Brasil: tras promesas del gobierno, el Movimiento Sin Tierra culmina ocupación del Ministerio de Hacienda

Governo pode rever redução de verba para reforma agrária

A redução no orçamento previsto para a reforma agrária, em decreto de contingenciamento publicado na última semana, pode ser revista, segundo o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias

A declaração foi feita depois de uma reunião, nesta terça-feira, entre integrantes do MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, e os ministros da Casa Civil, Aloízio Mercadante, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto e do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias.

Patrus Ananias concorda com os trabalhadores sem terra, ao dizer que a verba prevista para a reforma agrária é insuficiente.

O encontro foi uma exigência do MST para que deixasse a sede do Ministério da Fazenda, ocupada pelo movimento na manhã de segunda-feira. Eles são contra a redução de 45% nos recursos para a reforma agrária, previstos pela Lei de Orçamento Anual.

Para o Coordenador Nacional do MST, Alexandre Conceição, a reunião foi positiva, já que, segundo ele, o ministro Aloísio Mercadante garantiu que os cortes na reforma agrária vão ser reduzidos. Além disso, houve acordo sobre o assentamento de famílias até o fim do mandato de Dilma Rousseff.

Alexandre disse que o MST decidiu continuar com as ações em todo o Brasil. Segundo ele, trabalhadores sem-terra estão mobilizados em 18 estados, além dos cerca de dois mil acampados no pátio do Ministério da Fazenda, em Brasília.

O Coordenador do MST destacou que o ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante, vai informar o novo valor a ser contingenciado para a reforma agrária, no próximo dia 20 deste mês.

Brasil de Fato