmara, segundo o senador, tentará votar até o fim do ano.

O Globo