Abdo Benítez y Bolsonaro se reunieron para reforzar las relaciones bilaterales entre Paraguay y Brasil

685

Abdo y Bolsanaro destacan cooperación entre ambos países y diálogo sobre “temas de interés”

Desde el Palacio de Planalto, el presidente del Brasil, Jair Bolsonaro, fue el primero en comunicar sobre los temas conversados con el presidente de la República, Mario Abdo Benítez, quien viajó hasta Brasilia.

Dijo que se conversó sobre las obras del segundo puente con Paraguay, y al respecto señaló que en los próximos días viajará hasta Carmelo Peralta, fronterizo con Puerto Murtiño, donde se concretaría la construcción del Puente Bioceánico.

“También tratamos sobre lo que tenemos pendiente, con la nación amiga, el Tratado del Anexo C de Itaipú Binacional”, mencionó sin dar más detalles de las posiciones que se tienen en el caso.

Bolsonaro adelantó que de las cosas tratadas se tiene previsto la creación de tilapias en el embalsadero de Itaipú, lo que destacó será de gran provecho para ambas naciones.

También resaltó la importante ayuda en el combate del crimen organizado, uno de los principales flagelos en la región.

Por su parte, el presidente paraguayo dijo que durante la “larga charla y reunión” se abordaron los puntos de interés en la relación bilateral entre la República Federativa del Brasil y la República del Paraguay.

Enfatizó la importancia del contrato de adjudicación del puente internacional en el norte del país, pendiente a firmarse, y destacó las obras que unen a ambos países. “Después de la construcción del Puente de la Amistad, que es una obra que unió a ambos pueblos hace ya más de 50 años, luego la construcción de la represa de la Itaipú Binacional, que también forma parte de esa alianza estratégica en el desarrollo de ambos pueblos, con esta obra más (Puente Bioceánico) se refuerza la alianza en la historia del Brasil y Paraguay”, indicó Mario Abdo Benítez.

Otro tema que también fue conversado es sobre todo las cuestiones comerciales que unen a los países vecinos, como las inversiones brasileñas en Paraguay, entre ellas, los autopartes, y otras.

Asimismo, Abdo extendió la invitación a Bolsonaro para visitar oficialmente Paraguay y mencionó que la reunión quedó en un cuarto intermedio para seguir avanzando en las negociaciones.

Ninguno de los mandatarios se refirió a la tarifa de la energía de Itaipú, ya que hasta ahora no hay acuerdo al respecto. Abdo incluso viajó acompañado del canciller Euclides Acevedo, y el titular de la ANDE, Félix Sosa.

Última Hora


Bolsonaro fala em fronteira blindada após reunião com presidente paraguaio

Ao receber o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu hoje a cooperação entre os dois países no combate ao crime organizado e afirmou que a inauguração de um sistema de radar em Ponta Porã (MS) deve “blindar” a região da fronteira, que vive uma onda violenta de assassinatos.

Tratamos também da questão do crime organizado. O Paraguai tem nos ajudado e muito nessa questão. Inauguramos mais um radar em Ponta Porã, o deixa basicamente toda a nossa fronteira blindada com esse novo radar. Presidente Jair Bolsonaro, sem entrar em detalhes, durante evento realizado no Palácio do Planalto
Relacionadas

A inauguração da estação radar para controle do espaço aéreo em Ponta Porã ocorreu em julho. Esta foi a terceira inaugurada pela FAB (Forças Aérea Brasileira) em convênio com o Ministério da Justiça e Segurança Pública. A primeira foi em agosto de 2020, em Corumbá (MS), e a segunda, em março de 2021, em Porto Murtinho (MS).

Antes paraíso dos muambeiros, a fronteira seca entre os dois países afunila a rota do tráfico de drogas e se transformou em “teatro de guerra” entre justiceiros, matadores de aluguéis, facções e narcopolíticos, conforme registrou reportagem especial do TAB, plataforma do UOL, na semana passada.

Segundo levantamento, nos últimos três meses, houve ao menos seis atentados com mais de uma vítima. Os casos foram registrados em quatro municípios dos dois países, em pontos estratégicos para o comércio internacional de entorpecentes: a fronteira entre Pedro Juan Caballero, no Paraguai, e Ponta Porã, e Capitán Bado e Coronel Sapucaia (MS).

Entre os ataques, a chacina que deixou quatro pessoas mortas ao serem atingidas por mais de 100 disparos de fuzil no dia 9 de outubro na saída de uma casa noturna em Pedro Juan Caballero. A polícia investiga a ligação desse crime com o PCC (Primeiro Comando da Capital). O caso ocorreu um dia após o assassinato do vereador Farid Charbell Badaoui Afif, morto a tiros em Ponta Porã (MS)

Noticias UOL


Sob coros de ‘genocida’ e ‘mito’, Bolsonaro recebe na Câmara medalha de Mérito Legislativo

O presidente Jair Bolsonaro foi à Câmara nesta quarta-feira (24) para receber a medalha de Mérito Legislativo, que foi entregue em sessão solene no plenário. Durante o evento, Bolsonaro ouviu coros de “genocida”, partindo de parlamentares rivais, e de “mito”, por parte dos aliados.

Bolsonaro fez a pé o percurso de menos de 1 km do Palácio do Planalto ao Congresso, onde foi recebido pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Antes da entrega da medalha, a segunda secretária da Câmara, deputada Marília Arraes (PT-PE), fez um discurso com críticas a Bolsonaro, sem citar diretamente o nome do presidente. Ela disse que o Poder Executivo deve se comportar como representante do povo, mas nem sempre isso acontece. Marília estava sentada à mesa da Câmara, a algumas cadeiras de distância de Bolsonaro.

“Como sabemos o Poder Executivo, eleito de maneira majoritária, deveria se comportar como representante do povo, mas muitas vezes esse pretenso povo age antidemocraticamente quando animado por espíritos sectários, taxando como inimigos e excluindo os divergentes da entidade unitária e mítica da qual julgam fazer parte aqueles que não se encontram dentro do seu cercadinho mental”, afirmou a deputada, em referência ao chamado “cercadinho” de apoiadores que saúda o presidente todos os dias na porta do Palácio da Alvorada.

Em seguida, começou a cerimônia de entrega das medalhas. Bolsonaro foi o primeiro a ser chamado. Nesse momento, começaram as vaias e os gritos de “genocida”, partindo dos deputados que são contrários ao presidente. O grupo a favor reagiu e começou a gritar “mito”.

Bolsonaro recebeu a medalha de Lira e não respondeu aos gritos dos opositores.

A medalha

A medalha do Mérito Legislativo foi criada em 1983. A costuma ser concedida a pessoas e entidades que “prestaram serviços relevantes ao poder Legislativo ou ao Brasil”, segundo o site da Câmara.

Além de Bolsonaro, neste ano estão entre os homenageados o Papa Francisco, o ministro de Relações Exteriores, Carlos França, o fotógrafo Sebastião Salgado e o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins.

Entrada sem vacina

O presidente da República segue dizendo que não tomou a vacina contra a Covid. Um ato assinado por Lira no mês passado passou a exigir a comprovação de pelo menos uma dose da vacina para permitir a entrada na Câmara.

A regra, no entanto, não tem sido aplicada a autoridades e parlamentares em geral, apenas a funcionários, imprensa e servidores.

G1


 

Más notas sobre el tema