Brasil: realizan vigilia navideña frente a la cárcel donde está preso Lula

El Partido de los Trabajadores (PT) de Brasil reiteró este domingo la convocatoria a sus seguidores para que asistan a la vigilia que realizarán a las afueras de laPolicía Federal de Curitiba, estado de Paraná (sur), en apoyo al expresidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Desde el 17 de diciembre, seguidores del PT acompañados de varios movimientos sociales de Brasil han llegado a la Curitiba para formar parte del campamento Lula libre y asistir a la actividad que se realizará este 24 y 25 de diciembre.

Uno de los coordinadores de la vigilia, Roberto Baggio, aseguró que se está “haciendo un gran movimiento para organizar los preparativos de la Navidad. Será una Navidad y un Año festivo compartidos con Lula y el pueblo brasileño”. El líder político no podrá recibir visitas durante las festividades.

“Llamamos a todos los activistas del país y del mundo que quieran ir con nosotros, traer a sus familias y amigos (…) para enfrentar el próximo período y los próximos días de lucha. Por el mantenimiento de todo lo que conquistamos y, principalmente, por la libertad de Lula“, dijo Baggio.

Prevén que durante la noche de vigilia se realicen varias actividades culturales, como la presentación del Coral de Recife, un acto religioso y una mega cena con todos los presentes.

De acuerdo con el PT, se espera que más de 500 personas se aproximen hasta la Policía Federal de Curitiba, en donde está detenido Lula por supuestos casos de corrupción.

Agenda de la vigilia

9H30 (hora local) – Presentación del Coral de Recife

11H00 (hora local) – Exposición de fotos

15H00 (hora local) – Tarde cultural con Suzi

16H00 (hora local) – Actividades culturales y juegos con la Caravana del Colectivo Resistencia Sao Paulo

20H00 (hora local) – Acto religioso

21H00 (hora local) – Cena de Navidad

Telesur


Ceia de Natal com Lula em Curitiba terá representantes de todo o país

Nesta segunda-feira (24), véspera de Natal, a vigília Lula Livre, em Curitiba, receberá militantes de diversas cidades do país. Eles seguem rumo à capital paranaense para celebrar o Natal de solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na sede da Polícia Federal desde 7 de abril, vítima de uma sentença marcada por rupturas de garantias constitucionais, e sem provas para as acusações de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Reportagem de André Gianocari no Seu Jornal, na TVT, na sexta-feira (21) mostrou caravanas que se organizam em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e em São Paulo para participar da ceia de Natal em frente à sede da PF, onde Lula está preso.

A funcionária pública Ana Luíza da Silva integra uma das caravanas. “É um momento de luta, de resistência, e precisamos estar juntos”, diz Ana Luíza, que recebeu apoio da família para participar. Cerca de 100 pessoas compõem a caravana que sai da sede do Partido dos Trabalhadores de São Bernardo do Campo, com destino a Curitiba na tarde de segunda-feira.

O metalúrgico aposentado Gilberto Bittencourt, que também participa da caravana, levará apenas o essencial na bagagem, mas no coração o sentimento de uma experiência para toda a vida. “É um momento de união, de estar juntos, eu quero estar presente, quero entrar nessa história”, afirmou.

“O ex-presidente Lula simboliza neste momento a manutenção da democracia no Brasil”, afirma Cleiton Coutinho, advogado do PT de São Bernardo do Campo. “Não se trata somente de fazer uma homenagem ao ex-presidente Lula, mas de mostrar o real sentido do Natal neste momento, que é a questão da solidariedade, do amor ao próximo”.

Uma outra caravana rumo a Curitiba, organizada em São Paulo, nasceu da união de 11 coletivos. “Essa atividade é uma iniciativa de um grupo de coletivos que em uma reunião recentemente resolveu participar da vigília, em prol dessa campanha. Só com uma grande mobilização para o Lula sair”, afirmou Laerte Moreira dos Santos, organizador da caravana.

Ao todo mais de 500 pessoas vão participar da celebração natalina em solidariedade ao ex-presidente. Além da ceia, o Natal da vigília contará com atos culturais. “Vamos fazer um abraço para proteger o nosso presidente, mas ao mesmo tempo também para dizer que nós estamos lá e estamos fortes para enfrentar o que vier, junto com ele”, diz Mônica Simões, a Moniquinha, do coletivo Flores pela Democracia.

Para o dia 1 de janeiro, os organizadores da vigília planejam um ato simbólico sobre a passagem da faixa presidencial. “O certo seria a Dilma passar a faixa para o Lula”, diz Ricardo da Silva, também organizador de uma das caravanas. “O que vamos ter em Brasília é um embuste, resultado de notícias falsas, de campanha com caixa dois, a posse que nós consideramos adequada vai acontecer em Curitiba”.

“Estamos enfrentando uma luta de classes e aquele que representa de fato os trabalhadores, as trabalhadoras, está lá encarcerado, porque se estivesse nas ruas no dia 1 estaria tomando posse como nosso presidente”, defende Brás Marinho, presidente do PT de São Bernardo do Campo.

Rede Brasil Atual