Brasil: Temer minimiza declaraciones de militares y habla de “libertad de expresión”

292

Para Temer, declaração de comandante do exército foi “liberdade de expressão”

Michel Temer minimizou as declarações do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que disse que a instituição militar “julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade”, em uma espécie de pressão para que o Supremo Tribunal Federal (STF) vote nesta quarta-feira (4) de forma contrária ao habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para Temer, o general fez uso da “liberdade de expressão”.

“O que dá estabilidade ao país é o cumprimento rigoroso da Constituição, daquilo que a soberania popular no Brasil conduziu”, disse Temer. “A ordem jurídica é que estabelece as relações sociais, que regula as relações sociais”, completou em seguida. Para ele, “a Constituição foi pródiga nessa matéria. Enfatizou em várias passagens a liberdade de informação em consequência a liberdade de imprensa. É da ordem jurídica que nasce a liberdade de expressão e de imprensa”.

Após a declaração de Villa Bôas no Twitter, feita nesta terça-feira (3), diversos generais da reserva e da ativa também se manifestaram prestando apoio ao comandante e um deles chegou a afirmar que “tinha a espada ao lado” e que “aguardava ordens”. Por meio de nota, o Ministério da Defesa disse que o comandante do Exército “mantém a coerência e o equilíbrio”, “reafirmando o compromisso da Força Terrestre com os preceitos constitucionais, sem jamais esquecer a origem de seus quadros que é o povo brasileiro” e que ele havia manifestado “sua preocupação com os valores e com o legado que queremos deixar para as futuras gerações”.

Brasil247

Más notas sobre el tema