Bolsonaro afirma en Rusia junto a Putin que “Brasil es un país soberano”

1.083

“Brasil es soberano”, responde Bolsonaro junto a Putin ante el malestar de EEUU

El presidente Jair Bolsonaro reivindicó la “soberanía” de Brasil tras ser recibido este miércoles en Moscú por su par ruso Vladímir Putin, en una visita objetada por Estados Unidos en medio de las tensiones de Occidente con el Kremlin por Ucrania.

“Brasil es un país soberano. Tuvimos informaciones de que a algunos países les gustaría que el evento no se realizase y algunos pensaban que lo peor podría suceder durante nuestra presencia aquí”, dijo a la prensa el mandatairo ultraconservador, en referencia a los temores de que Rusia invada a su vecino.

La relación entre Brasil y Estados Unidos se ha enfriado desde que el republicano Donald Trump dejó la Casa Blanca, principalmente por críticas de Joe Biden a la gestión bolsonarista en el Amazonas.

“Nuestra misión aquí es comercial y de paz”, precisó Bolsonaro, poniendo de relieve el interés de Brasil, una potencia agrícola, por los fertilizantes rusos.

Los rusos “tienen obviamente un interés enorme en vender fertilizantes y nosotros un gran interés en adquirirlos”, declaró.

Bolsonaro viajó acompañado por sus ministros de Exteriores, de Defensa y de Minas y Energía, quienes trataron con sus pares rusos varios proyectos, entre ellos uno de “construcción de pequeñas usinas generadoras de energía eléctrica nuclear”

El presidente brasileño, que este año buscará con toda probabilidad la reelección, hizo hincapié en la proximidad personal con Putin y en “la sintonía de los valores rusos” con los brasileños, “en especial [los relacionados] con el cristianismo y la defensa de los valores familiares”.

El encuentro duró dos horas y fue “bastante productivo”, dijo Bolsonaro.

“Brasil es nuestro socio principal en América Latina”, declaró por su lado Putin, dando cuenta igualmente de un “diálogo constructivo”, que contribuirá a “reforzar más las relaciones ruso-brasileñas”.

A diferencia de lo que hizo con varios dirigentes extranjeros recientemente, que se sentaron en el otro extremo de una larga mesa de 6 metros durante sus reuniones con Putin, a Bolsonaro solo lo separaba una mesita de café de su homólogo ruso.

Esto podría deberse, según los medio rusos, a que el presidente brasileño, conocido por sus controvertidas posturas frente a la pandemia y que no está vacunado contra el coronavirus, se habría sometido a un test de Covid-19 en Rusia.

“Realmente vuelvo a Brasil con el sentimiento de que [la visita] ha sido más que un casamiento perfecto. Lo percibí en la fisonomía, por la manera en que fui tratado fuera de la agenda oficial, que ese es también el sentimiento que [Putin] tiene de Brasil”, dijo Bolsonaro.

En su declaración conjunta tras la reunión, ambos países subrayaron su “voluntad de reforzar la colaboración estratégica y de profundizar en el diálogo político”.

Asimismo, destacaron el “importante potencial de cooperación” en el ámbito de la energía, así como las complementariedades en los sectores del petróleo y el gas, la eficiencia energética y las energías renovables.

Bolsonaro, cuyo país es miembro con Rusia de los BRICS (junto a India, China, Sudáfrica), agradeció a Putin su reiterado apoyo a Brasil como un candidato fuerte para un puesto permanente en un Consejo de Seguridad de las Naciones Unidas reformado, según un comunicado difundido por el Ministerio brasileño de Relaciones Exteriores.

También le dio las gracias por la elección de Brasil para un puesto no permanente en el Consejo de Seguridad en el bienio 2022-2023.

Antes de salir hacia Moscú, Bolsonaro hizo un guiño a Ucrania e informó que su canciller conversó por teléfono con el canciller ucraniano.

El jueves, Bolsonaro viajará a Hungría, donde se encontrará con el primer ministro Viktor Orban, otra figura representativa de la derecha ultranacionalista que en los últimos años registró avances en varios países.

Ámbito Financiero


Na Rússia, o Presidente Jair Bolsonaro tem reunião com Vladimir Putin e trata de temas de interesse dos dois países

Em visita oficial à Rússia, nesta quarta-feira (16/02), o Presidente da República, Jair Bolsonaro, se reuniu, com o presidente do país, Vladimir Putin. Em seguida, os dois chefes de Estado participaram de um almoço de trabalho e fizeram declaração à imprensa detalhando os temas tratados no encontro.

Ao ser recebido por Vladimir Putin no salão oficial do Palácio do Kremlin, sede do governo, em Moscou, o Presidente Jair Bolsonaro declarou estar honrado com o convite para a visita e afirmou que o Brasil e a Rússia têm muito a avançar nas Relações Bilaterais.

“Estou muito feliz e honrado pelo seu convite, somos solidários à Rússia, muito a colaborar com várias áreas, defesa, petróleo e gás, agricultura, e reuniões estão acontecendo. Tenho certeza que até mesmo essa passagem por aqui dá um retrato para o mundo que nós podemos crescer muito nas nossas relações bilaterais”, disse o Presidente Jair Bolsonaro ao presidente russo.

Na declaração à imprensa, o Presidente Jair Bolsonaro afirmou que os dois mandatários conversaram por quase duas horas e identificaram que Brasil e Rússia compartilham valores comuns e tem áreas de interesse para ampliar a pauta de comércio bilateral.

“Constatamos a retomada do comércio bilateral aos níveis anteriores à pandemia. O Brasil é uma potência, em especial, no agronegócio. Existe muito interesse da nossa parte no comércio de fertilizantes. O que sou grato ao prezado amigo. Notamos o interesse russo em plantas habilitadas brasileiras para aquisição de produtos de origem animal. Reativamos, no ano passado, o Conselho Empresarial Brasil-Rússia que prossegue em reuniões na tarde de hoje”, afirmou.

O Presidente Jair Bolsonaro detalhou áreas para o desenvolvimento da cooperação e de novos negócios. “No campo da energia existem amplas oportunidades para ampliarmos negócios nas áreas de exploração de gás, petróleo e derivados. Desejamos aprofundar o nosso diálogo de alto nível em temas como exploração em águas profundas e hidrogênio. Temos interesse nos pequenos reatores nucleares modulares”, disse.

Ainda durante o encontro, foi atribuída elevada prioridade à dinamização da aliança tecnológica Brasil e Rússia. “Sugeri trabalharmos juntos em áreas de ponta como nanotecnologia, biotecnologia, inteligência artificial, tecnologia de informação e comunicações e pesquisa em saúde”, relatou o Presidente Jair Bolsonaro.

Sobre o tema meio ambiente, o Presidente Jair Bolsonaro citou que o Brasil e a Rússia abrigam as duas maiores extensões florestais do mundo e decidiram estabelecer diálogo sobre biodiversidade e sustentabilidade. Ele fez um agradecimento a Vladimir Putin. “Quando alguns países questionaram a Amazônia como patrimônio da humanidade, quero agradecer sua intervenção que sempre esteve ao nosso lado em defesa da nossa soberania”, disse.

O Presidente Jair Bolsonaro ainda destacou o apreço do Brasil pela paz no mundo. “Também somos solidários a todos aqueles países que querem e se empenham pela paz”, disse. Mais à frente, retomou o assunto “Pregamos a paz e respeitamos todos aqueles que agem dessa maneira, afinal de contas, esse é o interesse de todos nós, paz para o mundo”, afirmou.

Na declaração à imprensa, o Presidente Jair Bolsonaro lamentou as mortes ocorridas em Petrópolis (RJ) em razão das fortes chuvas que atingem a cidade e prestou solidariedade aos familiares das vítimas. Vladimir Putin havia mencionado o tema em seu discurso prestando condolências ao chefe de Estado brasileiro.

“Agradeço seus votos de solidariedade para com a população de Petrópolis, no Rio de Janeiro, que foi acometida no dia de ontem por uma catástrofe”, afirmou.

Após o encontro, o Ministério das Relações Exteriores divulgou o comunicado conjunto dos presidentes Jair Bolsonaro e Vladimir Putin, onde registra que, na reunião, os chefes de estado “reiteraram o interesse mútuo na ampliação e diversificação da pauta de comércio bilateral, com maior participação de mercadorias de alto valor agregado, e da cooperação econômica” e “discutiram as perspectivas de fortalecimento da cooperação e intercâmbio militar bilateral”, entre outros.

O Presidente Jair Bolsonaro chegou à Rússia na terça-feira (15/02) e os compromissos oficiais começaram nesta quarta-feira (16/02) com a cerimônia de oferenda floral no Túmulo do Soldado Desconhecido. Ainda hoje, estão na agenda uma reunião com o Presidente da Duma do Estado, a Câmara Baixa do Parlamento, o Deputado Vyacheslav Volodin, e um encontro empresarial Brasil-Rússia. Na quinta-feira (17/02), o Presidente embarcará para Budapeste, capital da Hungria, onde também faz uma visita oficial.

Relações Diplomáticas e Comerciais

O Brasil se tornou o primeiro país da América do Sul com o qual a Rússia formalizou relações diplomáticas, ainda em 1828. O relacionamento tem sido estreitado de maneira significativa por meio de visitas de altas autoridades e do diálogo no âmbito multilateral em foros internacionais como as Nações Unidas, o G-20 e as reuniões do Brics, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores.

A Rússia é um dos 15 maiores parceiros comerciais do Brasil. As trocas estão concentradas na cadeia do agronegócio. O Brasil compra da Rússia, sobretudo, fertilizantes químicos e exporta, principalmente, grãos, carnes e açúcares.

Presidência da República


‘Coincidência ou não, parte das tropas deixaram a fronteira’, diz Bolsonaro após reunião com Putin

Após o pronunciamento conjunto com o presidente russo, Vladimir Putin, ao término de uma reunião a portas fechadas no Kremlin, o presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que a crise da Ucrânia não foi discutida durante o encontro, mas afirmou que Putin “busca a paz” no mundo. Ao relatar que foi pressionado a abandonar a agenda em Moscou em meio à crise no Leste Europeu, Bolsonaro disse que “coincidência ou não, parte das tropas deixaram a fronteira”.

O presidente brasileiro reconheceu que houve pressão de outros países para o cancelamento da agenda com Putin, sem mencionar a fonte das pressões. A uma semana da viagem de Bolsonaro à Rússia, Washington reforçou o recado de que espera que o brasileiro transmita “valores compartilhados” com os Estados Unidos, como mostrou o Estadão.

“Coincidência ou não, parte das tropas deixaram a fronteira [com a manutenção da agenda em Moscou]. Tudo indica grande sinalização de que caminho para solução pacifica se apresenta no momento”, declarou Bolsonaro a jornalistas em Moscou, após encontro com empresários locais.

De acordo com Bolsonaro, ele e Putin tiveram momentos de “muita informalidade” e comparou o seu relacionamento com o líder russo — como costuma fazer com aliados no Brasil — a um casamento. “É, realmente, mais do que um casamento perfeito o que eu levo para o Brasil”, disse o chefe do Executivo

O presidente também tentou esclarecer uma declaração polêmica da manhã desta quarta, quando disse, nas declarações iniciais do encontro com Putin, que o Brasil era “solidário” à Rússia — o que levantou questionamentos sobre o contexto da afirmação, em meio às tensões com a Otan.

“Falei para ele que Brasil é país que apoia qualquer outro país e é solidário, desde que busquem a paz. E essa é a intenção dele Não entramos em questões regionais específicas [durante o encontro bilateral], mas a posição do Brasil é essa”, declarou.

“Somos solidários a todo e qualquer país desde que caminhe para soluções. Putin é pessoa que busca a paz, qualquer conflito não interessa a ninguém no mundo”, acrescentou.

JC UOL

 

Más notas sobre el tema