Brasil | Últimos días de actos de campaña y debates entre candidatos rumbo al balotaje de las municipales del domingo

623

Reta final de campanha eleitoral tem debates e propaganda acirrada entre candidatos

Faltam seis dias para o segundo turno das eleições municipais, dia 29 de novembro. Em todo o Brasil, 57 cidades se preparam para ir às urnas no próximo domingo e eleger o prefeito que vai administrar a cidade pelos próximos quatro anos, de 2021 à 2024. Manaus é uma delas, com a disputa entre Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante).

Por conta da pandemia da Covid-19 o calendário eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precisou ser alterado e as eleições foram adiadas para novembro de 2020. Com as mudanças o tempo de campanha e propaganda política neste segundo turno foi mais curto este ano. Candidatos, partidos, coligações e eleitores devem ficar atentos aos prazos que se encerram no decorrer desta semana.

A partir desta terça-feira, 24/11, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou por desrespeito a salvo-conduto.

Propaganda

A propaganda política começa a ser encerrada a partir desta quinta-feira, 26/11. Este é o último dia para realização de propaganda mediante reuniões públicas ou promoção de comícios e utilização de aparelhagem de sonorização fixa, entre as 8h e às 24h, com exceção do comício de encerramento da campanha, que poderá ser prorrogado por mais 2 horas.

Na sexta-feira, 27/11, se encerram os prazos para a divulgação da propaganda eleitoral gratuita do segundo turno no rádio e na televisão; divulgação paga, na imprensa escrita, de propaganda eleitoral do segundo turno e realização de debate no rádio e na televisão, não podendo ultrapassar o horário de meia-noite.

Já a véspera da votação, no sábado, 28/11, é o último dia para a propaganda eleitoral mediante alto-falantes ou amplificadores de som, das 8h às 22h. Candidatos, partidos e coligações têm até às 22h do sábado para a distribuição de material gráfico, caminhada, carreata ou passeata, acompanhados ou não por carro de som ou minitrio.

Debates

Nesta reta final de campanha, três emissoras de televisão vão realizar debates com os candidatos. Na quarta-feira, 25/11, tem debate na Tv Norte Amazonas, afiliada do SBT, às 11h. Na quinta-feira, 26/11, é a vez da Tv A Crítica. O debate entre Amazonino e David é a partir das 20h30.

Já na sexta-feira, 27/11, na data limite, a Tv Amazonas, afiliada da Rede Globo realiza o debate entre os candidatos à prefeito de Manaus, logo após a novela das nove. A Tv Amazonas que tradicionalmente realiza debates políticos, este ano em razão da pandemia, optou por fazer debate apenas no segundo turno das eleições, no primeiro a emissora decidiu não realizar.

Eleitorado

O número de eleitores aptos a votar este ano em Manaus é de 1.331.613 de pessoas. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE/AM), no primeiro turno das eleições foram às urnas 1.088.826 eleitores. Desse total, mais de 992 mil pessoas votaram nos candidatos concorrentes, ou seja, 91,19% dos votos válidos. Brancos totalizaram 48.819, isto é, 4,49% dos votos e os nulos 47.079, no caso, 4,32% dos votos..

Quem não votou no primeiro turno pode votar normalmente no segundo turno das eleições. Mas é preciso justificar a ausência em até 60 dias após cada turno de votação. A justificativa pode ser feita pelo e-Título, pelo Sistema Justifica na internet ou entregar o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) em qualquer zona eleitoral, ou enviá-lo pela via postal ao juiz da zona eleitoral na qual for inscrito, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito.

De acordo com o TSE, a justificativa é válida somente para o turno ao qual o eleitor não compareceu por estar fora de seu domicílio eleitoral. Assim, caso tenha deixado de votar no primeiro e no segundo turno da eleição, terá de justificar a ausência a cada um, separadamente, obedecendo aos mesmos requisitos e prazos de cada turno

Toda Hora


Médicos brasileños llaman a derrotar el fascismo en las urnas

La Asociación Brasileña de Médicos y Médicas para la Democracia (ABMMD) llamó este domingo a fortalecer las candidaturas del campo democrático ante la realización de la segunda vuelta de las elecciones municipales al final de esta semana “para derrotar el fascismo”.

De acuerdo a una nota la asociación médica fundada en 2019, la ideología fascista “que pretendía utilizar las justas comiciales de 2020 para ganar la supremacía política en Brasil, fue derrotada en la primera vuelta (15 de noviembre)”.

Asegura que esa corriente autoritaria está desgastada “por una política que daña a la patria y está subordinada a los intereses norteamericanos” así como por lo que califica de “genocidio contra nuestro pueblo a la hora de enfrentarse a la pandemia de Covid-19”.

La asociación asevera que vencer a los aliados del gobierno del presidente Jair Bolsonaro en este sufragio resulta de “inmensa importancia para la consolidación de la resistencia democrática y para hacer inviable de manera permanente las aspiraciones totalitarias, nunca ocultas por los gobernantes de Brasilia”.

La ABMMD insiste en el apoyo a las candidaturas del campo democrático para doblegar a “los representantes del fascismo, oscurantismo religioso, racismo, machismo, la misoginia, la homofobia y todas las formas de discriminación y opresión, la falta de respeto por el medio ambiente y la negación de la ciencia”.

El comunicado concluye con un llamado “En nombre de los médicos, de nuestros pacientes, nuestra razón de ser, con quienes tenemos una responsabilidad y un compromiso, en nombre de la ciencia y la medicina brasileñas como profesión humanista y heredera de un esfuerzo de toda la humanidad: ¡Derrotemos el fascismo!”

Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia – ABMMD conclama médicos e médicas a reforçar democracia e derrotar o fascismo no 2º turno das eleições municipais

Publicada por Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia – ABMMD – CE en Domingo, 22 de noviembre de 2020

De las campañas que quedan por disputarse, la de Sao Paulo parece ser de las más interesantes. El frente amplio de los partidos de izquierda, que ha sido visto por varios dirigentes como la única vía para enfrentar a la derecha y a la extrema derecha, comenzó a ser posible en la segunda vuelta de la contienda municipal en la ciudad, con la unión entre el expresidente Luiz Inácio Lula da Silva, del PT, Ciro Gomes, del PDT, el gobernador Flávio Dino, de Maranhão, y Marina Silva, de Rede, alrededor de Guilherme Boulos, candidato del Partido Socialista.

TeleSur


SP: Na reta final da eleição, campanha de Guilherme Boulos dispara nas redes sociais

Por Igor Carvalho

Um levantamento feito por Fabio Malini, pesquisador e analista de redes pelo Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic), do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), mostra que Guilherme Boulos (PSOL), candidato à Prefeitura de São Paulo, desperta maior interesse na internet do que seu concorrente direto no segundo turno, Bruno Covas (PSDB).

De acordo com Malini, entre os dias 16 e 21 de novembro, a primeira semana após o primeiro turno, os candidatos tiveram desempenhos diferentes no Instagram. Boulos ganhou 78 mil novos seguidores, já Covas apenas 5 mil. No Facebook, o candidato do PSOL teve 20 mil novas adesões, enquanto o tucano apenas 2 mil.

Os dados mais discrepantes são de visualizações dos conteúdos postados por esses candidatos no Instagram. Os vídeos de Boulos no Instagram tiveram 11 milhões de visualizações. Enquanto que as produções de Covas foram vistas 70 mil vezes.

“É uma campanha que tem um volume de publicações muito maior que o Covas, o número de postagens faz aumentar o número de visualizações”, afirma Malini.

Ele ressalta que há uma “diferença absurda de alcance a favor de Boulos. Se isso significará virada de votos, aí é outra história”, pondera o professor, que identifica alguns pontos que podem justificar o interesse do público em Boulos.

“Ele faz uma campanha de rua muito intensa, que acaba gerando mais conteúdo para a internet. Essa campanha de rua, afeta a visibilidade digital. Quanto mais ele e a militância circulam pela cidade, mais geram interesse nas pessoas”, explica.

O professor destaca o trabalho digital realizado pela equipe do candidato como um dos fatores responsáveis por esse crescimento.

“É uma campanha muito criativa, com muitos gêneros de conteúdo. Tem live, tem publicação de conteúdo de imprensa, tem vídeos, tem games, então, há uma diversidade de gênero. E é uma campanha que trabalha muito com contraste. O Boulos em contraste com Covas, com Bolsonaro”, aponta.

Ainda de acordo com Malini, Boulos é um “político com muitos seguidores”, por conta de sua presença constante nas redes sociais nos últimos dois anos, desde que foi candidato do PSOL à Presidência da República, em 2018, o que teria elevado o número de seguidores do pessolista.

Brasil de Fato


VOLVER

Más notas sobre el tema