Brasil se acerca a los 3 millones de casos y Bolsonaro vuelve a criticar a gobernadores tras pedir ayuda económica permanente

9

Brasil cerca de los 3 millones de contagios de la Covid-19

El Ministerio de Salud de Brasil informó este sábado que en las últimas 24 horas se registraron 45.392 nuevos contagios del virus, para un total de 2 millones 707.877 contagios.

Las autoridades sanitarias señalaron que para este sábado se reportaron 1.088 nuevos decesos, para una suma de 93.563 víctimas mortales producto de la Covid-19.

Respecto a las regiones, Sao Paulo se mantiene como el epicentro de contagios con 552.318 y 23.236 decesos, seguida de Ceará en cuanto a casos con 175.928 y Río de Janeiro con 13.556

De acuerdo al informe del Ministerio, el número de pacientes que han recibido alta médica son 1 millón 865.729, asimismo, 748.585 permanecen bajo seguimiento médico.

Con estas cifras, el país suramericano se mantiene como epicentro del virus en la región y el segundo en el mundo, solo superado por Estados Unidos (EE.UU.) que llega a los 4,6 millones de casos confirmados.

Telesur


Brasil tem 2,7 milhões de casos e 93,6 mil mortes por covid-19

O Brasil registrou, desde o início da pandemia, 2,70 milhões de pessoas infectadas pelo covid-19, segundo balanço divulgado neste sábado (1º) pelo Ministério das Saúde. O número é 45,4 mil maior do que o divulgado no levantamento anterior. O número atualizado de recuperados está em 1,86 milhão. Há ainda 748,59 mil pacientes sendo acompanhados.

O novo coronavírus causou a morte de 93,57 mil pessoas no Brasil desde o início da pandemia. Segundo o balanço, de (31) para ontem foram registradas mais 1.088 mortes.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) está em 3,5%; e a de mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) em 44,5.

Estados

São Paulo continua sendo a unidade federativa com maior número de mortes por covid-19, com 23.236 óbitos. Em segundo lugar está o Rio de Janeiro, que registra 13.556 mortes. Em terceiro lugar está o Ceará (7.698), seguido por Pernambuco (6.597) e pelo Pará (5.750).

São Paulo lidera também no total de casos diagnosticados, com 552.318 pessoas testando positivo para a doença. Em segundo lugar está o Ceará, com 175.928 diagnósticos positivos; Bahia (168.926) e Rio de Janeiro (167.213).

Istoé


Bolsonaro volta a criticar governadores que pedem ajuda emergencial permanente

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar neste domingo os governadores que defendem “auxílio emergencial permanente” de R$ 600 pagos a trabalhadores informais afetados financeiramente pela pandemia. Sem citar nomes, Bolsonaro disse que o mesmo governador que defende a medida quebrou seu estado.

— Alguns (governadores) estão defendendo auxílio emergencial indefinido. Esses mesmos que quebraram os estados deles, esse mesmo governador está defendendo o emergencial de forma permanente, só que, por mês, são R$ 50 bilhões. Vão arrebentar com a economia do Brasil — disse o presidente.

— Você sabe de quem eu estou falando.

Bolsonaro saiu guiando uma moto, na manhã deste domingo, da residência oficial do Palácio da Alvorada e foi até uma padaria no Lago Norte, bairro nobre de Brasília. No local, o presidente também comentou que em setores de alimentação, como padarias, o reflexo da crise com a pandemia é pequeno.

— Aqui, por exemplo, alimentação, os danos foram pequenos, quase não existiram. Os informais, simplesmente, dizimados — afirmou.

O presidente já retornou ao Palácio da Alvorada. No sábado passado, após comunicar teste negativo para o novo coronavírus, Bolsonaro também saiu de moto até uma concessionária para revisão do veículo e depois abasteceu a moto em um posto de gasolina.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro está com Covid-19. O resultado do exame de Michelle saiu dias depois de o presidente ter anunciado que se curou da doença.

O Globo


Facebook bloqueia globalmente contas de apoiadores de Bolsonaro

O Facebook disse neste sábado que bloqueou globalmente algumas contas controladas por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro envolvidos no inquérito das fake news, um dia depois de ser multado por não uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Um porta-voz do Facebook afirmou que o pedido era “extremo” e ameaça “liberdade de expressão fora da jurisdição do Brasil”, mas que a empresa concordou com o pedido.

“Devido à ameaça de responsabilização criminal de um funcionário do Facebook Brasil, não tivemos alternativa a não ser cumprir com a ordem de bloqueio global das contas enquanto recorremos ao STF”, disse a companhia em comunicado.

O ministro do STF Alexandre de Moraes determinou o bloqueio mundial de contas de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Twitter e no Facebook, segundo decisão divulgada na quinta-feira, após considerar que uma ordem anterior dele havia sido cumprida apenas parcialmente no âmbito do inquérito das fake news.

No dia seguinte, ele decidiu que o Facebook deveria pagar uma multa de 1,92 milhão de reais (367.710 dólares) pelo descumprimento da ordem e enfrentaria multas adicionais de 100 mil reais por dia, se não bloqueasse as contas em questão globalmente.

Antes da multa ser anunciada, o Facebook disse na sexta-feira que apelaria da decisão. A maior rede social do mundo disse que respeita as leis dos países onde atua, mas que “a lei brasileira reconhece os limites de sua jurisdição”.

A multa do juiz tratou apenas da não conformidade do Facebook. Não ficou claro se o Twitter enfrentaria uma multa semelhante.

O juiz decidiu originalmente, em maio, bloquear 16 contas no Twitter e 12 contas no Facebook de apoiadores de Bolsonaro que foram vinculados a uma investigação sobre a divulgação de notícias falsas durante a eleição brasileira de 2018.

As contas foram bloqueadas devido a alegações de que eles violavam leis sobre discurso de ódio.

Extra

Más notas sobre el tema