Dilma Rousseff se reunió con Lula para analizar tensión con partido aliado

 

Insatisfação do PMDB é discutida por Lula e Dilma

A insatisfação do PMDB com o PT e o Palácio do Planalto, até então restrita ao grupo de deputados federais, chegou aos senadores e foi um dos temas discutidos ontem, em Brasília, entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Maior aliado do PT na coalizão dilmista, o PMDB tem ensaiado uma rebelião no Congresso e lidera a criação de um bloco “independente” de oito partidos na Câmara.

“Onde tem PT e PMDB, a presidente fica de um lado só [do PT]. Esse é um dos problemas. Os bombeiros terão que entrar em campo para apagar esse incêndio. O racha do partido é por causa do governo”, disse o presidente do PMDB, o senador Valdir Raupp (RO).

Os principais focos de tensão estão nas montagens das candidaturas aos governos estaduais, especialmente no Rio e no Ceará.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1421302-insatisfacao-do-pmdb-e-discutida-por-lula-e-dilma.shtml

PMDB ENFRENTA PT, CONVOCA BANCADA E AMEÇA ROMPER

A crise na aliança entre PMDB e PT ganhou novos capítulos neste feriado de carnaval. A origem foi a troca de críticas – que incluiu até xingamento – entre peemedebistas e o presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão. Em estreia no Sambódromo, no Rio, Falcão falou sobre demandas feitas pelo partido do vice-presidente da República, Michel Temer, ao governo federal, citando o líder na Câmara, Eduardo Cunha (RJ). Como resposta, foi tachado de “vagabundo” pelo presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani.

Cunha rebateu no Twitter nesta terça-feira, avançando no tema: ressaltou a necessidade de “repensar” a aliança e disse que seu partido não é “respeitado pelo PT”. O parlamentar escreveu ainda que “por onde passa o Rui Falcão, mais difícil fica a aliança” e descartou o interesse em indicar nomes para ocupar um novo ministério na reforma da presidente Dilma Rousseff. “Não me compare com o que o partido dele fazia no RJ,doido atrás de boquinhas (…). A bancada do PMDB na Camara já decidiu que não indicará qualquer nome para substituir ministros. Pode ficar tudo para o Rui Falcão”, provocou.

O clima da aliança, que tantas vezes já sofreu a ameaça de ser rompida, claramente ficou mais tenso. Eduardo Cunha convocou para a próxima terça-feira 11 uma reunião da bancada. Hoje, também pelo Twitter, ele diminuiu o tom, mas voltou a falar que “a realidade dessa aliança, nos termos que estão, e debaixo de agressões, como as do presidente do PT, não atendem ao PMDB”. O deputado afirmou que não seguirá a sua vontade, e sim a da maioria do partido, e que caberá à sigla tomar uma decisão. “Quando falei em repensar, não falei ainda em romper, e sim em rediscutir os termos dessa aliança, a qual não somos respeitados”, escreveu.

Nesta quarta-feira de cinzas, a presidente voltou de Salvador, onde passou o carnaval descansando, para Brasília. Na capital federal, receberá o ex-presidente Lula para uma longa conversa. Temas a serem discutidos não faltam: definir a equipe de campanha, discutir o conflito entre governo e oposição na Venezuela e, claro, como não poderia deixar de faltar, a crise com o PMDB da Câmara.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/132183/PMDB-enfrenta-PT-convoca-bancada-e-ame%C3%A7a-romper.htm