Brasil | Bolsonaro puso en duda la vacunación en niños y criticó a científicos de la Agencia de Vigilancia Sanitaria

766

Bolsonaro puso en duda la vacunación en niños y cargó contra científicos de Anvisa

El presidente de Brasil, Jair Bolsonaro, puso este jueves por la noche en duda la aprobación de los científicos de la Agencia Nacional de Vigilancia Sanitaria (Anvisa), el ente regulador que aprobó la vacuna contra la Covid-19 para niños, e impulsó la divulgación pública de los nombres de los especialistas que tomaron la medida.

“Tenemos el derecho de saber el nombre de esas personas que aprobaron la vacunación; yo no me puedo meter pero quiero que los padres puedan elegir, yo tengo una hija de 11 años y voy a estudiar con mi esposa si vale la pena que nuestra hija pueda recibir la vacuna”, afirmó Bolsonaro en una transmisión de video por Facebook.

El presidente, quien sostiene que no se vacunó contra la Covid-19, se refirió a la autorización para aplicar dosis de Pfizer a niños de entre cinco y 11 años.

Brasil apenas aplica la vacuna para mayores de 12 años.

Pese a la aprobación, no hay vacunas con dosis preparadas para niños en Brasil, según el Ministerio de Salud, por lo que no hay previsión para el inicio de la inmunización.

“Vamos a analizar esta documentación para luego tomar una posición. La aplicación de la vacuna en niños depende del momento epidemiológico”, afirmó el ministro de Salud, Marcelo Queiroga.

Télam


Bolsonaro intimida técnicos da Anvisa e diz que vai divulgar nome de quem aprovou vacinas para crianças

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que quer divulgar os nomes dos integrantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que aprovaram a utilização da vacina da Pfizer para crianças a partir de 5 anos. Em transmissão nas suas redes sociais, Bolsonaro disse que pediu a lista de forma “extra-oficial” para que “todos tomem conhecimento” dos nomes dos técnicos responsáveis pela aprovação.

Durante a “live”, Bolsonaro leu uma das recomendações feitas pela Anvisa para que os pais sejam orientados a procurar um médico caso a criança apresente dores repentinas no peito, falta de ar ou palpitações após receber a vacina.

— Não sei se são diretores e o presidente que chegaram a essa conclusão ou o tal do corpo técnico. Mas seja qual for, você tem direito a saber o nome das pessoas que aprovaram a vacina a partir de 5 anos para seu filho. E você decida se essa vacina se compensa ou não — disse Bolsonaro.

Nesta quinta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma resolução por meio da qual oficializa a vacinação com Pfizer de crianças de 5 a 11 anos. O documento saiu em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O órgão incluiu a faixa etária na bula do imunizante na manhã desta quinta. A resolução, que já está em vigor, é assinada pelo gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos (GGMED) da Anvisa, Gustavo Mendes.

Segundo a Anvisa, devem ser aplicadas duas doses com intervalo de 21 dias. Até o momento, essa é a única vacina aprovada para o público infantil. Logo, não deve haver intercambialidade de vacinas, isto é, mistura de doses.

A vacinação de crianças foi o primeiro assunto abordado pelo presidente durante a transmissão. Bolsonaro avisou logo de início aos seus espectadores que não interfere na Anvisa e que a agência não está subordinada a ele.

— Deixar bem claro isso, não interfiro lá. Pedi extra-oficialmente o nome das pessoas que aprovaram a vacina para crianças a partir de 5 anos. Nós queremos divulgar o nome dessas pessoas para que todo mundo tome conhecimento quem são essas pessoas e forme o seu juízo.

O Globo

Más notas sobre el tema