Brasil: expresidente Fernando Henrique Cardoso sugiere a Dilma renunciar o asumir sus errores

FHC diz que falta base moral ao governo e sugere que Dilma deve renunciar

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou uma mensagem no Facebook, nesta segunda-feira (17), destacando que as manifestações mostraram que o governo é “ilegítimo”, e que se Dilma não for capaz de um “gesto de grandeza”, que o ex-presidente afirma que seria a renúncia ou o reconhecimento do erro, o país vai assistir “à desarticulação crescente do governo e do Congresso.”

FHC afirma em sua publicação que a base moral do governo foi “corroída pelas falcatruas do lulopetismo”, e que a “metáfora do boneco vestido de presidiário, a Presidente, mesmo que pessoalmente possa se salvaguardar, sofre contaminação dos malfeitos de seu patrono e vai perdendo condições de governar.”

O ex-presidente diz ainda que a crise pode persistir “até que algum líder com força moral diga, como o fez Ulysses Guimarães, com a Constituição na mão, ao Collor: ‘você pensa que é presidente, mas já não é mais.'”

Jornal do Brasil

Serra: Acho difícil Dilma completar o mandato

Durante o programa “Roda Viva”, exibido pela TV Cultura, de São Paulo, o senador tucano José Serra diz não acreditar que Dilma chegue a 2018 no poder, embora reconheça que não há provas no momento para o impeachment; “Não existem ainda comprovadamente [razões para o impeachment de Dilma]. Sempre tem um componente político [no processo de impeachment], mas estamos numa etapa anterior”, afirmou; “No presidencialismo, você não tira o governo só porque ele é ruim”; ele avaliou ainda que qualquer saída para o afastamento da presidente seria traumática, mesmo a renúncia, que foi chamada como um “gesto de grandeza” pelo ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso nas redes sociais; “Única saída não traumática seria a renúncia, mesmo assim seria traumático”, emendou-se Serra; “A situação do Brasil é difícil. Repito, se a Dilma deixar o cargo, quem assumir vai comer o pão que o diabo amassou, o estrago atualmente é enorme”

O senador José Serra (PSDB-SP) reafirmou na noite desta segunda-feira (17) que considera difícil a presidente Dilma Rousseff (PT) chegar ao fim o mandato.

No entanto, durante o programa “Roda Viva”, exibido pela TV Cultura, de São Paulo, ele reconhece que não há provas no momento para o impeachment. “Você não luta pelo impeachment. Você tem que ter motivos claros. Tendo motivos claros, acho que devem votar pelo impeachment. Não existem ainda comprovadamente [razões para o impeachment de Dilma]. Sempre tem um componente político [no processo de impeachment], mas estamos numa etapa anterior”, afirmou. “No presidencialismo, você não tira o governo só porque ele é ruim”.

Ele avaliou ainda que qualquer saída para o afastamento da presidente seria traumática, mesmo a renúncia, que foi chamada como um “gesto de grandeza” pelo ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso nas redes sociais.

“Única saída não traumática seria a renúncia, mesmo assim seria traumático”, emendou-se Serra. “A situação do Brasil é difícil. Repito, se a Dilma deixar o cargo, quem assumir vai comer o pão que o diabo amassou, o estrago atualmente é enorme.”

Brasil 247