Bolsonaro dice que “Brasil estará en buenas manos” si Moro se postula a la presidencia en 2022

44

”Se Moro vier, não tem problema”, diz Bolsonaro sobre eleições em 2022

Em última live semanal do ano, nesta quinta-feira (26/12), o presidente Jair Bolsonaro não descartou a possibilidade do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, ser o candidato nas eleições de 2022. De acordo com o chefe do Executivo “o Moro tem um potencial enorme, é adorado no Brasil” e por isso, ”se Moro vier, que seja feliz, não tem problema, vai estar em boas mãos o Brasil”.

Bolsonaro ainda emendou dizendo que não sabe se será candidato nas próximas eleições. “Não sei se vou vir candidato em 2022. Se eu estiver bem vou vir, senão estiver, to fora”, afirmou. Esta semana, o presidente sofreu uma queda no banheiro e teve  que passar a noite no hospital. No início deste mês, o presidente chegou a cancelar uma viagem a Salvador por estafa.  Para ele, o importante é  “não entregar para esquerdalha em 2023”.

Lei anticrime 

Durante a transmissão da live, Bolsonaro voltou a comentar a questão  do juiz de garantias, ponto polêmico do pacote anticrime. O presidente afirmou que não há nenhum acordo para o ponto seja vetado e que têm recebido diferentes pressões por parte  dos eleitores sobre a questão,  mas que não tem intenção de agradar a todos. “Lógico que estou preocupado com voto de eleitor, mas não posso ser escravo de todo mundo.  O que me surpreende é um batalhão de internautas constitucionalistas, juristas, para  debater o assunto. Sai fora da minha página, se não sair vou para o bloqueio”, afirmou.

Cinema Brasileiro

Jair Bolsonaro fez também novos ataques ao cinema nacional. Após comentar que assinou o decreto que estabelece a cota de tela para filmes brasileiros, o presidente disse que as produções nacionais precisam melhorar e que não há bons filmes. “Nós fixamos a menor cota da história. Estamos tirando o Estado. Mas vamos fazer filmes diferentes do que vem sendo feito. Oras bolas. Filme que interessa a população como um todo e não as minorias. Fazendo bons filmes não precisará de cotas mais”, disse.

Para ilustrar, o presidente explicou quais seriam os filmes que não agradam. “Não vai ter mais aquelas histórias de ideologia, mentiras sobre o nosso passado, de 64 a 85. Sempre fazem com que a esquerda fosse mais pura e ética do mundo, e o resto fosse o resto. Não quero citar nomes de filmes, porque me dão vergonha. Mexe com religião, com crianças, afrodescendentes, com pessoas com deficiência, tudo com questão de sexo no meio. Não estamos censurando nada”, afirmou.

Correio Braziliense


Bolsonaro diz que deixará vida pública caso medidas prejudiquem sociedade

Na tarde desta quinta-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro afirmou nas redes sociais que, como chefe do Executivo, tem colocado em prática o que aprendeu ao longo dos 28 anos em que esteve na Câmara dos Deputados.

Bolsonaro escreveu ainda que, caso uma de suas decisões prejudiquem a sociedade, ‘deixará a vida pública imediatamente’. A postagem vem acompanhada de um vídeo que traz a entrevista do general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo de Jair Bolsonaro.

“Por 28 anos estive na Câmara. Agora coloco em prática o que vi e aprendi para o bem do nosso País. Caso, de concreto, você seja prejudicado por qualquer decisão minha, eu mesmo saio da vida pública imediatamente.Um abraço a todos!”, escreveu o presidente.

Ano Novo

Bolsonaro se prepara para passar as comemorações de final de ano na base naval de Aratu, na Bahia. O cancelamento da viagem chegou a ser cogitado após ele ter sofrido um acidente doméstico no banheiro de casa. Como os exames não apresentaram alterações, o embarque foi mantido. Acompanhado da família, a expectativa é de que ele viaje nesta sexta-feira (27) e retorne à Brasília no dia 5 de janeiro.

Rico em belezas naturais, o local escolhido por Bolsonaro era um dos favoritos de ex-presidentes como FHC, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer para descanso em feriados.

Correio Braziliense

 

Más notas sobre el tema