Caetano Veloso dará un show en Brasilia junto a sus hijos

“Espero que a democracia seja resistente e firme”, diz Caetano Veloso

O ícone da MPB faz o show Ofertório, ao lado dos filhos, neste sábado (1º/12), em Brasília

Por Luis Prisco y Raquel Martins Ribeiro

Caetano Veloso é daqueles artistas que nunca se furtaram a duas coisas: buscar sempre inovar seu trabalho e comentar sobre a situação social do Brasil. Assim, ao longo das mais de cinco décadas de carreira, o artista trafegou, com a conhecida maestria, por variadas vertentes estéticas e regimes políticos. Antes do show em Brasília programado para este sábado (1º/12), o cantor e compositor disse ao Metrópoles: “Espero que a democracia seja resistente e firme”.

Nesse clima familiar, então, Caetano não evita falar sobre música, estética e política. Ao longo da campanha presidencial de 2018, ele declarou apoio a Ciro Gomes (PDT), no primeiro turno, e em seguida se posicionou contra o candidato posteriormente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). As falas apareciam em redes sociais e declarações à imprensa.

Apesar de ver sua opção rejeitada, o ícone do Tropicalismo não entra na política do “quanto pior, melhor” – pelo contrário: Caetano almeja um futuro positivo para o país, mesmo que não esconda as altas doses de ansiedade. “Com enorme curiosidade e apreensão. É um momento de mudança e isso sempre excita. O governo que vai entrar parece que já entrou, mas na verdade não sabemos no que pode dar. Torço pelo Brasil e que possamos escrever certo mesmo por linhas muito tortas”, avalia.

Ofertório

Eleições e política à parte, é na música que o show mostra sua força. A já conhecida performance de Caetano ganha ares mais joviais com a companhia de Zeca, Tom e Moreno. Essa mudança de perfil fica clara no repertório, uma mistura de clássicos da MPB e músicas da família Veloso. Assim, revezam-se no palco Reconvexo, Alegria, Alegria, Força Estranha e Todo Homem.

Marcos Hermes/DivulgaçãoMARCOS HERMES/DIVULGAÇÃO

Desse encontro de gerações, surgem novas linguagens, capazes de surpreender até um veterano como Caetano – o cara que já cantou com Maria Gadú, Anitta e assume ser ouvinte da nova estrela do pop Iza. Mas toda a bagagem na música não consegue esconder um pai admirado pelas crias.

“Quando Tom acaba de dançar funk em Alexandrino e, sob ovação da plateia ao charme dele, eu começo a cantar ‘És um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho/Tempo, tempo, tempo, tempo’; ou no momento em que termino Ofertório e começo Reconvexo; então, Moreno e eu, ao som de How Beautiful Could a Being Be?, sambamos separadamente e passamos a sambar juntos encarando o público. Esses momentos me exaltam. Tem dias que choro com Todo Homem”, revela Caetano.

Ao longo de diversas falas sobre a turnê, Caetano se mostra, além de orgulhoso do talento da prole, convencido do muito a aprender com Tom, Zeca e Moreno. “É natural que os pais se interessem mais pelos filhos do que estes por ele. Então, eu me maravilho mais com tudo isso.”

Maravilhado, em suas próprias palavras, o experiente nome da MPB aproveita a vivência em turnês para apresentar o mundo aos filhos. “Ver Tom gostar do açaí de Belém mais do que o do Rio de Janeiro e os três comerem com surpresa um massa em Milão, num restaurante simples, foram momentos muito importantes. Filhos interessam e intrigam desde bebês”, conclui.

Ofertório – Caetano Veloso, Tom, Zeca e Moreno
Neste sábado (1º/12), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental), a partir das 20h – a apresentação começa às 21h. Ingressos a R$ 100 (poltrona superior), R$ 140 (poltrona especial B), R$ 160 (poltrona especial A), R$ 180 (poltrona VIP lateral), R$ 250 (poltrona VIP) e R$ 1,5 mil (lounges de quatro lugares). Valores de meia-entrada e sujeitos a alteração. À venda on-line. Classificação indicativa: 14 anos

Metropoles