El expresidente José Pepe Mujica visitó a Lula en prisión

Pepe Mujica: Encontré a Lula preocupado por el destino de Brasil

El expresidente de Uruguay, José Pepe Mujica, manifestó que encontró al expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva muy preocupado por el destino de Brasil.

Luego de su visita a la prisión donde se encuentra detenido Lula, Mujica indicó que Lula se encuentra preocupado “como no puede ser de otra manera” por el futuro de Brasil y de América.

Mujica señaló que Lula fue muy cordial y que hace tiempo que no lo veía, al tiempo que destacó la consideración del brasileño con los países pequeños de América Latina cuando fue presidente.

Asimismo, expresó que su deseo es que Brasil pueda superar sus problemas, “si Brasil anda bien nosotros andamos bien, pero si anda mal nosotros también”.

“Los que más me preocupa es que el pueblo brasileño pueda enfrentar su futuro sobrellevar sus contradicciones, no perder su alegría y no caer en la confrontación”, apuntó el exmandatario uruguayo.

 

Pepe Mujica chega a Vigília Lula Livre para visitar Lula

Publicado por Lula en Jueves, 21 de junio de 2018

Destacó que los latinoamericanos necesitan astucia para el mundo que va a venir “para tener vínculos porque sino en el mundo que viene no existimos, debido a que no somos ni el diez por ciento de la economía mundial”.

Al llegar a la vigilia que mantienen por Lula en Curitiba, donde se encuentran movimientos sociales para exigir y expresar su apoyo a la liberación de Lula, Pepe Mujica expresó que “Lula son todos, todos los que tienen problemas en América Latina, no se olviden”.

Telesur


Após encontro na PF, Mujica diz que Lula está mais magro, mas com “bom ânimo”

O ex-presidente uruguaio José “Pepe” Mujica disse nesta quinta-feira (21) que encontrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde o dia 7 de abril, com “muito bom ânimo” e “alguns quilos a menos”.

Mujica visitou Lula na sede da Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba ao lado da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman (PR). Segundo o ex-governante uruguaio, Lula está lendo muitos livros e está preocupado com o destino do Brasil e da América Latina.

“[Foi uma visita] muito cordial. Fazia tempo que não o via”, disse Mujica, que afirmou ter conversado com Lula sobre a “preocupação com o que se passa na América”.

“Eu pertenço a um pequeno país, e quando Lula foi presidente deste país gigantesco, teve uma atitude de muita consideração aos países pequenos da América Latina”, afirmou.

Questionado sobre o que pensa do atual cenário político no Brasil, Mujica afirmou: “Não penso, vejo. Me faço perguntas e tenho incerteza. O que mais me preocupa é que o povo brasileiro pode direcionar seu futuro, enfrentar suas contradições, não perder sua alegria e não cair em uma confrontação penosa”.

O ex-presidente uruguaio ainda disse que seu desejo de que o Brasil supere seus problemas não é “gratuito”, já que o Uruguai se encontra entre os “gigantes” Brasil e Argentina –e que, quando um deles se resfria, os uruguaios se gripam.

“Se o Brasil está bem, nós também estamos bem. Mas se o Brasil está mal, nós também estamos mal”, disse. “Minha pátria se chama América Latina”.

Mujica, que hoje é senador, ocupou o cargo de presidente do Uruguai de 2010 a 2015. Nas décadas de 1960 e 70, foi guerrilheiro do movimento tupamaro, que lutou contra a ditadura militar no Uruguai. Nesse período, ele foi preso pelo menos quatro vezes e passou, no total, quatorze anos de sua vida atrás das grades.

Pouco antes de Mujica entrar na PF para ver Lula, o PT divulgou um vídeo em que o ex-governante uruguaio diz que podem prender o corpo do petista, mas não seu coração e sua cabeça. O discurso é semelhante ao que foi dito pelo próprio Lula antes de ser preso, quando o petista afirmou que não poderiam aprisionar suas ideias.

“Existe um slogan por aí que diz ‘Lula livre’. Na verdade, sua cabeça nunca pode ser presa. Podem prender seu corpo, mas não seu coração, sua cabeça”, diz Mujica na mensagem gravada.

Mujica sobre Lula

Pepe Mujica irá visitar Lula esta tarde. O ex-presidente do Uruguai ficou preso por 14 anos, sete dos quais em uma solitária. Saiu da prisão sem ódio nem rancor e foi um grande presidente. Esta é sua mensagem para #Lulalivre

Vídeo: Ricardo Stuckert

Publicado por PT – Partido dos Trabalhadores en Jueves, 21 de junio de 2018

A última vez em que Mujica e Lula se encontraram foi durante a caravana do petista pela região sul do país, no mês de março. Os ex-presidentes participaram de um ato político em Santana do Livramento (RS), que faz fronteira com a cidade de Rivera, no Uruguai.

Na ocasião, em seu discurso, Mujica disse que a militância não teria o petista “eternamente”. A declaração foi dada dentro de uma análise crítica da atuação política da esquerda, na qual Mujica defendeu que é necessário fortalecer os partidos e não depender de uma só liderança.

“Mas digo ao PT e à força de esquerda: as mudanças não se podem respaldar em uma única figura. Porque, amanhã, não está a figura. E a luta continua”, disse Mujica. “Sorte que vocês têm Lula. Mas não o terão eternamente, e a luta dura. Tem que gerar gerações de militantes e de lutadores sociais, e construir, coletivamente, ou aprender a perdoar-se quando cometem erro.”

Gleisi e Lula trataram sobre campanha
Após encontrar-se com Lula na PF, a senadora Gleisi Hoffmann disse, em entrevista a jornalistas, que sua visita foi para tratar sobre atividades e materiais para a pré-campanha do petista à Presidência da República.

Segundo Gleisi, Lula “pediu e deu” orientações sobre a campanha. A senadora afirmou ainda que ele pediu atenção especial para as propostas da área econômica. Segundo ela, o ex-presidente irá escrever toda semana uma carta ao povo brasileiro.

“Ele vai escrever toda semana ao Brasil sobre temas que ele acha importante para passar sua mensagem, sua proposta”, disse.

Condenado em segunda instância, Lula se encontra, em tese, inelegível pela Lei da Ficha Limpa. O PT, no entanto, insiste que Lula será o candidato do partido para a eleição presidencial deste ano.

Noticias UOL


Moro agenda interrogatório de Lula no caso sítio para 11 de setembro

O juiz federal Sérgio Moro marcou para o dia 11 de setembro o terceiro interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Operação Lava Jato. Desta vez, o petista vai falar em ação penal que responde por supostas propinas de R$ 1 milhão referentes às reformas do sítio em Atibaia.

O interrogatório do acusado marca a fase final da ação penal, em que restam apenas, depois, as alegações finais das defesas e Ministério Público, antes de ser proferida a sentença.

O caso envolvendo o sítio representa a terceira denúncia contra Lula no âmbito da Operação Lava Jato. Segundo a acusação, a Odebrecht, a OAS e também a empreiteira Schahin, com o pecuarista José Carlos Bumlai, gastaram R$ 1,02 milhão em obras de melhorias no sítio em troca de contratos com a Petrobrás. A denúncia inclui ao todo 13 acusados, entre eles executivos da empreiteira e aliados do ex-presidente, até seu compadre, o advogado Roberto Teixeira.

O imóvel foi comprado no final de 2010, quando Lula deixava a Presidência, e está registrado em nome de dois sócios dos filhos do ex-presidente, Fernando Bittar – filho do amigo e ex-prefeito petista de Campinas Jacó Bittar – e Jonas Suassuna. A Lava Jato sustenta que o sítio é de Lula, que nega.

Estadao


VOLVER