Brasil | Lula asegura que buscará «reformar Mercosur» y «reorganizar Unasur»

1.931

Lula dijo que una de las misiones de su gobierno es reorganizar la Unasur

El presidente de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, aseguró que una de las misiones diplomáticas de su gobierno será reforzar la unidad del Mercosur y la «reorganización» de la Unión Sudamericana de Naciones (Unasur), al sostener que su país, como la mayor economía, debe compartir el crecimiento económico con sus vecinos de la región.

Lo hizo durante un discurso al lado del presidente paraguayo, Mario Abdo Benítez, en el marco de la ceremonia de asunción del nuevo director brasileño de la hidroeléctrica binacional Itaipú, Enio Verri, al cumplirse 50 años del tratado que creó la segunda central de su tipo en el mundo, detrás de la china Tres Gargantas.

«No queremos un Brasil rico cercado de países pobres. Brasil tiene que combinar su crecimiento con el de los vecinos. Brasil, como hermano mayor, tiene la responsabilidad de que sus vecinos crezcan para vivir en un continente de paz y tranquilidad y nunca más repetir el gesto ignorante de una guerra, como ya ocurrió entre brasileños y paraguayos», dijo Lula, al citar la Guerra de la Triple Alianza (1864-1870).

Lula sostuvo que es necesario compartir las oportunidades de su pas con la regin
Lula sostuvo que es necesario compartir las oportunidades de su país con la región

En el acto realizado en Foz do Iguazú, en la triple frontera con Paraguay y Argentina, Lula dio especial énfasis a lo que llamó la «reorganización» de la Unasur, desactivada en la última década, como un mecanismo de negociación para la paz y tranquilidad de las democracias sudamericanas.

También respaldó que el Mercosur se mantenga unido y argumentó: «Está probado que hay más fuerza para negociar estando unidos, ya que somos débiles negociando por separado».

«Vuelvo con la firme voluntad de reorganizar la Unasur, que todos comprendan la necesidad de tener paz y tranquilidad y ejercicio de democracia. Garantizar que dejemos de ser pobres o en desarrollo, tenemos el derecho de crecer y hay que crecer y distribuir el crecimiento. No puede ser que haya gente pasando privaciones», dijo Lula a su colega paraguayo.

Primicias


Itaipu é fundamental para o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai, diz Lula

Na posse do diretor-geral brasileiro da hidrelétrica em Foz do Iguaçu (PR), presidente defende fortalecimento do Mercosul e que novo tratado sobre a usina beneficie os dois países

Publicado em16/03/2023 14h58Atualizado em16/03/2023 16h03

Na cerimônia de posse de Enio Verri à frente da diretoria-geral brasileira de Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o fortalecimento do Mercosul, a reorganização da Unasul, o aprimoramento da política de relações externas brasileiras e o papel fundamental do Brasil para o crescimento dos países vizinhos.

Segundo ele, um país do tamanho do Brasil, que faz fronteira com todos os países da América do Sul, com exceção de Chile e Equador, precisa combinar crescimento econômico com avanço social de seus parceiros e ter a grandeza de compartilhar com os vizinhos tudo o que acontecer de bom com os brasileiros.

“Não é possível a gente imaginar um país rico cercado de países pobres de todos os lados. O Brasil, como irmão maior dos países da América do Sul, tem que ter a responsabilidade de fazer com que os outros países cresçam conosco para que a gente viva num continente de paz e de tranquilidade e que a gente nunca mais repita o gesto ignorante de uma guerra”, afirmou ressaltando a importância de um presidente agir com fraternidade e humanismo.

No evento na cidade paranaense, que contou também com a presença do presidente do Paraguai, Mário Abdo Benítez, Lula citou o acordo bilateral em torno de Itaipu e afirmou que a repactuação do tratado que rege as relações entre os países será feita de forma satisfatória para os dois lados, para o desenvolvimento e manutenção da relação harmoniosa na região.

“Tenho certeza de que iremos fazer um tratado que leve em conta a realidade dos dois países e que leve em conta o respeito que o Brasil tem que ter por seu aliado, o nosso querido Paraguai”, afirmou, destacando que a parceria é um acordo civilizatório, e que provou ser possível fazer tratados binacionais para que todos os envolvidos ganhem. “Será muito benéfico para manutenção do desenvolvimento do Paraguai, do Brasil e para essa relação cordial entre o povo brasileiro e o do Paraguai.”

PAPEL SOCIAL – O presidente reforçou ainda que o papel de Itaipu transcende a geração de energia, pois pode impulsionar o crescimento e a redução das desigualdades não só da região onde a usina está instalada, mas de todo o Brasil.

“Itaipu precisa ter em conta que precisa contribuir para o desenvolvimento tanto do Brasil quanto do Paraguai. Não é apenas vender energia. Um pouco do dinheiro que a empresa recebe precisa compartilhar com a sociedade, para que a sociedade receba os benefícios que tem de receber”, afirmou, destacando que a água vertida da usina pode ser usada para produção de hidrogênio verde e para gerar mais riquezas.

O ministro de Minas e Energia, Alexandre da Silveira, também enfatizou o potencial de a água vertida de Itaipu ser usada para geração de hidrogênio verde. Segundo ele, a reconstrução do Brasil está em curso e os resultados já começaram a aparecer. Silveira destacou o simbolismo da empresa para a segurança energética do país e para a geração de emprego e renda, além de energia limpa.

Foto: Ricardo Stuckert / PR
Foto: Ricardo Stuckert / PR

O novo diretor-geral da estatal, por sua vez, destacou o papel estratégico da empresa para o desenvolvimento e para a produção de energia limpa e renovável. Segundo ele, a estatal voltará a colaborar com programas sociais do Governo Federal.

RETOMADA DA UNILA – Lula também se comprometeu a retomar investimentos na Universidade da Integração Latino-americana (Unila), instituição que recebe estudantes do Brasil e dos demais países da América do Sul, e voltou a dizer que voltou à Presidência para fazer mais e melhor e recuperar o direito de os brasileiros andarem de cabeça erguida e a acreditarem no amanhã.

O presidente Lula presta solidariedade à família de Marcelo Arruda, assassinado durante a festa de aniversário em meio à campanha eleitoral de 2022. Foto: Ricardo Stuckert / PR
Lula presta solidariedade à família de policial vítima de violência pólítica. Foto: Ricardo Stuckert / PR

SOLIDARIEDADE – Durante a agenda em Foz do Iguaçu, Lula também se encontrou com a família de Marcelo Arruda, policial que foi vítima de violência política em 2022. “Ele foi covardemente assassinado por um ódio que não podemos aceitar. Minha solidariedade a sua companheira, Pâmela Silva, e seus filhos, que carregarão a memória e o orgulho do seu pai”, disse.

Presidencia de la República de Brasil


Más notas sobre el tema