Lula pide ayuda a Biden para obtener vacunas y dice que puede ser candidato en 2022

709

Lula sugiere a Biden donar a Brasil vacunas antiCovid-19

El expresidente Luiz Inácio Lula da Silva propuso al gobernante estadounidense, Joe Biden, que su país done a Brasil parte del excedente que tiene hoy de antídotos contra la pandemia de Covid-19.

‘Sé que Estados Unidos tiene reservas de vacunas y no las va a utilizar todas. Tal vez estas dosis podrían ser donadas a Brasil o a países más pobres que no pueden pagarlas’, declaró Lula a la periodista Christiane Amanpour, de la televisora CNN.

En este caso, comentó la posibilidad de donación de 10 millones de dosis del inmunizante desarrollado por la empresa anglo sueca AstraZeneca que no pueden ser utilizados en la nación norteamericana porque no hay registro en la agencia reguladora.

Amplificada este jueves en medios periodísticos locales, portales noticiosos y redes sociales, en la entrevista el fundador del Partido de los Trabajadores manifestó que le gustaría recomendar a Biden que convoque a una reunión del G20.

‘Es urgente convocar a los principales líderes mundiales y poner sobre la mesa un único tema: vacuna, vacuna, vacuna’, insistió.

Aclaró que dirige la solicitud al mandatario demócrata porque no cree en el Gobierno de Jair Bolsonaro. ‘Tampoco podría pedírselo a (Donald) Trump (presidente de Estados Unidos hasta 2020), pero Biden es un nuevo respiro para la democracia’, remarcó.

En otra arista de la conversación, el exdirigente obrero, de 75 años, reconoció que ‘si, cuando llegue el momento de disputar las elecciones (2022), mi partido y los demás aliados entienden que puedo ser el candidato, y estoy bien de salud con la energía de hoy, no negaré la invitación’, remarcó.

Sin embargo, precisó que su prioridad ahora es salvar a Brasil de la Covid-19.

El gigante suramericano confirmó ayer ser el epicentro universal de la pandemia al registrar 90 mil 303 contagios, nuevo récord diario, y elevar el total a 11 millones 693 mil 838.

La actualización del Ministerio de Salud indicó además que se contabilizaron en 24 horas dos mil 648 pérdidas de vidas por la enfermedad y la cifra general ascendió a 284 mil 775.

La semana pasada, el juez Edson Fachin, del Supremo Tribunal Federal, anuló las condenas de Lula en los procesos relacionados con la desactivada operación Lava Jato.

Con tal decisión, el expresidente, antes limitado por la llamada Ley Ficha Limpia, recuperó sus derechos políticos y puede presentarse en la carrera por el poder en 2022.

Prensa Latina


Lula pede ajuda de Biden contra pandemia e diz que pode ser candidato em 2022

Uma semana depois de recuperar seus direitos políticos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não negará convite para ser candidato à Presidência em 2022. Em entrevista à CNN americana, Lula afirmou que se estiver saudável e se tiver o apoio do PT e aliados, será candidato.

No entanto, afirmou que sua prioridade neste momento é lutar pela vacinação contra a covid-19. O petista pediu ajuda ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para convocar uma reunião da cúpula do G-20 e discutir a distribuição de vacinas aos países que mais necessitam, como o Brasil.

Ao falar por vídeo com a jornalista Christiane Amanpour, da CNN, Lula mostrou sua disposição em disputar a próxima eleição presidencial. “Quando chegar o momento de concorrer às eleições, e se meu partido e os demais partidos aliados entenderem que eu posso ser o candidato, e se eu estiver bem de saúde, com a energia e o poder que tenho hoje, não vou negar esse convite. Mas não quero falar sobre isso. Essa não é a minha principal prioridade. A minha principal prioridade agora é salvar este país”, disse o ex-presidente.

Na semana passada, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou as condenações contra Lula nos processos relativos à Lava-Jato. Com isso, o petista recuperou seus direitos políticos e poderá concorrer em 2022.

Na entrevista, Lula pediu para que o presidente americano discuta uma forma de ajudar os países que precisam de vacina, como o Brasil.

O ex-presidente petista disse que os Estados Unidos deveriam doar as doses excedentes de vacina contra covid-19 ao Brasil e a outras nações. Para isso, o ex-presidente afirmou que Biden deveria convocar uma reunião do G-20 para tratar com líderes mundiais da distribuição de imunizantes para combater o novo coronavírus.

Lula disse que não poderia fazer esse pedido ao ex-presidente americano Donald Trump, mas afirmou que é possível com Joe Biden. Para o ex-presidente, Biden é uma espécie de “alento” para a democracia. O Brasil tem registrado recordes diários de casos e de mortes por covid-19. Já são mais de 11,6 milhões de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus e ao menos 282 mil mortes pela doença.

Valor Investe


Juiz da Lava Jato manda casos de Lula a Brasília e mantém bloqueio de bens

O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos processos da operação Lava Jato no Paraná, determinou o envio de 36 processos relacionados ao ex-presidente Lula (PT) para a Justiça Federal do Distrito Federal. Eis a íntegra do despacho (493 KB).

A decisão é proferida na semana seguinte à anulação das condenações das ações que envolvem o petista por ordem do ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal). Fachin disse que as ações não poderiam ter corrido em Curitiba porque os fatos apontados não têm relação direta com o esquema de desvios na Petrobras.

Apesar de cumprir a ordem para transferir o caso, Bonat decidiu manter o bloqueio de bens de Lula determinados pelos processos da Lava Jato. Entre eles, estão R$ 7 milhões de um plano de previdência empresarial, R$ 600 mil em contas bancárias, 2 carros, 3 apartamentos e um sítio. Consta também o tríplex do Guarujá, que, segundo a Vara de Curitiba, foi usado como pagamento de propina a Lula.

“Tendo por base os estritos limites da decisão do Exmo. Ministro Edson Fachin, manterei os bloqueios durante a declinação, ficando o Juízo declinado responsável pela análise acerca da convalidação das decisões que autorizaram as constrições cautelares”, afirmou o magistrado.

No despacho, Bonat determinou o envio de ofício ao ministro Fachin comunicando a decisão de manter os bens de Lula bloqueados.

ANULAÇÃO DE CONDENAÇÕES

A anulação das condenações determinadas por Fachin atende a pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do petista em 3 de novembro de 2020. O despacho tem 46 páginas. Aplica-se aos seguintes casos: tríplex do Guarujá, sítio de Atibaia, sede do Instituto Lula e doações ao Instituto Lula.

No despacho, Fachin diz que as acusações contra Lula envolviam muito mais empresas do que a Petrobras. “A conduta atribuída ao ora paciente, qual seja, viabilizar nomeação e manutenção de agentes que aderiram aos propósitos ilícitos do grupo criminoso em cargos estratégicos na estrutura do Governo Federal, não era restrita à Petrobras S/A, mas a extensa gama de órgãos públicos em que era possível o alcance dos objetivos políticos e financeiros espúrios”.

A defesa de Lula entrou com o pedido de habeas corpus depois que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) concluiu o julgamento em que Lula foi condenado no caso do tríplex. “Aplico aqui o entendimento majoritário que veio se formando e agora já se consolidou no colegiado. E o faço por respeito à maioria, sem embargo de que restei vencido em numerosos julgamentos”, diz o ministro.

A PGR (Procuradoria Geral da República) recorreu da decisão de Fachin. O recurso, no entanto, foi rejeitado.

Poder 360


VOLVER

  

Más notas sobre el tema