Brasil | Lula confirmó asistencia a la cumbre de la UE y la CELAC en Bruselas el próximo 17 y 18 de julio

Lula confirmó que viajará a Bruselas a la cumbre de la Celac. Foto: AFP.
550

Lula confirmó que asistirá a la cumbre de la Celac

El presidente de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, confirmó este miércoles que asistirá a la próxima cumbre de la Unión Europea (UE) y la Comunidad de Estados Latinoamericano y Caribeños (Celac), en una conversación telefónica con sur par de España, Pedro Sánchez.

La cumbre, que se celebrará en Bruselas el 17 y 18 de julo, es el primer gran evento que liderará Sánchez, tras asumir hace tres días la presidencia temporaria del Consejo de la UE.

Lula y Sánchez abordaron además el estado de las negociaciones entre el Mercosur y el bloque comunitario después de que el propio mandatario brasileño defendiera la posibilidad de llegar a un acuerdo que resulte beneficioso para las partes, ahora que Brasil y España ocupan la presidencia ‘pro tempore’ de ambos bloques, respectivamente, según un comunicado de la Presidencia brasileña, informó la agencia Europa Press.

En este sentido, el brasileño dio a Sánchez la enhorabuena por asumir la presidencia del Consejo de la UE.

Lula no había aclarado si acudiría finalmente a la cumbre, que ha sido vista por ambas partes como una oportunidad de acelerar las conversaciones para un posible acuerdo entre la UE y el Mercosur.

El presidente brasileño calificó ayer de «inaceptable» la última propuesta del bloque europeo y abogó por cerrar un acuerdo «de compañeros», en el que ambos bloques se comporten como socios estratégicos, sin imposiciones.

Télam


Lula confirma participação em cúpula entre Celac e União Europeia, diz Planalto

Por Guilherme Mazui

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou nesta quarta-feira (5) ao primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, que participará neste mês da cúpula dos países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e da União Europeia.

O Palácio do Planalto, em nota, informou que Lula irá ao encontro, que vai acontecer em Bruxelas, na Bélgica, nos 17 e 18 de julho.

Lula conversou por telefone com o premiê, que preside o governo espanhol. Foi o primeiro contato entre os dois após assumirem, respectivamente, os comandos rotativos do Mercosul e do Conselho da União Europeia.

Segundo o Planalto, Lula e Sánchez falaram sobre a negociação para destravar o acordo comercial entre Mercosul e o bloco europeu.

Os líderes, que se reuniram em abril em Madri, desejam acelerar as negociações neste segundo semestre para que o acordo comercial entre em vigor.

Lula assumiu nesta terça-feira (4) a coordenação do Mercosul. Pelas regras do bloco, os presidentes de Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai se revezam à frente do grupo em mandatos de seis meses.

Acordo Mercosul-UE

Negociado desde 1999, o acordo entre os blocos teve a parte comercial finalizada em 2019.

O texto do acordo prevê uma série de mudanças em temas tarifários e não tarifários, que impactarão a compra e venda de produtos entre os países dos blocos.

O acordo está em fase de revisão pelos países dos dois blocos, que precisam ratificar o documento para que as regras entrem em vigor.

Os europeus enviaram uma carta adicional aos sul-americanos, que prevê sanções em questões ambientais. Essa mobilização é liderada pela França.

O teor do documento foi chamado por Lula de «ameaça» (relembre no vídeo abaixo). O governo brasileiro trabalha em uma resposta, que será acertada com os demais integrantes do Mercosul.

Na última terça (4), o presidente sugeriu que a contraproposta do bloco seja discutida na cúpula da Celac e da União Europeia.

«Quem sabe não seja a Celac o momento de discutir o Mercosul, porque nós vamos roubar a cena da Celac. Mas nós vamos ter que ter uma proposta e enviar a proposta para eles e chamá-los para discutir, para ver se a gente consegue, neste semestre, fazer o acordo definitivo entre União Europeia e Mercosul. […] Vou tentar ver se a gente consegue avaliar uma reunião de ministros [do Mercosul] para definir o texto que precisamos enviar», declarou.

Celac-União Europeia

Lula chegou a anunciar que o vice-presidente Geraldo Alckmin seria o representante do governo brasileira na cúpula entre Celac e União Europeia, que não é realizada desde 2015. O petista, porém, mudou de ideia.

Além da cúpula, o presidente irá à Bélgica e participará, no dia 17, de um fórum empresarial. O Planalto informou que, no encontro, deverão ser anunciados novos investimentos europeus na América Latina. Além de Sánchez, também estará presente a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

O Brasil deixou a Celac durante o governo de Jair Bolsonaro (PL) e retornou neste ano, após a posse de Lula. O bloco, criado no México em 2010, reúne 33 países interessados em ampliar a integração regional.

O Globo

Más notas sobre el tema