Brasil | Piden a Bolsonaro que se aísle luego de que un ministro dé positivo por Covid-19 en Nueva York

950

Brasil: organismo de control insta a que Bolsonaro haga cuarentena

La Agencia Nacional de Vigilancia Sanitaria (Anvisa) de Brasil recomendó este miércoles que el presidente, Jair Bolsonaro, y los funcionarios que lo acompañaron a Nueva York para la Asamblea de la ONU, realicen una cuarentena luego de que el ministro de Salud, Marcelo Queiroga, dio positivo en el test de coronavirus.

El presidente arribó a Brasilia este miércoles poco antes de las 7 horas y permanecía en la residencia oficial de Alvorada.

En la madrugada, Anvisa envió un oficio a la Casa Civil (jefatura de gabinete) de la Presidencia recomendando que Bolsonaro y demás ministros permanezcan aislados durante 14 días y se realicen nuevos tests.

El documento de Anvisa se basa en los “reglamentos vigentes para proteger a los viajeros y a la población brasileña”.

En la noche del martes el ministro Queiroga dio positivo en el test al que fue sometido en Nueva York por lo que no pudo embarcar con el resto de la delegación con destino a Brasil.

Por su parte Bolsonaro divulgó en las redes sociales un video en el que fue saludado por decenas de brasileños en Nueva York, antes de regresar a Brasilia. El presidente, fiel a su estilo, no llevaba barbijo.

Junto a las imágenes en las que el grupo canta el himno y hace flamear banderas, el mandatario posteó la frase ” Gracias brasileños de Nueva York (estoy) rumbo a Brasil”.

Ámbito


Covid-19: ministério volta a recomendar vacinação de adolescentes

O Ministério da Saúde voltou a recomendar a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos contra a covid-19 – incluindo jovens sem comorbidade. O anúncio foi feito na noite desta quarta-feira (22) durante coletiva de imprensa, uma semana após a recomendação da pasta de suspender a imunização nessa faixa etária, exceto em casos de comorbidade.

De acordo com secretário-executivo do ministério, Rodrigo Cruz, um comitê formado por representantes da pasta e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou que a morte de uma jovem de 16 anos em São Bernardo do Campo não está relacionada à vacina. “Os benefícios da vacinação são maiores que os eventuais riscos de eventos adversos”, disse.

Na coletiva, Cruz disse que, até o momento, somente o imunizante da Pfizer possui autorização da Anvisa para ser aplicado na faixa etária de 12 a 17 anos. A pasta constatou ainda que, apenas em 0,7% de todas as doses aplicadas em adolescentes no Brasil, foram utilizados imunizantes sem autorização da agência.

“Hoje, o ministério não suspende mais de forma cautelar a imunização em adolescentes sem comorbidades. Essa vacinação tem a aprovação da Anvisa e está liberada pelo ministério. Mostrou-se que, de fato, os benefícios para imunizar esse grupo são maiores que os eventuais riscos de eventos adversos na imunização desses adolescentes”, reforçou.

Mais vulneráveis e dose de reforço

O secretário-executivo destacou que a recomendação da pasta é que seja priorizada a imunização de adolescentes considerados mais vulneráveis, incluindo jovens de 12 a 17 anos com deficiência permanente, com algum tipo de comorbidade e jovens privados de liberdade.

“Não só esse grupo, mas também aquela população que necessitará de reforços de vacinação deve ser priorizada e o encurtamento de prazo da segunda dose da população adulta também deve ser priorizado”, concluiu.

Jornal Do Brasil


VOLVER

Más notas sobre el tema