Brasil | Lula sobre Gaza: “Nunca había oído noticias de que los niños fueran víctimas preferenciales de la guerra»

1.484

Lula critica a Gobierno israelí por matar a niños en Gaza

El presidente de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, condenó el asesinato de niños en la Franja de Gaza, debido los bombardeos israelíes, los cuales han dejado más de 4.800 menores de edad sin vida desde el inicio de la ofensiva, el 7 de octubre.»Nunca había sabido de noticias de niños como víctimas preferenciales de una guerra; lanzan bombas donde hay niños y donde hay hospitales con el pretexto de que hay un terrorista allá», manifestó el mandatario durante un acto oficial.

En tanto, acusó a las fuerzas de ocupación de matar a civiles inocentes «sin ningún criterio».

Destacó que la respuesta del Gobierno de Benjamín Netanyahu ha sido «igual de grave», después de que los bombardeos hayan dejado más de once mil palestinos muertos.

Por otro lado, el presidente confirmó que va a recibir personalmente esta noche a los brasileños y familiares de palestinos que están llegando de Gaza a bordo del avión presidencial, así como declaró estar muy feliz por ello.

Son 32 personas que consiguieron dejar la zona de conflicto después de cruzar la frontera con Egipto, después de más de tres semanas de negociaciones.

En ese sentido, Lula afirmó que la evacuación se logró con «mucho sacrificio» porque «dependía de la buena voluntad de Israel».

«Ahora vamos a ver si aún hay gente en Cisjordania», aseguró. Brasil ha repatriado 1,477 ciudadanos, según cifras ofrecidas por la Presidencia, desde que inició la escalada del conflicto.

Telesur


‘Estão matando inocentes sem nenhum critério’, diz Lula sobre ataques de Israel a Gaza

O presidente Lula afirmou nesta segunda-feira (13) que a quantidade de crianças e mulheres mortas no conflito entre Gaza e Israel não tem precedentes e que Israel está «matando inocentes sem nenhum critério» em Gaza. Para o petista, as consequências destes ataques são tão graves quanto foi o ataque do Hamas em outubro deste ano, que deixou mais de mil israelenses mortos, além de terem sequestrado outras centenas de pessoas.

«Nessa  guerra, depois do ato provocado, e eu digo um ato de terrorismo do Hamas, que provocou um ato, as consequências da solução do Estado de Israel são tão graves quanto foi a do Hamas, porque eles estão matando inocentes sem nenhum critério. Joga bomba onde tem crianças, onde tem hospital, a pretexto de que um terrorista está lá, não tem explicação. Primeiro vamos salvar as crianças e as mulheres e ai depois faz a briga com quem quiser fazer», afirmou o presidente ao abrir seu discurso na cerimônia de assinatura do decreto que atualiza a Lei de Cotas.

Antes de criticar os ataques israelenses, Lula comemorou o resgate de 32 brasileiros que estavam em Gaza. Eles conseguiram cruzar a fronteira do Egito no domingo e retornam ao Brasil nesta segunda. O presidente também mencionou a morte de crianças e mulheres no conflito.

«Finalmente conseguimos trazer as 32 pessoas, agora vamos ver se ainda tem gente na Cisjordania que queira vir, porque nós não vamos deixar nenhum brasileiro ou brasileira lá, se ele quiser voltar. Hoje é um dia de festa», diz Lula, que ressaltou o grande número de crianças entre as vítimas. «Eu nunca tinha sabido de noticias de que crianças fossem vitimas preferenciais numa guerra. A quantidade de mulheres e crianças que já morreram e a quantidade de crianças desaparecidas a gente não tem conhecimento em outra guerra», seguiu o petista.

A fala de Lula ocorre em meio ao aumento da pressão internacional contra os ataques israelenses e os casos de inocentes mortos, sobretudo crianças hospitalizadas. Desde que o conflito começou, já são mais de 10 mil mortos na Palestina, sendo cerca de 4,5 mil crianças na Faixa de Gaza, e cerca de 1,4 mil israelenses alvos dos ataques do Hamas, além de 240 reféns sequestrados pelo grupo.

Mais cedo, durante uma coletiva de imprensa nesta segunda, o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, comentou sobre o resgate e disse que o presidente Lula está trabalhando para o cessar-fogo na região. «Lula está envolvido na questão, tem falado com chefes da região e com a ONU. A intenção dele é voltar a tratar da questão no Conselho de Segurança da ONU para encontrar uma forma de suspensão da hostilidade e uma pausa humanitária para a população civil ainda em Gaza», disse Vieira.

Resgatados desembarcam hoje

Acompanhado pelo governo federal, o grupo de brasileiros aguardava há dois dias a permissão de autoridades egípcias, israelenses e palestinas para cruzar a fronteira entre Gaza e Egito, no Portal de Rafah. A lista original tinha 34 nomes, mas duas pessoas desistiram da repatriação e decidiram permanecer em Gaza por motivos pessoais.

O grupo é formado por 22 brasileiros e dez palestinos familiares de brasileiros, sendo 17 crianças, nove mulheres e seis homens. Entre a autorização e a passagem de Gaza para o Egito, o grupo aguardou dois dias porque a fronteira havia sido fechada na sexta-feira. De acordo com o governo federal, as 32 pessoas serão atendidas por equipe com médico, enfermeiro e psicólogo em um avião VC-2.

Brasil De Fato


Brasileiros resgatados da Faixa de Gaza chegam a Brasília e são recepcionados por Lula

O avião com os 32 brasileiros resgatados da região do conflito na Faixa de Gaza pousou na Base Aérea de Brasília, nesta segunda-feira (13/11), por volta das 23h25. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está no local para receber os repatriados.

A primeira pessoa a embarcar na aeronave foi a médica da presidência da República, Dra. Ana Helena Germoglio. Os primeiros a desembarcarem serão duas crianças com quadro de desnutrição e seus responsáveis, que serão levados por uma ambulância para o Hospital da Força Aérea, onde receberão atendimento médico, conforme informou o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Paulo Pimenta.

O resgate foi feito no avião da Presidência da República, cedido para a missão. A lista de autorização de saída dos brasileiros e familiares contava com 34 nomes, no entanto, o Itamaraty informou que duas pessoas decidiram permanecer na Faixa de Gaza por motivos pessoais. O grupo que volta ao Brasil é composto por 17 crianças, nove mulheres e seis homens,

Após o desembarque das crianças, Lula recepciona os resgatados e deve falar rapidamente com a imprensa. Além do presidente, estão presentes na Base Aérea os ministros Flávio Dino (Justiça), Nísia Trindade (Saúde), Mauro Vieira (Relações Exteriores), Silvio Almeida (Direitos Humanos), Paulo Pimenta (Secom), Márcio Macêdo (Secretaria-geral), além dos comandantes das três Forças.

A aeronave saiu do Cairo, no Egito, e fez três escaladas antes de chegar a Brasília: em Roma (Itália), em Las Palmas (Espanha) e na Base Aérea do Recife.

A previsão é que os 32 resgatados permaneçam em Brasília por cerca de 48 horas para atendimento médico e psicológico, antes de seguirem em um voo da Força Aérea para São Paulo. No Brasil, eles serão acolhidos e terão a documentação expedida.

Estado de Minas

Más notas sobre el tema