Bolsonaro llega a Brasilia para el proceso de transición y anuncia su equipo

92

Bolsonaro inicia transición presidencial en Brasilia

El presidente electo de Brasil, Jair Bolsonaro, desembarca este martes en Brasilia para iniciar el proceso de transición, que incluye su primera reunión con el mandatario Michel Temer.

“Esta semana damos otro gran paso con el inicio del funcionamiento del grupo de transición de gobierno, absorbiendo informaciones para la reestructuración de Brasil”, tuiteó Bolsonaro el lunes por la mañana, citó AFP.

Bolsonaro, que aún carga una bolsa de colostomía por una puñalada en el abdomen que recibió el 6 de septiembre, fue electo el 28 de octubre con 55% de los votos frente al izquierdista Fernando Haddad (45%).

Se espera que Bolsonaro participe el martes junto a los líderes del Congreso en un acto conmemorativo de los 30 años de la Constitución de 1988 y que el miércoles se reúna con Temer en el Palacio presidencial de Planalto.

El futuro jefe de gabinete, Onyx Lorenzoni, se encuentra en la capital desde el lunes para reunirse con Eliseu Padilha, principal ministro y mano derecha de Temer.

Lorenzoni fue nombrado oficialmente el lunes “ministro extraordinario” para coordinar el equipo de transición que trabajará en las instalaciones del Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a unos 3 km de Planalto, en Brasilia.

En la primera semana desde la elección de Jair Bolsonaro, se hicieron públicos los nombres de cinco futuros ministros.

El último, y el de mayor impacto mediático, fue el del popular juez anticorrupción Sergio Moro, responsable de la Operación Lava Jato y autor de la condena al expresidente Lula, que aceptó el puesto de ministro de Justicia.

Los otros son el astronauta Marcos Pontes, designado al frente de la cartera de Ciencias; el general de reserva Augusto Heleno Ribeiro en Defensa; Lorenzoni en la Casa Civil (jefatura de gabinete) y el economista ultraliberal Paulo Guedes al frente de un superministerio de Economía.

El Universal


Veja os nomes que integram a equipe de transição de Bolsonaro

A equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deu início à fase de transição de governo em Brasília, nesta segunda-feira (5).

O presidente Michel Temer nomeou uma equipe de 28 nomes indicados por Bolsonaro para compor o gabinete de transição de governo.

A lista dos indicados, todos homens, que receberão salários que irão variar de R$ 2.585 a R$ 16.215, foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. Do total, cinco foram designados sem remuneração.

Veja os nomes que compõem a lista de transição:

ECONOMIA

ARTHUR BRAGANÇA WEINTRAUB
Professor da Unifesp e especialista em direito previdenciário
Salário: R$ 13.036,74

ROBERTO DA CUNHA CASTELLO BRANCO
Ex-diretor da Vale e ex-conselheiro da Petrobras
Salário: R$ 9.926,60

CARLOS VON DOELLINGER
Economista da UFRJ
Salário: R$ 9.926,60

BRUNO EUSTÁQUIO FERREIRA CASTRO DE CARVALHO
Diretor do PPI
Salário: R$ 9.926,60

SÉRGIO AUGUSTO DE QUEIROZ
Procurador da Fazenda Nacional
Salário: R$ 9.926,60

CARLOS ALEXANDRE JORGE DA COSTA
Ex-diretor do BNDES
Salário: R$ 9.926,60

PAULO GUEDES
Economista e anunciado como ministro da Fazenda
Salário: R$ 16.215,22

ABRAHAM BRAGANÇA WEINTRAUB
Professor da Unifesp e especialista em direito previdenciário
Salário: R$ 13.036,74

JONATHAS ASSUNÇÃO NERY DE CASTRO
Diretor do PPI
Salário: R$ 9.926,60

WALDERY RODRIGUES JUNIOR
Coordenador da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda
Salário: sem remuneração

ADOLFO SASCHIDA
Pesquisador do Ipea
Salário: sem remuneração

MARCOS CINTRA
Economista e ex-deputado
Salário: sem remuneração

ALEXANDRE YWATA
Ex-diretor do Ipea
Salário: sem remuneração

MILITARES

PAULO ROBERTO
Tenente-coronel dos Bombeiros
Salário: R$ 9.926,60

AUGUSTO HELENO RIBEIRO PEREIRA
General e anunciado como ministro da Defesa
Salário: R$ 16.215,22

LUIZ TADEU VILELA BLUMM
Coronel do Corpo de Bombeiros
Salário: R$ 9.926,60

WALDEMAR GONÇALVES ORTUNHO JUNIOR
Coronel reformado do Exército
Salário: R$ 9.926,60

POLÍTICOS E OUTROS

MARCOS AURÉLIO CARVALHO
Empresário e sócio-fundador da agência digital AM4
Salário: R$ 9.926,60

MARCOS CÉSAR PONTES
Astronauta e anunciado como ministro da Ciência e Tecnlogia
Salário: R$ 13.036,74

LUCIANO IRINEU DE CASTRO FILHO
Engenheiro especialista em energia
Salário: R$ 9.926,60

PAULO ANTÔNIO SPENCER UEBEL
Ex-secretário municipal de Gestão de São Paulo
Salário: R$ 9.926,60

GUSTAVO BEBIANNO ROCHA
Advogado e ex-presidente do PSL
Salário: R$ 16.215,22

GULLIEM CHARLES BEZERRA LEMOS
Vice-presidente do PSL
Salário: R$ 13.036,74

ANTÔNIO FLÁVIO TESTA
Cientista político da UnB
Salário: R$ 9.926,60

ONYX LORENZONI
Deputado federal do DEM-RS
Salário: R$ 16.581,49

PABLO TATIM 
Secretário da Secretaria-Geral da Presidência da República
Salário: sem remuneração

EDUARDO CHAVES VIEIRA
Salário: R$ 9.926,60

ISMAEL NOBRE
Salário: R$ 9.926,60

Folha de S. Pailo


Equipe de transição de Bolsonaro tem primeira reunião oficial, em Brasília

A semana começou com os primeiros trabalhos, em Brasília, da equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Vinte e sete pessoas já foram nomeadas.

Primeiro, o deputado reeleito Onyx Lorenzoni passou pela Câmara dos Deputados e saiu apressado para a nova missão: “É trabalho, trabalho, sem conversa”.

Lorenzoni, oficialmente, assumiu a função de ministro extraordinário. A nomeação já foi publicada. O cargo é destinado à coordenação da equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro. No Palácio do Planalto, Lorenzoni se reuniu com o atual ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, percorreu gabinetes e foi até o presidente Michel Temer, que lhe desejou boa sorte.

Numa rede social, Bolsonaro escreveu: “Esta semana damos mais um grande passo com o início do funcionamento do grupo de transição de governo, absorvendo informações para restruturação do Brasil. Em Brasília, teremos acessos iniciais a números e informações que serão passadas aos brasileiros”.

A sede da transição, no Centro Cultural Banco do Brasil, está cercada de segurança. Além da Polícia Federal, homens da Força Nacional vigiam o lugar. E Onyx Lorenzoni já estreou a sala da transição, com os primeiros técnicos da equipe e ao lado dos futuros ministros da Defesa, General Augusto Heleno e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. A equipe de transição tem 27 integrantes, pode chegar a 50.

Onyx Lorenzoni anunciou que serão dez grupos técnicos: Desenvolvimento regional; Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação; Modernização do Estado; Economia e Comércio exterior; Educação, Cultura e Esportes; Justiça, Segurança e combate à corrupção; Defesa; Infraestrutura; Produção sustentável, Agricultura e meio ambiente; e Saúde e Assistência social.

“A publicação dos primeiros nomes, para que possam ter acesso ao e-governa, que é o sistema que nos permite trocar informações com o atual governo. E deveremos já, até o final da semana, ter a equipe ampliada com os novos nomes que vão ser apresentados”, disse Lorenzoni.

A prometida redução da máquina administrativa, passando de 29 para 15 ou 17 ministérios, não é uma engenharia fácil. Integrantes da equipe de Bolsonaro reconhecem; terão muito trabalho.

“Quando está prevista uma redução significativa de ministérios, essa transição, ela será, naturalmente, bastante elaborada. É preciso ter muito entendimento entre as duas equipes. A predisposição no governo Michel Temer é favorecer todos os dados, todas as condições para que essa transição ocorra tranquilamente, com um apoio total, e isso vai nos facilitar muito o trabalho. Mas tenho certeza que vai ser trabalhosa”, diz o futuro ministro da Defesa, General Augusto Heleno.

O Globo

Más notas sobre el tema