Brasil | Bolsonaro afirma que no le teme a nada y que “solo Dios” lo saca de la presidencia

894

Jair Bolsonaro dice que no tiene miedo a las consecuencias por su gestión ante la pandemia

El presidente de Brasil, Jair Bolsonaro, afirmó este miércoles en tono desafiante que no tiene miedo de eventuales consecuencias por su cuestionada gestión de la pandemia del coronavirus, la cual está siendo investigada por una comisión parlamentaria.

“No le temo absolutamente a nada y lo digo bien claro: solo Dios me saca de aquí (la Presidencia). No queremos desafiar a nadie, respeto a los demás, pero van a respetarnos”, afirmó el mandatario en un acto con la Caixa Económica Federal, el segundo mayor banco público del país.

El líder ultraderechista es objeto de una investigación en el Senado que indaga posibles responsabilidades de su Gobierno en el agravamiento de una pandemia que ya deja más de 425.000 fallecidos y 15,3 millones de infectados en el país.

“Esa pandemia realmente fue un castigo para todo el mundo. El Gobierno hizo lo que pudo y los que no hicieron nada ahora quieren obstaculizar al Gobierno”, aseveró Bolsonaro, quien al mismo tiempo aseguró confiar en las instituciones.

En esa comisión de investigación, controlada por grupos de la oposición, ya han declarado dos exministros de Salud que abandonaron el Gobierno el año pasado por serias divergencias con el jefe de Estado, quien niega la gravedad del COVID-19 y censura el distanciamiento social para combatir la enfermedad.

Se trata de los médicos Luiz Henrique Mandetta y Nelson Teich, quienes también denunciaron falta de autonomía para liderar la cartera y los intentos de Bolsonaro por implementar en el sistema de salud el uso de medicamentos de dudosa eficacia contra el coronavirus, como la cloroquina.

Este miércoles compareció el exjefe de comunicación del Gobierno Fabio Wajngarten en una audiencia tensa en la que el instructor de los trabajos de la comisión pidió su prisión por esquivar las preguntas de los senadores, pero esta fue negada

El exfuncionario cayó en contracciones durante su testimonio, aunque llegó a admitir que las autoridades del país ignoraron durante más de dos meses la primera oferta de vacunas contra el COVID-19 que le presentó la firma estadounidense Pfizer.

“Siempre buscamos hacer lo mejor. Es un Gobierno que también se equivoca, pero nuestros errores no tienen efecto colateral y cuando ocurren, volvemos atrás”, indicó el presidente brasileño durante el acto con el banco estatal.

Además, Bolsonaro volvió a quejarse del tratamiento que recibe por parte de los medios de comunicación y dijo que los brasileños, con el tiempo, echarán de menos su Gobierno.

“Estoy seguro de que a nuestro Gobierno, en el futuro, no sé si en 2022 o en 2026, lo echarán de menos por el perfil de personas que pasaron por él”, sentenció.

El Universo


Uece avança no desenvolvimento de vacina contra a covid-19

Iniciada em abril de 2020, a pesquisa da Universidade Estadual do Ceará (Uece), para o desenvolvimento de vacina contra a covid-19, se prepara para a segunda fase, que consiste na realização de testes em humanos. Para isso, a instituição dará entrada em processo para aprovação pela Anvisa. A pesquisa é desenvolvida no Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular da Uece (LBBM), liderado pela professora imunologista Izabel Florindo Guedes. A vacina cearense em testes já tem nome: HH-120-Defenser. A primeira fase da investigação, com realização de testes em camundongos, foi concluída com sucesso, como destaca o pesquisador do LBBM-Uece e doutorando do programa de pós-graduação em Biotecnologia (Renorbio-Uece), Ney Carvalho. “Obtivemos resultados promissores desse imunizante com camundongos. Esses resultados serão submetidos à Anvisa, com o intuito de iniciar a fase clínica, já que estávamos na fase pré-clínica, com os animais”. A fase clínica deverá ser dividida em três etapas. Na primeira, os testes serão realizados com, aproximadamente, 100 pessoas adultas, de 18 a 60 anos de idade, sem comorbidades. Na segunda etapa, será a vez de pessoas acima de 60 anos, com comorbidades. Na terceira, os testes serão aplicados em milhares de pessoas, com perfis diversificados. “Com mais de 90% de proteção comprovada da vacina na fase pré-clínica, poderemos seguir com os testes em humanos, após a aprovação da Anvisa. Essa vacina é constituída por uma cepa de coronavírus muito parecida com o SARS – CoV-2, capaz de induzir uma resposta imunológica protetora contra o novo coronavírus. Ela não causa infecções em humanos. Por isso resolvemos usá-la”, esclarece a coordenadora do laboratório, Izabel Florindo. O Governo do Estado, por fim, entrou no jogo e ofereceu apoio à pesquisa da Uece.

Mudança

Deputado Renato Roseno, do Psol do Ceará, quer trocar o nome da biblioteca pública do Estado, que é Menezes Pimentel, para Professor Gilmar de Carvalho, um mestre exemplar da vida cultural cearense. Gilmar morreu recentemente, vítima do “Coisa-Ruim”. Roseno fez documento com projeto de indicação na Assembleia. Não gosto de trocar assim, mas Gilmarzinho bem que merece algo do gênero.

O carão de Otto em Girão

“Eu vi há pouco, o senador Girão falando que a hidroxicloroquina é um antiviral. Nunca foi antiviral. (A malária) é um protozoário, um plasmódio. Eu fico olhando assim, os caras não se formaram em Medicina, não ficaram no banco, não fizeram residência, não estudaram nem Química, nada disso… e receita assim, na maior… Pode tomar, não tem nenhum problema, diz que não tem efeito colateral nenhum. A hidroxicloroquina tem efeito colateral no coração, a ivermectina é neurotóxica. Como é que se receita desse jeito?” Do senador Otto de Alencar, dando carão no senador Eduardo Girão ao vivo, na CPI da pandemia.

Sem empatia

Advogados cearenses estão pegando pesado com a turma do andar de cima bulindo em plena crise da saúde, em eleição para o fim do ano.

Cearense é fogo

Na Universidade Estadual do Ceará, está sendo desenvolvida uma vacina contra a covid 19. Já tem bom adiantamento. Já inventamos o Elmo, o capacete que salva.

A volta

A Assembleia do Ceará voltou às sessões, na quinta-feira. Todo mundo pensando que a casa ia encher. Qual o quê! Quem tem, máscara, tem medo. Deputado prefere o hibridismo.

Icó vai a Camilo

A prefeita Laís Nunes, de Icó, está pedindo audiência ao governador Camilo Santana. Sabe que sem um aeroporto, empresário não pousa lá. Vai pedir um. E merece.

Ainda falamos em seca

O Ministério do Desenvolvimento Regional reconheceu a situação de emergência em sete municípios da Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais e Pará por conta de desastres naturais. Morada Nova, no Ceará, enfrenta seca

Net “de grátis”

Fortaleza tem 61 pontos de internet gratuita. Prefeitura vai instalar mais 40 pontos de acesso gratuito. Serão no calçadão da Praia do Futuro, o Polo Gastronômico da Varjota, a Avenida Monsenhor Tabosa e a Praça Val Paraíso, no Palmeiras.

O Estado


Com mais 2.494 mortes em 24 horas, Brasil está a um dia de 430 mil vítimas da covid

O Brasil registrou ontem (12) mais 2.494 mortes por covid-19 em um período de 24 horas. Com o acréscimo, já são 428.034 vidas perdidas para o coronavírus e o país está praticamente a um dia de chegar a 430 mil vítimas desde o início do surto, em março de 2020. Foram também notificados 76.692 novos casos, totalizando 15.359.397 infectados, em 14 meses de pandemia. Isso, sem contar ampla subnotificação reconhecida por autoridades e denunciada por cientistas.

Depois de 55 dias consecutivos com média diária de mortos acima de 2 mil, este é o segundo dia seguido em que o índice está abaixo dessa marca – está atualmente em 1.948 e em queda desde o dia 12 de abril. A redução gradual das mortes é associada às medidas de isolamento social adotadas por estados e municípios, especialmente em março passado. Entretanto, o cenário relativamente positivo pode estar prestes a ser alterado.

Isso porque a curva média de casos voltou a subir, após semanas de queda. No dia 26 de abril o indicador atingiu seu nível mais baixo desde o pico, no dia 27 de março. Desde então, uma nova escalada. Na ocasião, a média estava em 56.553 novas infecções por dia. Ontem, este número está em 61.316. Como a covid-19 demora, em média, duas semanas para se manifestar de forma mais agressiva e letal, a curva de mortes deve voltar a subir nos próximos dias.

A RBA utiliza informações fornecidas pelas secretarias estaduais, por meio do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Eventualmente, elas podem divergir do informado pelo consórcio da imprensa comercial. Isso em função do horário em que os dados são repassados pelos estados aos veículos. As divergências, para mais ou para menos, são sempre ajustadas após a atualização dos dados.

Escalada

A escalada no número de mortes é puxada por nove estados: Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Em São Paulo, por exemplo, medidas de isolamento social foram abandonadas pelo governador João Doria (PSDB). Atividades não essenciais abertas e poucas restrições. Ruas lotadas, baladas em funcionamento e bares com pessoas disputando cadeiras. Tudo isso em meio à chegada do frio, que estimula aglomerações e tende a elevar a transmissão de vírus por via aérea.

Outros 13 estados estão em relativa estabilidade: Acre, Amapá, Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins. Apenas quatro estados registram queda, de acordo com dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). São eles: Amazonas, Espírito Santo, Goiás e Mato Grosso. Ainda de acordo com a entidade, a tendência geral é considerada de estabilidade em um nível alarmante.

Rede Brasil Atual


VOLVER

Más notas sobre el tema