Brasil: dirigentes del PT rechazan críticas de senadora del partido y ex ministra de Cultura

Petistas condenam críticas públicas feitas por Marta Suplicy

Petistas presentes na solenidade de transmissão de cargo para o novo ministro da Cultura, Juca Ferreira, nesta segunda-feira, condenaram as críticas feitas ao partido e ao governo Dilma Rousseff pela senadora Marta Suplicy (PT-SP), em entrevista ao jornal “O Estado de S.Paulo”. Aliada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marta criticou o governo Dilma e o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, além de destacar que ou o “PT muda ou acaba”.

O deputado Jorge Bittar (PT-RJ) considerou a entrevista um “desastre total” e motivada pelo desejo de Marta disputar a Prefeitura de São Paulo. O PT pretende lançar o atual prefeito Fernando Haddad à reeleição.

— Achei um desastre total. Na verdade as críticas tem mais a ver com a sucessão na cidade de São Paulo do que com os temas nacionais.

Já o secretário-geral do PT, deputado Geraldo Magela (DF), tentou minimizar.

— O PT é uma metamorfose ambulante, estamos sempre mudando. Se for isso, então não tem problema — disse.

Na entrevista, a senadora sugere que Lula gostaria de ter sido candidato em 2014 mas ele “nunca admitiu” esse desejo a ela. Marta definiu a política econômica de Dilma como “fracasso” e disse que a presidente só não mudou os rumos da gestão em 2013 “porque isso fortaleceria a candidatura do Lula”.

O ministro Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário), um dos mais próximos da presidente Dilma, não quis comentar.

— Só falo sobre o Juca. Ele será um excelente ministro, fará um excelente trabalho, foi uma excelente escolha.

Ao Estado de S. Paulo, Marta falou pela segunda vez em “desmandos” de Juca quando estava à frente do Ministério da Cultura de 2008 a 2010.

— Para criticar o Juca tem que dizer do que se trata. O Juca foi uma boa escolha, assim como a Marta foi anteriormente. É errado esse método, tem que dizer qual foi o desmando — disse o deputado Nilmário Miranda (PT-MG).

Um dos alvos de Marta, o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) se recusou a fazer comentários ao deixar a solenidade do Ministério da Cultura. Integrante do Instituto Lula, o ex-ministro Luiz Dulci também não quis comentar.

O Globo