En el #8M Jair Bolsonaro califica a la mujer como “joya rara” y dice que su ministerio con 20 hombres y 2 mujeres es “equilibrado”

Brasil: en el Día de la Mujer, el presidente Jair Bolsonaro dice que ellas son “joyas raras”

El presidente brasileño Jair Bolsonaro dijo este viernes, en ocasión del Día Internacional de la Mujer, que su Gobierno hará que “estas joyas raras” se sientan en los próximos años “más representadas”.

“Cualquier celebración debe venir acompañada de propuestas y que respetemos el feeling de la mujer”, escribió el mandatario ultraderechista en sus redes sociales, que son la herramienta que usa para comunicarse casi a diario.

“Infelizmente, no depende solo de mí para que muchas de las pautas ya conocidas avancen ─agregó─. Haremos de todo para que estas joyas raras se puedan sentir más representadas al final de los próximos 4 años.”

Bolsonaro suele ser tildado de machista, racista y homofóbico por sus adversarios políticos y responde a un proceso judicial en el que ha sido acusado de incitación a la violación e injuria.

La causa fue promovida por la diputada Maria do Rosário, a quien en 2014 el actual presidente, entonces también legislador, le dijo que no merecía ser violada porque era muy fea.

La Corte Suprema suspendió el proceso en enero, apenas asumió el mandato: según la Constitución brasileña, un jefe de Estado en ejercicio solo puede responder por delitos cometidos en la función y no antes.

El juicio podrá ser retomado una vez que Bolsonaro deje el poder, lo cual ocurrirá el 1 de enero de 2023 si no es reelegido por otro período.

Bolsonaro acompañó las palabras que publicó este viernes con un video de una entrevista concedida a la televisión pública por la ministra de los Derechos Humanos, la Familia y la Mujer, Damares Alves, que además es pastora de una iglesia evangelista de talante ultraconservador.

En esa entrevista, la funcionaria lamentó que Brasil “sea el quinto país del mundo donde se matan más mujeres” y que “cada 11 minutos” una brasileña sea violada o que “cada 7 minutos sufra algún tipo de violencia” que “no es sólo la doméstica”, sino que se registra “en el colectivo, en el subte o en el avión”.

Alves aseguró que en Brasil “hay una falta de respeto a la dignidad de la mujer” y consideró que es necesario “reforzar las redes de protección”.

Añadió que que “no basta una ley perfecta” si la justicia y sus agentes no están “preparados” para enfrentar a la violencia machista en forma adecuada.

La agenda oficial de Bolsonaro por el Día Internacional de la Mujer incluye una ceremonia en el Palacio de Planalto, con su esposa Michelle y las funcionarias de su gabinete, sin presencia de la prensa.

Clarín


Bolsonaro chama mulheres de “joias raras” em homenagem ao Dia da Mulher

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez uma postagem alusiva ao Dia Internacional da Mulher, que é comemorado hoje, em sua conta no Twitter dizendo que seu governo fará tudo para que “estas joias raras” possam se sentir mais representadas nos próximos quatros anos.

No post, o presidente afirma que “qualquer celebração deve vir acompanhada de propostas” e diz que é preciso respeitar “o feeling da mulher”. “Infelizmente não depende só de mim para que muitas das pautas já conhecidas avancem”, escreveu.

Junto com a declaração, Bolsonaro postou um vídeo em que a ministra Damares Alves (da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) defende a medida provisória para regulamentar o ensino domiciliar.

“Quando a gente fala de ensino domiciliar estamos trabalhando uma necessidade de muitas famílias no Brasil. É um apelo da família brasileira o ensino domiciliar. Esse tema está sendo discutido há 26 anos no Congresso Nacional”, disse.

No ano passado, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que o ensino domiciliar, dado em casa, não pode ser considerado um meio lícito para que pais garantam aos filhos o acesso à educação por causa da falta de uma lei que o regulamente.

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, Bolsonaro deve realizar um evento para funcionárias do Palácio do Planalto. A cerimônia deve ser fechada e contará com a presença da primeira-dama Michelle Bolsonaro, de Damares Alves e do ministro Osmar Terra, da Cidadania.

UOL


No Dia da Mulher, Bolsonaro diz que ministério é ‘equilibrado’ e cada ministra vale ‘por dez homens’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, que o ministério está “equilibrado” ao ter 20 ministros e duas ministras. Na opinião de Bolsonaro, cada ministra vale por “dez homens”.

Bolsonaro deu as declarações ao participar no Palácio do Planalto de uma cerimônia de comemoração do Dia da Mulher, na qual estavam ministras e funcionárias do governo.

Dos 22 ministros, duas são mulheres: Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e Tereza Cristina (Agricultura).

“Pela primeira vez na vida o número de ministros e ministras está equilibrado em nosso governo. Temos 22 ministérios, 20 homens e duas mulheres. Somente um pequeno detalhe: cada uma dessas mulheres que estão aqui equivale por dez homens. A garra dessas duas transmite energia para os demais”, afirmou o presidente.

Ainda no discurso, Bolsonaro disse que o Dia Internacional da Mulher “não é diferente dos demais” porque, na opinião dele, as mulheres “estão em nossas vidas 24 horas por dia”.

O presidente também afirmou que os homens não fazem “política séria” se não tiverem ao lado deles “uma mulher com os mesmos princípios”.

“Não existe um homem que possa fazer uma política séria se não tiver, não ao seu lado, mas junto de si, uma mulher com os mesmos princípios. Graças a Deus eu tenho uma família consistente e nós devemos buscar isso e somente dessa maneira nós podemos construir uma grande nação”, acrescentou.

G1


VOLVER