Brasil: Congreso internacional debate la importancia de la memoria de la transición para la democracia

Congresso internacional debate a importância da memória da transição para a democracia

Encontro será realizado em SP entre os dias 2 e 5 de novembro; objetivo é discutir a importância da memória na transição para a democracia e sua contribuição para a garantia dos direitos humanos

Especialistas e defensores dos direitos humanos do mundo inteiro irão se reunir, entre os dias 2 e 5 de novembro, para debater a transição do período militar brasileiro (1964-1985) ao período democrático. O encontro, que será realizado em São Paulo, vai discutir como a importância da memória na transição para a democracia pode contribuir para a garantia e efetivação dos direitos humanos e para a justiça de transição.

O congresso internacional “Memória: Alicerce da Justiça de Transição e dos Direitos Humanos” irá reunir o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o secretário de Direitos Humanos da Cidade de São Paulo, Rogério Sottili, entre outros.

Também estarão presentes o ex-relator especial da ONU sobre as formas contemporâneas de racismo, discriminação racial e intolerância, Doudou Diène, a diretora do Memoria Abierta, da Argentina, Valeria Barbuto, a integrante do povo Aikewara, na região do Araguaia,Ywynuhu Suruí, e a sobrevivente do genocídio em Bangladesh, Shyamali Nasreen Chaudhury.

“Este congresso é uma das várias iniciativas da Comissão de Anistia para marcar o 50º aniversário do golpe de 1964 no Brasil. Buscamos fortalecer o processo de transição brasileiro, que não reconhece totalmente o direito à memória e à Justiça, nem proporciona a devida homenagem e o direito à reparação às vítimas”, diz Paulo Abrão, Secretário Nacional de Justiça e presidente da Comissão de Anistia, do Ministério da Justiça.

Marighella

No dia 3 de novembro, será realizado um ato de memória aos 45 anos da morte de Carlos Marighella, líder da resistência à ditadura brasileira. O ato contará com a presença de Clara Charf e Carlos Marighella Filho, respectivamente viúva e filho do guerrilheiro.

Durante a homenagem, será exibido o videoclipe da música “Mil faces de um homem leal”, do grupo Racionais MC’s, que conta a história do militante morto em emboscada. Daniel Grinspum e Juliana Vicente, diretor e produtora do vídeo, também estarão presentes, além de ex-companheiros de luta de Marighella.

Acompanhe a programação:

MEMÓRIA: Alicerce da Justiça de Transição e dos Direitos Humanos

2 de novembro:

Memorial da Resistência – Largo General Osório, 66

3 a 5 de novembro (segunda a quarta):

Tuca – Teatro da Universidade Católica de São Paulo (PUC)

Rua Monte Alegre, 1024, Perdizes, São Paulo

Site: http://www.sitesofconscience.org/pt-br/2014/10/memoria-um-alicerce-da-justica-detransicao- e-dos-direitos-humanos/

Facebook: https://www.facebook.com/events/784966734882702/

PROGRAMAÇÃO

Domingo, 2 de novembro

16:30-17:30 Inscrição

17:30-18:15 Cerimônia de Abertura

Memorial da Resistência – Largo General Osório, 66

Kátia Felipini Neves, Memorial da Resistência

Paulo Abrão, Secretário Nacional de Justiça e Presidente da Comissão de Anistia

Amarílis Tavares, Diretora da Comissão de Anistia

Elizabeth Silkes, Diretora Executiva da Coalizão Internacional de Sítios de Consciência

Doudou Diène, Presidente do Conselho da Coalizão Internacional de Sítios de Consciência e Ex-relator Especial das Nações Unidas sobre as formas contemporâneas de racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância

Fernando Haddad, Prefeito da Cidade de São Paulo

Rogério Sottili, Secretário de Direitos Humanos da Cidade de São Paulo

Marcelo Araújo, Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Paulo Vannuchi, Membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos

18:15-18:45 Esforços de Memoralização no Brasil: Das Iniciativas da Sociedade Civil às Ações Governamentais

Paulo Abrão, Secretário Nacional de Justiça e Presidente da Comissão de Anistia

18:45-19:30 Conferência principal

Doudou Diène, Presidente do Conselho da Coalizão Internacional de Sítios de Consciência e Ex-relator Especial das Nações Unidas sobre as formas contemporâneas de racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância.

19:30-22:00 Visita ao Memorial Segunda-feira, 3 de novembro

TUCA – Teatro da Universidade Católica de São Paulo – Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes

9:00-9:30 Boas-vindas, Introduções, Objetivos e Contextualização

Amarílis Tavares, Diretora da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça

Silvia Fernández, Diretora da Coalizão Internacional de Sítios de Consciência

9:30-11:00 Painel I: Memória, Justiça de Transição e Direitos Humanos

COORDENADOR: Paulo Abrão, Presidente da Comissão de Anistia do

Ministério da Justiça

PALESTRANTES:

María José Guembe, Professora e Pesquisadora do Centro de Estudios

Legales y Sociales (CELS) (Argentina)

Benjamín Cuéllar, Ex-Director e Pesquisador do Instituto de Direitos

Humanos, Universidad Centro Americana (El Salvador)

Iris Jave, Coordenadora do Instituto de Direitos Humanos, Pontificia Universidad Catolica (Peru)

Clara Ramírez-Barat, Senior Associate do International Center for

Transitional Justice (Espanha)

11:30-13:00 Painel II: Memória e Justiça de Transição no Cone Sul

COORDENADORA: Elizabeth Silkes, Diretora Executiva da Coalizão

Internacional de Sítios de Consciência

PALESTRANTES:

Valeria Barbuto, Diretora do Memoria Abierta (Argentina)

Maria Luisa Ortiz, Diretora de Arquivo do Museo de la Memoria y los

Derechos Humanos (Chile)

Rafael Schincariol, Coordenador da Comissão Especial de Mortos e

Desaparecidos Políticos (Brasil)

Elbio Ferrario, Diretor do Centro Cultura y Museo de la Memoria (Uruguai)

14:30-17:30 Oficinas metodológicas (Sessões fechadas)

18:00 Ato de memória aos 45 anos da morte de Carlos Marighella

Terça-feira, 4 de novembro

TUCA – Teatro da Universidade Católica de São Paulo

Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes

9:00-9:30 Boas-vindas

Reflexão sobre o processo de memoralização no Brasil

Ywynuhu Suruí, integrante do povo Aikewara e diretor da Escola Indígena

Moroneikó, na Terra Indígena Sororó, sudeste do Pará (Brasil)

9:30-11:00 Painel III: Memória, Arte e Direitos Humanos

COORDENADORA: Luisa de Peña, Diretora do Museo de la Resistencia

(República Dominicana)

PALESTRANTES:

Marcial Godoy-Anativia, Diretor do Hemispheric Institute of Performance and Politics, New York University (EUA)

Todd Lester, Artista, Produtor Cultural, Fundador da Lanchonete.org (EUA/Brasil)

Clara Ianni, Artista Plástica (Brasil)

Germán Vargas Farías, Diretor da Asociación Paz y Esperanza (Peru)

11:30-13:00 Painel IV: Sítios de Consciência: Memória em Ação COORDENADORA: Darío Colmenares, Coordenador de Comunicação do

Centro de Memoria, Paz y Reconciliación – Bogotá (Colombia)

PALESTRANTES: Anahí Moya, Coordenadora da Casa Memoria Jose Domingo Cañas/Parque por la Paz Villa Grimaldi (Chile)

Lisa Junkin Lopez, Diretora Interina da Jane Addams Hull House Museum (EUA)

Long Khet, Diretor do Youth for Peace (Camboja)

Vivian Salazar Monzón, Diretora do Instituto Internacional de Aprendizaje para la Reconciliación (Guatemala)

14:30-17:30 Oficinas metodológicas (Sessões fechadas)

Brasil de Fato