Brasil | Alcaldes de Río y San Pablo preparan el carnaval “más masivo de todos los tiempos”

553

Río de Janeiro y San Pablo preparan el mayor Carnaval de todos los tiempos en 2022, sin distanciamiento social ni medidas de seguridad sanitaria, confiando en que la pandemia estará bajo control por el avance de la vacunación, anunciaron sus autoridades.

En ese marco, hubo coincidencias entre los intendentes de Río de Janeiro, Eduardo Paes, y el de San Pablo, Ricardo Nunes, de que la fiesta más emblemática de Brasil -el martes de carnaval será el 1 de marzo de 2022- volverán a ser organizadas luego de la cancelación, por la pandemia, en 2021.

San Pablo, mayor ciudad del Sudamérica con 12 millones de residentes, prepara el mayor carnaval callejero de la historia en 2022 en virtud del descenso de los casos, hospitalizaciones y muertes por coronavirus.

“La tendencia hoy es que habrá Carnaval, muy probablemente tendremos nuestro carnaval. Esto si se continúa con los datos de hoy (de la pandemia), con aumento de la vacunación y la caída del número de muertos”, dijo Nunes.

La expectativa es que se tenga “el carnaval más masivo de todos los tiempos” con 15 millones de personas visitando las comparsas callejeras en febrero y marzo próximo.

Por eso, Nunes anunció que habrá un llamado a licitación para la contratación de servicios que forman parte de la industria del carnaval callejero, además del clásico desfile en el sambódromo.

En la ciudad de San Pablo, la inmunización con el esquema completo de vacunación llegó al 80% de los mayores de 18 años.

Desde el inicio de la pandemia, en San Pablo hubo 38.235 muertos por Covid-19 y 1.511.970 contagios. En la ciudad se registró el primer caso confirmado de coronavirus el 26 de febrero de 2020, justamente una semana después del Carnaval.

Por su parte, Río de Janeiro, la capital mundial del Carnaval, ya dio la señal de largada para la gran fiesta del “Rey Momo” pese a la opinión de los especialistas.

Paes dijo que su intención es organizar el carnaval sin medidas de seguridad sanitaria, confiando en el avance de la vacunación.

Para Paes, “con la vacunación todo vuelve a la normalidad”.

“No da hacer distanciamiento en el Carnaval. Es hasta ridículo pedir un metro de distancia. Si hubiera una medida en ese sentido yo sería uno de los que no las respetaría. No vamos ser viudas de la pandemia, queriendo tener pandemia por el resto de la vida. La ciencia avanzó y ganó, gracias a Dios”, dijo Paes.

“No da hacer distanciamiento en el Carnaval. Es hasta ridículo pedir un metro de distancia”, EDUARDO PAES.

Río anunció este martes que a partir del 15 de octubre se prepara para aplicar el fin de la obligatoriedad para el uso de tapaboca en lugares abiertos de la ciudad maravillosa.

Otros de los carnavales masivos de Brasil, en Salvador, capital de Bahía, aún no tiene decisión sobre su realización.

Como la fiesta oficial en Bahía se realiza dentro de una zona delimitada, el intendente de Salvador, Bruno Reis, dijo que era probable que se necesite el certificado de vacuna para participar de las fiestas oficiales.

El viernes pasado, la Fundación Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada al Ministerio de Salud, dijo que se espera que “en los primeros meses de 2022” se logré el fin de la pandemia en Brasil con una vacunación completa de la mayor parte de la población.

Los números de la pandemia en Brasil

Brasil, que se acerca a las 600.000 muertes por la pandemia, ha inmunizado en forma completa al 41% su población, según datos del Ministerio de Salud.

Es el tercer país en casos después de Estados Unidos e India y el segundo en muertes, luego de Estados Unidos.

El promedio móvil de fallecidos diarios es de 500, el menor nivel desde noviembre de 2020, según la estadística del Consejo Nacional de Secretarías de Salud (Conass).

El presidente Jair Bolsonaro se ha pronunciado en contra del pasaporte de la vacuna para la reapertura económica.

Télam


Capitais estudam Carnaval sem restrições em 2022; confira planejamentos

Por João de Mari

A menos de seis meses para o Carnaval de 2022, quatro capitais brasileiras já começaram a desenhar os planos para realizar o evento sem restrições de distanciamento social e uso de máscaras contra a Covid-19.

À CNN, as prefeituras de Salvador e Recife afirmaram nesta terça-feira (5) que estudam a possibilidade do Carnaval de 2022 acontecer “desde que a pandemia esteja controlada”.

Os prefeitos de São Paulo e Rio de Janeiro sinalizaram também que há chances das cidades celebrarem a festa.

No Carnaval de 2020, as quatro capitais reuniram mais de 42 milhões de pessoas, segundo dados das prefeituras. Em 2021, o evento foi cancelado devido ao novo coronavírus.

Confira o planejamento dessas capitais:

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), disse que acredita que o Carnaval e o Réveillon poderão acontecer sem distanciamento social e máscaras de proteção na cidade. O Comitê Científico do Rio se mostrou favorável nesta terça-feira (5) para a realização das festas.

No domingo (3), Paes já havia dito que, se houver Carnaval em 2022, a festa será realizada sem restrições. Ele ressaltou, porém, que vai depender da situação da pandemia e da manutenção na queda de casos da Covid-19 na cidade.

Segundo estimativa do secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, 65% da população carioca deve ter completado o ciclo vacinal no dia 15 de outubro. O índice é considerado pelo Comitê Científico da Prefeitura do Rio como desejável para as pessoas deixarem de usar máscaras de proteção contra a Covid-19 em locais abertos e sem aglomeração, e a cidade seguir o Plano de Flexibilização.

À CNN, um dos integrantes do Comitê, o médico infectologista Alberto Chebabo informou que a expectativa é de que o Rio conclua a segunda etapa do plano vacinal entre os dias 20 e 25 de outubro, com mais de 65% da população carioca imunizada com a 2ª dose da vacina contra Covid.

A cidade do Rio de Janeiro recebeu mais de 10 milhões de pessoas no Carnaval de 2020.

São Paulo

Em São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) alegou que a cidade de São Paulo terá Carnaval apenas se os números da Covid-19 continuarem em baixa e a pandemia estiver controlada. No entanto, o prefeito já disse que a estimativa é que 15 milhões de pessoas participem da folia na cidade.

Ele afirmou que encomendou um estudo aos técnicos da Secretaria de Saúde para que seja possível eliminar a obrigatoriedade do uso de máscaras na capital paulista em áreas externas.

“Tanto o Carnaval de rua quanto o do sambódromo, não conseguiríamos fazer se não houvesse uma preparação antes. Não dá pra esperar até fevereiro para eles começarem a fazer toda a preparação”, disse Nunes. “Todo mundo sabe que temos um compromisso que, se a questão sanitária continuar como está, teremos Carnaval. E, se isso alterar, não teremos”, acrescentou o prefeito.

Em setembro, as escolas de samba da capital paulista receberam aval para se prepararem para o desfile de 2022 no Sambódromo do Anhembi. A autorização foi dada pela empresa responsável pelos eventos e turismo SPTuris.

De acordo com o decreto publicado no Diário Oficial, os desfiles dependem da autorização de órgãos municipais de Saúde e da imunização de pelo menos 70% dos paulistanos.

Salvador

Já em Salvador, o prefeito Bruno Reis (DEM) também afirmou que “haverá festa”, referindo-se ao Carnaval e ao Réveillon, caso haja patrocinador e condições sanitárias. Em 2020, a capital da Bahia reuniu 16,5 milhões de foliões.

Nesta terça-feira (5), Reis ressaltou que Salvador não registou aumento nos números de casos da Covid-19, diferente de outras cidades baianas. Ele atribuiu o feito ao avanço da vacinação na capital.

Durante coletiva, ao ser questionado sobre o Carnaval do ano que vem, o prefeito disse que Salvador terá Carnaval se houver condições sanitárias.

“Vi ontem São Paulo anunciando que pode ter carnaval com 83% de pessoas com a primeira dose. Nós estamos com 97,6%. Temos condições de fazer. Com as barreiras, revistas, e todas as restrições necessárias, como exigir o cartão de vacinação com a segunda dose”, disse.

Recife

A prefeitura de Recife instalou uma comissão para planejar o Carnaval de 2022 na cidade. Nesta terça-feira (5), o prefeito João Campos (PSB) ressaltou que a decisão da realização ou não do evento é “estritamente das autoridades sanitárias”.

Embora a gestão do prefeito João Campos tenha instalado nesta terça-feira (5) a Comissão Interna do Carnaval, formada por secretarias do município do Recife que darão as diretrizes para realização do evento, o Carnaval 2022 ainda não está definido.

“A gente está formando, no dia de hoje, a comissão do Carnaval. Vai ser uma comissão constituída pelas secretarias do município com atuação direta na construção e na realização do Carnaval, para que todos os processos burocráticos e administrativos sejam iniciados, garantindo que o Recife estará apto a realizar um grande Carnaval. Lembrando que a decisão da realização ou não do Carnaval é estritamente das autoridades sanitárias”, disse o prefeito João Campos.

Segundo a Prefeitura, o evento dependerá do parecer das autoridades sanitárias.

Em 2020, o carnaval do Recife teve um público de 2 milhões de pessoas durante os cinco dias oficiais da festa, segundo dados da Prefeitura. A administração municipala considerou o evento pré-pandemia como o maior de toda a história da cidade.

CNN Brasil


VOLVER

Más notas sobre el tema