Venezuela denuncia invasión de su embajada en Brasil por grupo partidario de Guaidó

Denuncian toma de la embajada de Venezuela en Brasil

La sede de la embajada de Venezuela en Brasil, en Brasilia, está siendo tomada por grupo aupado por la extrema derecha, denunció este miércoles el parlamentario del Mercado Común del Sur (Parlasur) Mario Metaza.

“En estos momentos están tomando la embajada de Venezuela en Brasil. Debemos denunciar este atropello a la soberanía por parte de Bolsonaro y sus secuaces del gobierno”, es el mensaje divulgado por Metaza en el Twitter.

La diputada federal Jandira Feghali, por su parte, igualmente denunció en la red social: “La embajada de Venezuela en Brasilia es invadida en un acto hostil a ese país. ¡Un ataque a la soberanía y la democracia!”.

El viceministro para Europa, Yván Gil, repudió tal acción ilegal al significar una violación a los convenios internacionales y a la soberanía venezolana e instó al Gobierno del presidente Jair Bolsonaro a garantizar el respeto a las sedes diplomáticas en Brasil.

“Grupos irregulares invaden áreas de nuestra embajada en Brasilia. El Gobierno de Brasil debe dar todas las garantías y respeto a los convenios internacionales, si se mantiene esta agresión será grave precedente¡”, fustigó Gil en el Twitter.

Esta acción constituye una violación más grave de la Convención de Viena sobre Relaciones Diplomáticas y es contraria al espíritu del derecho internacional, denuncian, asimismo, autoridades de la embajada venezolana en Hungría.

La Convención de Viena sobre Relaciones Diplomáticas es un tratado internacional que regula las relaciones diplomáticas entre los países y la inmunidad del personal diplomático. Fue adoptada el 18 de abril de 1961 en Viena, Austria, y entró en vigor el 24 de abril de 1964.

Últimas Noticias


Embaixada da Venezuela em Brasília é invadida

A Embaixada da Venezuela no Brasil foi invadida na manhã desta quarta-feira (13) por apoiadores de Juan Guaidó, o autoproclamado presidente do país. O encarregado de negócios da Venezuela, , Freddy Meregote, divulgou áudio em que pede ajuda dos movimentos sociais e dos partidos políticos. “”Companheiros, informo que pessoas estranhas às nossas instalações estão violentando o território venezuelano. Necessitamos ajuda e uma ativação imediata de todos os movimentos sociais e partidos políticos”o”, disse.

Pelas redes sociais, parlamentares de partidos de esquerda se dirigiram ao local, solicitando a presença de todos que pudessem  conter a invasão.

Em outro áudio distribuído pelo Whatsapp, Ana Prestes, colaboradora da revista Fórum e que estava na embaixada, afirmou que a invasão foi seguida de violência. “Tá tendo luta corporal lá dentro”.

Segundo relatos, ao menos 30 invasores participaram da ação, que ocorre durante a reunião do BRICs em Brasília. Por conta do evento vários acessos da cidade estão fechados, o que dificulta a chegada de outros funcionários e militantes à embaixada.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) conseguiu entrar. “A embaixada foi sitiada por um grupo de brasileiros e de venezuelanos, houve confronto violento. Eles tentaram tomar à força esse espaço. A impressão é que parte deles é de lutadores de academia contratados. É uma clara violação do direito internacional. Há indícios de participação do governo brasileiro na facilitação da invasão da embaixada da Venezuela.”

O golpista Juan Guaidó é reconhecido pelo governo brasileiro como presidente da Venezuela após ele se autoproclamar e tentar um golpe no país vizinho. Segundo reportagem do Valor, um grupo de funcionários da embaixada da Venezuela em Brasília “desertou” do governo Nicolás Maduro e permitiu, pela primeira vez, a entrada de Tomás Alejandro Silva, ministro-conselheiro da embaixada nomeado por Guaidó.

Silva teve o acesso liberado de forma inédita. Outros funcionários leais a Maduro, como o atual adido militar, Manuel António Barroso, se dirigiram imediatamente então à embaixada. Relatos afirmam que o controle do local foi recuperado por volta das 8h30, mas clima seguia tenso.

Tomás Alejandro Silva é apoiador de Maria Teresa Belandria, indicada por Guaidó a assumir a embaixada brasileira como representante do governo golpista. Desde que Jair Bolsonaro recebeu a indicação de Belandria, sua equipe tenta entrar na embaixada, sendo sempre impedida por funcionários venezuelanos nomeados pelo presidente Nicolás Maduro.

Pelo Twitter, a deputada federal Erika Kokay alertou para o ato fascista: “Embaixada da Venezuela é invadida em Brasília em ato criminoso que fere a soberania e a democracia. Exigimos investigações e responsabilização dos culpados!”

Trata-se de um incidente diplomático internacional, desrespeitando o Tratado de Viena, e deve ser denunciado à ONU.

A invasão da Embaixada da Venezuela no Brasil repete o que ocorreu no dia 10 de novembro na Bolívia, quando o território venezuelano também foi invadido.

Rede Brasil Atual


VOLVER