Brasilia se convierte en la primera ciudad brasileña con red 5G

982

Brasilia se convierte en primera ciudad brasileña con red 5G

Brasilia, la capital de Brasil, se convirtió en la primera ciudad del gigante suramericano en contar con una red 5G, de acuerdo con un informe divulgado por la Agencia Nacional de Telecomunicaciones (Anatel).

El ente indicó que la red 5G es una tecnología disponible a la cual muy pocos tienen acceso por ahora, no obstante, en los próximos meses se extenderá hacia al menos 26 capitales regionales. Las próximas áreas con disponibilidad de este servicio serán Belo Horizonte, Porto Alegre y Sao Paulo

De acuerdo con la Agencia Nacional de Telecomunicaciones, la capital de la nación suramericana cuenta con 6.000.000 de líneas de telefonía celular, casi el doble de sus habitantes; sin embargo, solo un 20 por ciento de los móviles activos está en capacidad de operar con 5G.

Añadió que esta tecnología funcionará apenas con teléfonos de última generación, disponibles para Brasil en el mercado desde hace poco más de un año, y ellos solo se registran 67 modelos comercializados.

En consecuencia, la red 5G está disponible para al menos el 50 por ciento de la población de Brasilia, en su mayoría las residencias con mayor posibilidad económica, en los cuales durante los últimos meses se instalaron más de un centenar de nuevas antenas.

El precio de estos dispositivos en el país es equivalente a 1.800 reales (360 dólares), cifra que supera en casi un 70 por ciento al valor del salario mínimo.

Telesur


Tecnologia 5G estreia no Brasil

O sinal de 5G puro (sem interferência de outras frequências) estreia no Brasil. A primeira cidade a oferecer o sinal será Brasília, cujo funcionamento foi aprovado na última segunda-feira (4) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Próxima geração da internet móvel, a tecnologia 5G pura oferece velocidade média de 1 Gigabit (Gbps), dez vezes superior ao sinal 4G, com a possibilidade de chegar a até 20 Gbps. O sinal tem menor latência (atraso) na transmissão dos dados. Um arquivo de 5G pode ser baixado em cerca de 40 segundos nesse sistema.

A tecnologia 5G permitirá a estreia da “internet das coisas”, que permite a conexão direta entre objetos pela rede mundial de computadores. Essa tecnologia tem potencial para aumentar a produção industrial, por meio da comunicação direta entre máquinas, e possibilitar novidades como cirurgias a distância e transporte em carros sem condutores.

TIM, Claro e Vivo serão as primeiras operadoras a oferecer o sinal 5G puro em Brasília. Em princípio, serão instaladas 100 antenas que atenderão entre 40% e 50% da população do Distrito Federal. Nos próximos dois meses, mais 64 antenas passarão a funcionar, elevando o alcance da tecnologia para 65% da população.

Segundo o conselheiro e vice-presidente da Anatel, Moisés Moreira, as próximas cidades a receber o sinal 5G puro serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo, mas as datas ainda não estão previstas. No início de junho, a agência reguladora definiu que, até 29 de setembro, todas as capitais deverão contar com a tecnologia.

Acesso

Para ter acesso à tecnologia 5G, o cliente deve ter um chip e um aparelho que aceite a conexão. O cliente precisa verificar se a operadora oferece o serviço e estar na área de cobertura. O site da Anatel informa a lista de celulares homologados para o sinal 5G puro.

O consumidor precisa ficar atento porque existem celulares fora da lista que mostram o ícone 5G. Nesses casos, porém, o aparelho não opera o sinal 5G puro, mas o 5G no modo Dynamic Spectrum Sharing (DSS) ou non-standalone (NSA), chamado de 5G “impuro” por operar na mesma frequência do 4G, na faixa de 2,3 gigahertz (GHz). Dependendo da interferência, o sinal 5G “impuro” chega a apresentar velocidades inferiores ao 4G.

Parabólicas

O 5G puro ocupará na faixa de 3,5 GHz, faixa parcialmente ocupada por antenas parabólicas antigas que operam com sinal analógico na Banda C. As pessoas com esse sinal precisarão comprar uma antena nova e um receptor compatível com a Banda Ku, para onde está sendo transferido o sinal das antenas parabólicas. Famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) com parabólicas antigas receberão conversores novos, que dispensarão a necessidade de comprar outras antenas.

Segundo a Anatel, Brasília foi escolhida para estrear a tecnologia 5G por ter um número baixo de parabólicas. Conforme os dados mais recentes da agência reguladora, existem cerca de 3,3 mil parabólicas em funcionamento no Distrito Federal.

Originalmente, o edital do leilão do 5G, realizado em novembro do ano passado, previa que todas as capitais deveriam ser atendidas pela telefonia 5G até 31 de julho. No entanto, problemas com a escassez de chips e com atrasos na produção e importação de equipamentos eletrônicos relacionados à pandemia de covid-19 fez o cronograma atrasar dois meses.

Agencia Brasil

Más notas sobre el tema