Con incertidumbre por las protestas y presencia de mandatarios, inicia la Copa del Mundo en Brasil

Copa do Mundo começa hoje em meio a expectativas e manifestações

Depois de 64 anos, o Brasil volta a sediar a Copa do Mundo. A partida de abertura será realizada hoje (12) na Arena Corinthians, em São Paulo, entre as seleções do Brasil e da Croácia. O jogo está marcado para as 17h (horário de Brasília). Ao todo, 64 partidas serão disputadas ao longo da competição, que segue até o dia 13 de julho.

Para chegar aos estádios, os torcedores deverão estar atentos às diversas mudanças no trânsito. Em cada uma das 12 cidades-sede foi adotado um esquema diferente para uso do transporte público e estacionamento de carros particulares.

Com as diversas mudanças no entorno das arenas, entidades que defendem os direitos de quem tem mobilidade reduzida estão preocupadas com o acesso aos locais dos jogos. Chegar ao estádio com facilidade e segurança pode ser um desafio para quem quiser acompanhar os jogos do Mundial.

Cada cidade definiu um esquema próprio de feriados e horários de trabalho durante os dias de jogos. De acordo com a Lei Geral da Copa, os estados, o Distrito Federal e os municípios que sediarão os eventos podem declarar feriado ou ponto facultativo nos dias das partidas. Há ainda aquelas cidades que optaram por mudar o horário do expediente em dias de jogos.

Dentro do estádio, o torcedor deve estar atento às diversas restrições impostas pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). Nas arenas não será possível entrar com tablets nem com mochilas ou sacolas grandes. Durante as partidas do Mundial, também não será permitida a entrada com instrumentos que produzam som excessivo, tais como megafones, sirenes, vuvuzelas e, inclusive, a caxirola.

Cerca de 3,7 milhões de turistas – entre eles, 600 mil estrangeiros – são esperados no Brasil durante o período do evento. A estimativa do Ministério do Turismo é que eles deixem em território nacional cerca de R$ 6 bilhões. Para conhecer melhor o país, o turista pode usar aplicativos para smartphones que trazem dicas de passeios e roteiros.

O visitante também pode ter acesso a informações sobre os principais pontos turísticos, telefones úteis e roteiros alternativos nas 12 cidades-sede com as dicas publicadas pela Agência Brasil nas últimas semanas.

A Copa do Mundo mexeu ainda com os calendários escolares. Em pelo menos sete das 12 cidades-sede, o recesso do meio do ano foi antecipado para junho, e os estudantes terão 30 dias de folga.

Para o Mundial, o país também se preparou em termos de segurança. Foram montados centros integrados nacionais e regionais para monitorar a situação nas cidades-sede. Com investimento de R$ 1,9 bilhão, a operação de segurança e defesa conta com 157 mil agentes da segurança pública e das Forças Armadas. Policiais estrangeiros também estarão no Brasil. Eles não terão poder de polícia, mas poderão auxiliar os cidadãos de seus países em caso de necessidade. Além de agentes dos 31 países que vão participar do Mundial, serão enviados policiais de mais 15 países convidados.

O Ministério da Saúde vai monitorar situações de emergência pública registradas durante a Copa por meio de um centro nacional de operações com base em Brasília. O Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (Ciocs) foi ativado no dia 28 de maio e segue em funcionamento até 23 de julho. Nas cidades-sede, cerca de 10 mil profissionais de saúde da rede pública, capacitados pelo ministério, estarão atuando durante o Mundial.

Na expectativa para a Copa, crianças, jovens e adultos encontraram na troca e na coleção de figurinhas uma maneira de entrar no clima do Mundial. Em várias capitais, pontos de troca atraíram a atenção dos brasileiros e o encontro nesses locais virou programa de domingo para as famílias.

Apesar do clima de festa em alguns lugares, o sentimento dos brasileiros está dividido quando o assunto é Copa do Mundo. Muitos sentem uma mistura de ansiedade e animação com a proximidade dos jogos e com o evento no território brasileiro. Entretanto, a indignação e a insatisfação com os gastos feitos pelo governo para a realização do evento não são ignoradas.

Para o período do Mundial, movimentos sociais planejam protestos e mobilizações.

Eles criticam os gastos com a construção e reforma de estádios, a isenção fiscal concedida à Fifa e demais empresas ligadas à promoção do Mundial, os despejos e as remoções decorrentes de obras para a Copa, a proibição do trabalho de ambulantes nas proximidades dos estádios, o aumento da exploração sexual de crianças e adolescentes (que estarão mais vulneráveis durante o evento devido ao período de férias) e o processo de expulsão das populações de rua de áreas nobres das cidades.

Em documento, a Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa (Ancop) convoca a população a se manifestar durante os jogos do campeonato: “Estar nas ruas durante a Copa do Mundo é um ato de fortalecimento da democracia e de um novo modelo de país que avance na participação direta do povo e na construção de políticas públicas efetivas em favor da justiça e igualdade social”.

Nos últimos meses, esses movimentos intensificaram a agenda de protestos e fizeram manifestações nas cidades-sede, cobrando dos governos que priorizem o investimento em políticas sociais e deem respostas às denúncias de violação de direitos humanos. Para o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, entretanto, o clima de festa durante o campeonato reduzirá as manifestações no país.

O governo federal defende que a Copa deixará legados, como a melhoria na infraestrutura das cidades e o incremento no turismo, e trará ganhos econômicos para o Brasil. Segundo o Ministério do Turismo, na Copa das Confederações, em junho do ano passado, os estrangeiros gastaram, em média, R$ 4.854 durante os 14,4 dias em que permaneceram no Brasil.

 

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-06/copa-do-mundo-no-brasil-comeca-hoje-em-meio-expectativas-e-manifestacoes

 

São Paulo tem quatro protestos marcados para esta quinta-feira

No dia da abertura da Copa, a cidade de São Paulo, palco do jogo de estreia entre Brasil e Croácia, terá ao menos quatro protestos.

O principal deles, chamado de “Grande Ato Não Vai Ter Copa”, será às 10h, em frente à estação Carrão do metrô, na zona leste.

O ato, organizado por movimentos sociais contrários aos gastos com o evento, é o que mais mobiliza a polícia.

No último protesto do grupo, em 31 de maio, adeptos da tática “black bloc” se juntaram ao grupo e houve confusão quando manifestantes tentaram entrar no metrô Barra Funda sem pagar.

De lá, segundo organizadores na manifestação, o grupo pode marchar para o Itaquerão, que fica a cerca de 12 km de distância. Eles esperam reunir 3.000 pessoas.Nesta quarta (11), PMs colaram cartazes no entorno da estação Carrão pedindo aos moradores que evitem deixar carros estacionados na região, em razão do protesto.

O ato mais próximo ao Itaquerão (a cerca de 3,5 km) ocorrerá numa invasão conhecido como Copa do Povo, do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).

O grupo promoverá jogos entre times de categorias trabalhistas como metroviários, rodoviários e professores, em contraposição à Copa. Os sem-teto não devem sair às ruas e assistirão ao jogo entre Brasil e Croácia no local.

Também a partir das 10h, em frente ao sindicato dos metroviários, está marcado um protesto pela readmissão dos 42 trabalhadores demitidos por justa causa pelo governo Alckmin (PSDB), em função da greve.

A polícia, que monitora os riscos dos atos no dia da abertura da Copa, não crê em ações do crime organizado. Outras dez capitais do país devem ter protestos.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/06/1468952-sao-paulo-tem-quatro-protestos-marcados-para-esta-quinta-feira.shtml

Aeroviários do Rio anunciam greve de 24 horas a partir de meia-noite

Os aeroviários do Rio, fazem a partir do primeiro minuto desta quinta-feira paralisação de 24 horas nos aeroportos Antônio Carlos Jobim (Galeão), Santos Dumont e Jacarepaguá. Segundo o Sindicato Municipal dos Aeroviários do Rio (Simarj), os funcionários querem melhores condições de trabalho e a assinatura da convenção coletiva. No entanto, o sindicato informou que 80% dos funcionários que atuam no chão auxiliando as manobras das aeronaves vão trabalhar em cumprimento à decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/RJ). A Justiça determinou multa de R$50 mil para sindicato em caso de desobediência.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou, por meio de nota, que as empresas aéreas possuem planos de emergência para a Copa do Mundo nos aeroportos.

Audiência de conciliação na Seção Especializada em Dissídios Coletivos do TRT acabou sem acordo entre trabalhadores e o Sindicato Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo (Sineata). Nova reunião foi marcada para segunda-feira, às 15h10.

Entre as reivindicações do Simarj estão a manutenção da data-base em 1º de dezembro; carga horária de seis horas por dia; abono em razão da Copa; reajuste do teto da cesta-básica; e observância de regras de segurança de voo.

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-06-11/aeroviarios-do-rio-anunciam-greve-de-24-horas-a-partir-de-meia-noite-de-quinta.html

Metroviários descartam greve marcada para esta quinta-feira em SP

Em assembleia na noite desta quarta-feira, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo decidiu descartar a greve marcada para esta quinta-feira, dia da abertura da Copa do Mundo, na Arena Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste da capital paulista. A categoria ameaçava nova paralisação após o governo do estado demitir, alegando justa causa, 42 metroviários na segunda-feira. Em assembleia naquele mesmo dia, a categoria havia votado um indicativo de greve para amanhã.

Antes da assembleia na tarde desta quarta-feira, o Ministério Público do Trabalho (MPT) mediou uma reunião entre representantes da Companhia do Metropolitano (Metrô) e do sindicato da categoria, que terminou sem acordo em relação às demissões. O Metrô, contudo, se comprometeu a levar à direção da companhia a proposta do MPT sugerindo que as dispensas fossem discutidas caso a caso, com a apresentação das provas das faltas graves que motivaram as demissões.

O Sindicato dos Metroviários havia divulgado nesta quarta-feira que duas das 42 demissões haviam sido revertidas, o que foi negado pelo Metrô. Na terça-feira, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que as demissões não ocorreram por conta da greve, mas sim por depredação, vandalismo e invasão de estações.

Segundo Altino Prazeres, presidente do Sindicato dos Metroviários, a entidade vai recorrer administrativamente. Na lista dos funcionários dispensados há operadores de trens, seguranças, agentes de estação e técnicos de manutenção.

A Associação de Juízes pela Democracia, em nota, disse que a dispensa dos metroviários por justa causa “não encontra fundamento em nossa legislação e constitui ato arbitrário, que ofende os princípios da legalidade e da moralidade, que devem balizar a atuação do Poder Público”.

No domingo, em julgamento do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), foi estabelecido o reajuste de 8,7% para a categoria. A Justiça do Trabalho também considerou, na ocasião, a greve abusiva e estipulou aumento da multa de R$ 100 mil para R$ 500 mil por dia caso a frota não fosse de 100% nos horários de pico.

Caso uma nova paralisação ocorresse, Alckmin garantiu a existência de um plano de contingência para operar o Metrô na capital. Alckmin acrescentou que havia uma equipe reserva para trabalhar na quinta-feira, em caso de greve dos metroviários.

Pouco antes do início da assembleia desta noite que decidiu pela suspensão da greve marcada para amanhã, os dois principais ramais do Metrô, as linhas 1-Azul e 3-Vermelha, apresentavam problemas na circulação de trens em razão de supostas falhas em duas composições. Por volta das 17h40m, os trens dessas linhas circulavam com velocidade reduzida e maior tempo de parada nas estações. A situação foi normalizada por volta das 19h.

Lula x Alckmin

Na noite desta terça-feira, em evento na capital paulista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, comentou a ameaça de paralisação por parte dos metroviários.

– Ô gente, vamos ver o seguinte: a greve é uma conquista da sociedade. Eu acho que os grevistas têm consciência de que o direito legítimo deles fazerem uma reivindicação não necessariamente tem que atrapalhar a vida das pessoas que querem ver o jogo da Copa do Mundo, ou que querem trabalhar. Eu estou consciente que as pessoas estão maduras e é o seguinte, olha, qualquer coisa que acontecer não vai impedir que o torcedor vá ver o jogo de futebol.

O governador Geraldo Alckmin rebateu nesta quarta-feira, questionado sobre a declaração de Lula de que faltou maturidade ao governo paulista no episódio.

– Entendo que o país está cansado de impunidade, cansado de hipocrisia e de solidariedade seletiva.


 http://oglobo.globo.com/brasil/metroviarios-descartam-greve-marcada-para-esta-quinta-feira-em-sp-12818141#ixzz34QNoKVZi

 

Dilma Rousseff recibirá a líderes de 12 países en el partido inaugural

Portavoces de la cancillería brasileña confirmaron que al menos 12 dirigentes internacionales acompañarán hoy a la presidenta, Dilma Rousseff, a presenciar el partido inaugural de la Copa del Mundo.

El Ministerio de Relaciones exteriores precisó que en Sao Paulo estarán los presidentes de Bolivia, Evo Morales; Chile, Michelle Bachelet; Ecuador, Rafael Correa; Paraguay, Horacio Cartes; Uruguay, José Mujica, y Surinam, Desi Bouterse.

Antes del partido, Rousseff ofrecerá un almuerzo a todos los mandatarios extranjeros y en el palco de autoridades junto a la presidenta brasileña y al primer ministro de Croacia, Zoran Milanovic estarán: el presidente de Angola, José Eduardo Dos Santos; Gabón, Ali Bongo; Ghana, John Dramani Mahama; y el emir de Qatar, Tamim bin Hamad al Zani.

Este almuerzo, según el ministro de Relaciones Exteriores chileno, Heraldo Muñoz, es simbólico porque “los derechos humanos son fundamentales para ambos Gobiernos, ya que Brasil fue gobernado por regímenes militares entre 1964 y 1985, mientras que Chile vivió bajo la dictadura del general Augusto Pinochet de 1973 a 1990”.

Para el resto de partidos del Mundial de Fútbol, otros líderes también han anunciado que viajarán a Brasil para apoyar a sus selecciones. Entre ellos figuran la canciller alemana, Ángela Merkel, el vicepresidente de Estados Unidos, Joe Biden y los presidentes de los países Bric.

A estos encuentros, que varios medios de comunicación ya han denominado como el ‘Mundial de la diplomacia’, también se unió el presidente ruso Vladimir Putin, el de China, Xi Jinping, y el cubano Raúl Castro.

Incluso, el gobierno brasileño ha confirmado que tanto a ese almuerzo como al partido inaugural asistirá el secretario general de la ONU, Ban Ki-moon.

Por ahora se espera que la reunión de los altos mandatarios sea productiva para resolver temas relacionados con protestas y la finalización de estadios.

Gobierno está atento a prevenir protestas
La policía brasileña teme que las protestas callejeras antes del partido inaugural del Mundial de Fútbol en Sao Paulo deriven en violencia, pues reportes de inteligencia indican que cientos de manifestantes intentarán bloquear las calles que conducen al estadio. La policía ha usado grabaciones de llamadas telefónicas y publicaciones en redes sociales para detectar movimientos en el partido que Brasil disputará frente a Croacia, y que atraerá a 62.000 espectadores, entre ellos líderes de la FIFA y cerca de una decena de jefes de Estado.

http://www.larepublica.co/dilma-rousseff-recibir%C3%A1-l%C3%ADderes-de-12-pa%C3%ADses-en-el-partido-inaugural_132961